Série de vídeos tutoriais estressa liberdade de expressão e acesso a informação

por Renata Johnson
Oct 30, 2018 em Diversos

Uma série de vídeos tutoriais que tem como ideia central a liberdade de expressão e o acesso à informação pública ensinam sobre a situação do México e também provocam um debate regional em ambos temas.

Esta série de vídeos pode ser usada em workshops, seminários e paineis sobre liberdade de expressão e o acesso à informação na América Latina, já que são dois temas vigentes para toda a região, disse o jornalista e especialista de comunicação Benjamín Fernández à Rede de Jornalistas Internacionais (IJNet, em inglês).

Além de elaborar a pauta e apresentação dos vídeos, Fernández, atual bolsista do programa Knight International Journalism Fellowships, também trabalha em outros projetos da Fundación para la Libertad de Expresión.

A IJNet conversou com Fernández para conhecer a fundo o propósito da série e apresentar semanalmente os temas abordados em cada vídeo.

IJNet: Como nasceu a ideia deste projeto e qual é seu objetivo?
BF: A ideia é promover um debate entre os agentes cívicos da construção permanente da liberdade de expressão, que não é um direito único dos jornalistas mas da sociedade como um todo. Os vídeos têm como objetivo apresentar fatos sobre os quais você pode discutir o alcance da coisa. Alguns acreditam que a profissão de jornalista gera apenas direitos sem ver o âmbito dos direitos gerados pela própria atividade informativa. Nesse sentido, queremos ligar duas ideias: 1) liberdade de expressão com seus desafios, riscos e limitações, 2) e acesso à informação que nós consideramos essencial para tornar o primeiro possível. Não traçamos paradigmas únicos, mas sim abrimos o espaço para consolidar alguns e redescobrir outros.

Para quem é dirigido a série de vídeos (população, jornalistas, governo)?

É dirigido a todos que fazem parte do sistema democrático onde se desenvolve o trabalho informativo. O material também é um valioso recurso para universidades, cujas aulas podem encontrar nos vídeos um elemento que sirva para por em contexto e provocar ideais e conceitos válidos sobre a liberdade de expressão e o acesso à informação pública.

Os tutoriais servirão a toda a região da América Latina ou somente ao México?
Apesar do pano de fundo de todos os materias ser centrado no México, os casos que abordam servem para qualquer país da região afligido pela violência, desigualdade, descontentamento, salários baixos e mecanismos de limitação ao exercício da liberdade de expressão e imprensa. Há também casos positivos como a lei mexicana de transparência e acesso à informação publica vigente desde 2003 que promoveu um olhar diferente em relação o governo e os jornalistas por parte da sociedade.

Que países na América Latina não garante estes direitos em suas leis?

Seria mais fácil dizer em que países estão vigentes normas de acesso à informação: México, Honduras, Panamá, Equador, Peru e Chile.

Que outros avanços são necessários para estas duas áreas no México e América Latina?
Regulamentar mandatos constitucionais como o caso do Paraguai que continua esperando desde 1992 uma lei nesse sentido, e usar a norma para fazer um jornalismo de maior qualidade --rigoroso, investigativo e sério que é o que a sociedade espera de nós.

No caso mexicano, uma pesquisa recente da Universidad Iberoamericana do México mostrou que, por exemplo, a população estaria disposta a sacrificar a liberdade de imprensa por uma economia melhor. Qual é a sua opinião sobre esta forma de pensar?
Você está falando sobre esse argumento já publicado no informe da UNDP (Lima 2004) onde parece que existe um mal-estar na democracia que tem o risco de se converter em um mal-estar com a democracia. Muito ênfase é dada a essa crítica às limitações evidentes da gestão dos governos na região que tem visto emerger novas vozes com uma rapidez de demandas que não podem ser satisfeitas, o que gera descontentamento, ansiedade e dúvidas em relação à mesma democracia. Acho que a única forma de enfrentar os problemas deste sistema político é com mais democracia. E isso significa melhor qualidade de informação, melhor acesso às fontes públicas e uma liberdade de expressão rigorosa que promova o debate que fortalece o sistema democrático.

Quem patrocina este projeto?

A Fundación para la Libertad de Expresión e o Centro Internacional para Jornalistas (ICFJ, em inglês), através do qual estou trabalhando no projeto México como bolsista do programa Knight International Journalism Fellowships.

O primeiro vídeo está disponível aqui:

  • Derecho de acceso a la información y la democracia”

Para mais informação sobre a Fundación para la Libertad de Expresión ou fazer uma denúncia visite, (em espanhol) http://www.fundacionparalalibertaddeexpresion.org/. Para saber mais sobre Knight International Journalism Fellowships, visite (em inglês) http://knight.icfj.org/.