Redações pequenas fazem investigação em grande escala através de colaboração

porTaylor Mulcahey
May 27, 2019 em Jornalismo colaborativo
Las Cruces, NM

Na cidade de Las Cruces, no Novo México, nos EUA --cerca de 40 quilômetros ao norte da fronteira com o México--, as equipes de jornalismo estão encolhendo para apenas uma fração do que eram há 10 anos, seguindo uma tendência nacional da cobertura local. Com pouco tempo e recurso, mal podem acompanhar as demandas diárias do ciclo de notícias. Projetos e investigações aprofundados e de longo prazo tornaram-se sonhos, almejados por públicos que viram a capacidade das redações mudarem.

O pequeno grupo de jornalistas da cidade se conhece bem. E quanto mais eles observam a paisagem em mudança, mais eles perceberam que a única maneira de realizar grandes projetos de reportagem é trabalhando juntos.

"Não temos mais jornalistas suficientes para competir uns com os outros", disse Heath Haussamen, fundador do site de notícias independentes NMPolitics.net.

Depois de uma carreira em jornais, Haussamen operou o site por cerca de seis anos antes de desistir dele para abrir uma organização sem fins lucrativos — New Mexico In-Depth — em busca de projetos investigativos longos. Mas esse novo empreendimento ainda não deu a Haussamen a capacidade de se concentrar em um grande projeto no momento que desejava.

Ele voltou à sua publicação online e começou a procurar por colaborações para preencher o que ele considerava uma lacuna em reportagens detalhadas e de longo prazo. Ele contribuiu para o State of Change, um projeto colaborativo no Novo México, financiado pela Solutions Journalism Network. O trabalho concluiu e ele teve uma nova ideia: investigar o sistema de saúde mental em sua comunidade.

Ele construiu uma equipe de membros da emissora KRWG e do jornal Las Cruces Sun-News. Juntos, eles produziram uma colaboração de 11 meses com uma bolsa do Fundo para Jornalismo Investigativo (FIJ).

Desenvolvendo a colaboração

Haussamen entrou em contato com Lucas Peerman, então diretor de notícias do Las Cruces Sun-News, para perguntar se seus repórteres poderiam contribuir para a matéria. Diana Alba e Carlos Lopez se juntaram à equipe.

Peerman concordou em dedicar algumas horas de trabalho para trabalhar no projeto, mas eles também foram pagos por Haussamen pelo tempo extra. Robin Zielinski, fotógrafa e cinegrafista do Las Cruces Sun-News, também colaborou com o projeto; o trabalho dela foi totalmente pago, já que ela não poupava horas de trabalho.

Peerman havia trabalhado com Haussamen no passado, quando seus repórteres contribuíram para uma matéria anterior. “Estabelecemos essa conexão em que nos sentíamos à vontade para trabalhar um com o outro”, disse ele, explicando que o trabalho anterior tornou muito mais fácil concordar com uma nova colaboração.

Anthony Moreno, diretor de notícias da KRWG, também teve experiência anterior trabalhando com Haussamen e se juntou à equipe com entusiasmo.

Haussamen assumiu a liderança solicitando financiamento e, segundo ele, os pedidos de subsídio o ajudaram a pensar na logística e fazer um plano claro. Eles receberam US$5.000 do FIJ no início de 2017 e começaram a colocar o projeto em andamento.

Durante essa fase de planejamento, eles tiveram discussões sobre o tempo gasto com o projeto, o pagamento e o que cada pessoa cobriria, a fim de evitar problemas no futuro.

"Não houve uma briga sobre quem iria cobrir o quê. Nós revisamos o que cada um de nós queria cobrir ou o que achamos interessante, e Heath ajudou a nos guiar ”, disse Moreno.

Gerenciando cargas de trabalho

Embora o planejamento adequado ajude a colaboração a funcionar sem problemas, ele não pode proteger completamente contra desafios ao longo do caminho.

No meio de sua colaboração, tanto o Sun-News quanto o KRWG sofreram demissões, fazendo com que os repórteres que trabalhavam na matéria de saúde tivessem que compensar a falta na equipe.

Peerman lembra um caso em que um repórter estava a ponto de sofrer um ataque de nervos, sentindo-se sobrecarregado com as duplas atribuições de Haussamen e Peerman. Nesta situação, Peerman culpa a falta de comunicação entre os editores.

"Comunique-se, comunique-se, comunique-se", disse Peerman. É importante que o chefe regular dos repórteres conheça sua carga de trabalho com a colaboração, e vice-versa, especialmente, conforme muda semanalmente ou mensalmente.

