Reformulando o aplicativo para a era do vídeo no celular

porAdriano Farano
Jun 17, 2014 em Jornalismo digital

1989: Quando o Muro de Berlim caiu eu tinha apenas 9 anos. No entanto, eu ainda me lembro de assistir ao meu primeiro noticiário enquanto a Guerra Fria estava chegando ao fim.

2010: Steve Jobs anunciou o iPad em San Francisco --um dispositivo que alimentou a revolução do vídeo digital.

Quando começamos a trabalhar com Watchup, tivemos um objetivo em mente: trazer todo o poder do jornalismo de vídeo para telas emergentes com uma experiência de noticiário personalizado. Com certeza, isso significava, sobretudo, o iPad para nós. Mas hoje, as coisas mudaram. Certos dispositivos de Android têm mostrado como a experiência de vídeo pode ser interessante no celular. E quando rumores unânimes começaram a chegar sobre um iPhone 6 maior, percebemos que estava na hora do Watchup ser reformulado para a era do vídeo móvel. Hoje, anunciamos que o Watchup está finalmente estreando no iPhone.

Mas como é que nós vamos isso?

1. Pensando no design, com prioridade aos usuários

Antes de tudo, nós falamos com nossos usuários. Muito. Eles estavam pedindo uma maneira de ter suas preferências de noticiário personalizado sincronizadas em nuvem. Nós fizemos isso. Com uma única conta, você pode agora abrir toda a experiência do Watchup no iPhone, iPad, tablets Android e telefones em breve, e encontrar seus canais favoritos e preferências de personalização intactos.

2. O noticiário está na sua mão

Simplesmente converter a interface do tablet para o telefone celular teria sido fácil. Poderíamos ter feito exatamente isso, convertendo o nosso fluxo horizontal do tablet para o telefone. Em vez disso, nós buscamos repensar a experiência de assistir a notícia nos dispositivos móveis a partir do zero. A primeira forma como as pessoas interagem com o Watchup é descobrindo conteúdo inspirador de notícias. Para fazer isso, os usuários passam os dedos pela página, e como percorrer o conteúdo no celular? Em modo retrato, com uma mão e um dedo polegar. Porque acreditamos que mais é menos, ao contrário de sua versão tablet, o Watchup para celular vem apenas com uma visualização de modo retrato.

3. Sempre atentos

Agora, como é que as pessoas assistem a vídeos? Eles fazem no modo paisagem. Descobrimos que isso acontece para tablets e telefones celulares. Dessa forma, se você girar o dispositivo que sempre, sempre, vai ver um vídeo em tela cheia. Porque é isso em última análise o que os usuários de um aplicativo de vídeo querem: assistir a vídeos.

4. Principais características preservadas

Em última análise, nós preservamos o valor essencial do app. Você abre e seu noticiário começa! E ele toca continuamente. Isso é verdade em tablet como é no telefone. Além disso, mantivemos a capacidade de recriar o seu ritual notícia intacto. Agendar seu noticiário diário é uma possibilidade em cada dispositivo. Mas isso fica para todos os dispositivos, pois você pode querer receber o seu noticiário no seu telefone de manhã no caminho ao trabalho e no seu tablet à noite.

5. Assista ao vídeo, leia o artigo

Uma das características de maior sucesso no iPad foi o nosso relógio com patente pendente e interface de leitura. Preservamos esses no telefone também, mas os artigos impressos agora ficam numa tela separada que você pode acessar facilmente passando os dedos. Isso dá a você a chance de continuar a ouvir seu noticiário. A tela simplesmente não é grande o suficiente para deixá-lo assistir ao mesmo tempo.

Assim é como reformulamos o Watchup para a era do vídeo no celular. Esperamos que vá ajudar você a ficar informado em todos os seus dispositivos.

Adriano Farano, presidente e fundador do Watchup, foi bolsista do Knight International Fellowship em 2010-2011 na Universidade Stanford. Siga Adriano no Twitter @farano e siga o Watchup @watchup.

Este artigo apareceu primeiro no PBS Idea Lab, parceiro da IJNet, e é publicado e traduzido aqui com permissão.

O IdeaLab da PBS MediaShift é um blog em grupo feito por inovadores que estão reinventando as notícias comunitárias para a era digital. Inicialmente, o blog era feito por autores que recebiam um fundo do Desafio Jornalístico Knight, mas agora inclui outros bolsistas Knight, bem como empreendedores, líderes de projetos e pensadores do Northwestern University Knight Lab, Reese News Lab, John S. Knight Journalism Fellowships em Stanford e MIT Center for Civic Media. Saiba mais sobre o Twitter ou Facebook.

Imagem sob licença CC no Flickr via David Erickson