Sites americanos de notícias tentam limitar comentários anônimos ofensivos

porNicole Martinelli
Mar 6, 2011 em Jornalismo básico

Não muito tempo atrás, um artigo controverso poderia resultar em alguns telefonemas ou cartas ao editor. Sites de notícias populares nos Estados Unidos estão agora mudando as regras para conter a onda de comentários irritados que os leitores enviam às pencas com apenas um clique.

A emissora National Public Radio (NPR) recentemente mudou suas diretrizes de comentário para "reduzir o spam e incentivar a civilidade" em seu site, alertando aos leitores que a NPR vai "moderar mais agressivamente" os comentários que aparecem no site.

A política nova vem depois de editores notarem o aumento de spam, bem como "indivíduos que participam simplesmente para irritar ou insultar outros membros" em sua comunidade de 450 mil membros.

A partir 2 de março, cada comentário feito no site será analisado por um moderador, resultando em um atraso de 15 minutos na publicaçāo do mesmo, segundo estimativas.

A mudança segue outras organizações noticiosas americanas que estão tentando incentivar o envolvimento do leitor, mantendo o discurso civil. Algumas, como o New York Times, tem uma pequena equipe de moderadores em tempo parcial.

Outras, como o Huffington Post, conta com uma equipe de 30 pessoas de moderadores e um sistema informatizado com palavras e frases ofensivas para criar alguma ordem no caos de quatro milhões de comentários que recebe a cada mês. A ferramenta de análise semântica (também conhecida como JuLiA) foi a primeira aquisição já feita pelo site.

Para evitar comentadores anônimos, o San Jose Mercury News exige agora que leitores conectem seus cadastros a suas identidades no Facebook.

"A qualidade melhorou imediatamente", Randall Keith, diretor de conteúdo digital, contou ao LA Times. "O discurso ficou mais civilizado".

Talvez como esperado, alguns leitores estão descontentes com essas novas políticas. Um deles, G Thrasher (HoodKing) escreveu sobre a nova política da NPR:

"Isso é ofensivo e se aproxima à censura privada. Esta postura me faz querer vomitar e começar a minha própria campanha em Detroit para o não financiamento da NPR e da rádio WDET local".

Como jornalista, acha que comentários dos leitores devem ser mais ou menos monitorados ?

Nicole Martinelli é editora da IJNet em Inglês e coordenadora de comunidade.