Como todos os colaboradores estão localizados na mesma cidade, eles puderam se encontrar pessoalmente muito facilmente. No entanto, após reuniões preliminares de planejamento, isso raramente acontecia. Em vez disso, eles confiaram em ferramentas comuns como o Slack --uma plataforma de mensagens online-- e e-mail para manter contato. Eles também se encontravam na rua.

“Às vezes todos nós entrevistávamos uma pessoa ao mesmo tempo”, disse Moreno. Embora tenha sido um desafio, ele disse que também lhe deu uma perspectiva única sobre como outros jornalistas trabalham.

Uma peça fundamental para a colaboração foi o papel que Haussamen desempenhou como editor e coordenador. Ele estava encarregado de registrar as horas, fazer pagamentos e manter todos no caminho certo, mesmo no meio de um ciclo de notícias movimentado.

Publicando conteúdo colaborativo

“Quando as matérias estavam quase prontas, Haussamen me enviou para que eu lesse antes de serem publicadas”, disse Peerman, discutindo seu processo editorial. “Eu tive algumas perguntas sobre algumas coisas, e nós pudemos voltar e fazer algumas mudanças na escrita. É importante observar: leva algumas semanas ou meses para que essas mudanças escritas aconteçam.”

A equipe havia concordado desde cedo em compartilhar todo o conteúdo. Depois que as reportagens foram finalizadas, elas foram publicadas nas três plataformas: NMPolitics.net, Sun-News e KRWG.

“Vi algumas colaborações em que várias organizações de notícias tentam criar um novo website. Acho que é uma péssima ideia”, disse Haussamen. “Todos nós temos redes de distribuição estabelecidas e, se as enviarmos em todas as três, chegaremos a mais pessoas. Se tentarmos criar algo novo, chegaremos a poucas pessoas porque elas não têm uma rede de distribuição existente.”

O Sun-News é um jornal de propriedade da Gannett, parte de uma grande cadeia corporativa, o que faz com que os benefícios dos negócios sejam importantes, especialmente porque o jornal tem um paywall online, diferente dos outros.

Peerman, no entanto, não achou que a decisão de compartilhar conteúdo fosse complicada.

"Nosso público nos paga por um motivo", disse ele. "Eles esperam esse tipo de jornalismo."

A colaboração tornou possível esse tipo de jornalismo investigativo de longo prazo.

“Esse é o tipo de reportagem que conquista o respeito e a credibilidade da sua organização de notícias [e]   talvez alguns prêmios, e isso é realmente importante para a comunidade. Precisamos tratá-lo como um serviço comunitário”, disse Haussamen.

Resultados

Reportar sobre a saúde mental em Las Cruces não era novo. Tanto Alba quanto Lopez, repórteres do Sun-News, cobriram o assunto em várias ocasiões enquanto trabalhavam em suas reportagens diárias. No entanto, ninguém jamais examinou o assunto de forma tão abrangente, ou colocou a reportagem em um único lugar, segundo Haussamen.

Haussamen disse que trabalhar juntos no projeto e removê-lo do cronograma de reportagem do dia-a-dia também permitiu que eles se concentrassem mais em soluções do que nas reportagens anteriores.

O feedback da comunidade em geral foi positivo, disse Haussamen, que recebeu telefonemas de leitores que ficaram felizes em ver este tipo de reportagem em profundidade.

Peerman concordou que o projeto tocou o público, mas ele disse que ainda não viu nenhuma mudança sistemática em sua comunidade como resultado.

Moreno disse que o projeto não só impactou seu público, mas também pessoalmente. "Isso realmente me ajudou a crescer como jornalista", disse ele. “[Há] muitas ideias diferentes sobre como cobrir uma história, e ter todas essas diferentes ideias e conversas foi como ter uma reunião editorial com pessoas em toda a cidade.”

O projeto foi bem recebido nos círculos de jornalismo, de acordo com Peerman, e também ganhou vários prêmios de reportagem, incluindo um prêmio nacional da Mental Health America e um prêmio de primeiro lugar para reportagem investigativa do New Mexico Press Women.

Apesar da pesada carga de trabalho, Haussamen, Peerman e Moreno disseram que certamente colaborariam novamente.

“Com o ciclo de notícias tão rápido como hoje em dia”, disse Moreno, “as colaborações podem realmente ajudar a atender às necessidades de contar as histórias que precisam ser contadas.”


Collaborative journalism toolkit
Este artigo faz parte do Collaborative Journalism Toolkit, que foi lançado em janeiro com o apoio da Airtable. Confira esta série para descobrir mais artigos sobre como implementar seus próprios projetos de colaboração.

Imagem principal sob licença Unsplash via Ben Curry