Site verifica declarações de políticos iranianos

porShenaz Kermalli
Aug 21, 2017 em Fact-checking e verificação

Do site Aos Fatos no Brasil, Chequeado na Argentina ao PesaCheck no Quênia, há muitos exemplos de organizações de verificação de fato em todo o mundo que se esforçam para manter funcionários públicos responsáveis por suas ações. Mas rastrear e verificar declarações de políticos pode ser particularmente complicado em países com forte censura governamental.

É por isso que dois pesquisadores do ASL19, um grupo de tecnologia canadense que busca ajudar a driblar a censura na internet, criaram uma ferramenta de verificação de fato para monitorar as declarações feitas por políticos iranianos proeminentes.

Fact Nameh escolhe declarações significativas feitas por altos funcionários iranianos ou políticos a cada semana e as classifica em um medidor de "verdade". As classificações variam de 100 por cento precisas a meio verdadeiras (ou enganosas) a inteiramente falsas. Cada avaliação é acompanhada por um artigo que explica como a veracidade da declaração foi avaliada.

"Foi realmente difícil no início", disse Farhad Souzanchi, criador de site baseado em Toronto. "As pessoas não conheciam nossas intenções. Não sabiam se nós éramos pró ou anti [o presidente iraniano] Rouhani... mas o tempo mostrou que não somos nenhum um nem o outro."

"Nos mantemos aos fatos", ele acrescentou. "Às vezes, as pessoas pró-Rouhani nos criticam, outras vezes críticos anti-Rouhani nos acusam de ajudá-lo, com base em certos vereditos que damos. Mas, a longo prazo, aqueles que estão nos seguindo de perto sabem que não estamos em nenhum dos lados."

Para adicionar um elemento visual bem-humorado à verificação de fato, o Fact Nameh acompanha suas postagens com um personagem ilustrado que atua como um "juiz": o Mirza.

Souzanchi descreve-o como um "velho sábio". Quando uma afirmação é correta, Mirza mostra-se imensamente satisfeito. Quando uma declaração é enganosa ou não pode ser confirmada, ele parece confuso ou chateado. Expressões irritadas e desdenhosas são reservadas para o ranking Shaakh-Daar – as alegações mais ridículas e absurdas que não são verdade.

O Fact Nameh foi lançado no dia 2 de abril deste ano: dia internacional da verificação de fatos, apenas um mês antes das eleições presidenciais no Irã. A iniciativa encontrou um forte seguimento no Twitter e no Telegram quase que imediatamente, disse Souzanchi. "Nós nos concentramos em manchetes ou tópicos que fazem a notícia... especialmente em alegações que não devem ser ignoradas ou sem controle", disse ele à IJNet.

A ferramenta de verificação de fato parece ter atraído a atenção de políticos e meios de comunicação iranianos também. Em um caso recente, depois de Zahra Ahmadipour, chefe da Organização de Patrimônio Cultural, Artesanato e Turismo do Irã, ter afirmado que o Irã estava entre os 10 melhores destinos turísticos do mundo, o Fact Nameh classificou sua declaração como "enganosa" por não fornecer provas. Depois que a equipe pediu via Twitter para fornecer sua fonte para o ranking de turismo, ela respondeu e forneceu provas.

"Quando agradeci pessoalmente a ela no Twitter, ela também respondeu, dizendo 'esse é o meu dever'", disse Souzanchi.

Financiado pelo Munk Center for Global Affairs da Universidade de Toronto, o ASL19 realizou projetos similares de verificação de fato no passado, mais notavelmente o Rouhani Meter, que acompanha as promessas de campanha do presidente iraniano, Hassan Rouhani. Inspirado pelo sucesso do Morsi Meter, o projeto acumulou cerca de 32.000 seguidores no Facebook e Twitter.

Enquanto o público do Fact Nameh no Irã ainda está crescendo, Souzanchi disse que observou alguns passos positivos para a criação de uma cultura de verificação de fatos dentro do país. Em um certo momento, o órgão de TV estatal do Irã, o IRIB, organizou uma discussão no estúdio sobre as diferentes formas em que as promessas da campanha política estão sendo monitoradas. O Rouhani Meter não foi mencionado, mas o mero fato de a checagem de fatos ter sido discutida abertamente foi um passo positivo, apontou Souzanchi.

"Ficamos felizes se essa tendência e essas atividades chegam dentro do Irã", diz ele à IJNet. "É uma ótima maneira de manter os políticos responsáveis, abertos e transparentes."

Imagens são captura de tela do site Fact Nameh