Recursos para jornalistas que cobrem a pandemia na África

porIrene Wangui
Apr 15, 2020 em Reportagem sobre COVID-19
Mapa da COVID-19

Os casos de COVID-19 estão aumentando na África, após o continente ter sido poupado inicialmente da pandemia em seus primeiros dias. Até a semana passada, 53 países registraram casos da doença, e os governos continuam lançando medidas para impedir a disseminação. As organizações de mídia do continente também estão aumentando sua cobertura, tendo em mente o contexto único da África, incluindo a falta de dados do governo, baixos orçamentos de mídia, bem como sistemas de saúde que no passado sofriam para lidar com doenças endêmicas. Há muito a aprender com os meios de comunicação globais que cobrem a doença há mais tempo, mantendo uma perspectiva africana da COVID-19.

Aqui estão alguns recursos de reportagem que podem ajudar jornalistas do continente a cobrir a pandemia:

[Leia mais: Enviado especial da OMS conta lições da epidemia de ebola]

Dados

  • O Centro Africano de Controle de Doenças (África CDC) fornece relatórios regulares com dados sobre novos casos, mortes, recuperações e tipos de transmissão. As informações são coletadas de institutos de saúde pública dos estados membros.

  • Africa Dashboard da Organização Mundial da Saúde (OMS) na África possui dados relacionados à África, bem como relatórios atualizados da situação do surto de COVID-19 no continente.

  • A plataforma móvel de pesquisa Geopoll está realizando pesquisas remotas com cidadãos da África Subsaariana para examinar os níveis de conscientização da COVID-19, as principais fontes de informação e o conhecimento de medidas de prevenção. O acesso aos relatórios é gratuito e inclui dados como as fontes de informação mais populares entre os cidadãos e classificação dos cidadãos sobre a cobertura da pandemia pela mídia local.

  • Worldometer também fornece estatísticas ao vivo que rastreiam o número de casos confirmados, pacientes recuperados e número de mortes por país.

  • O Mapa do Coronavírus da Universidade Johns Hopkins rastreia os casos de COVID-19 por país e região, incluindo o total de casos confirmados e ativos. A universidade também criou um centro de recursos com informações úteis de especialistas médicos e análises sobre a disseminação e o impacto da COVID-19. 

[Leia mais: Não só desminta informações erradas: 4 dicas para superar a infodemia de COVID-19]

Comunidade

  • O Fórum Global de Reportagem sobre Crise de Saúde do ICFJ conecta jornalistas com os principais profissionais de saúde do mundo, líderes de redação e outros especialistas, que podem responder a perguntas em bate-papos ao vivo. É também um lugar para se conectar com colegas jornalistas na África e em todo o mundo para obter dicas e realizar colaboração úteis. 

  • Gathering COVID-19 Resources é um quadro do Trello desenvolvido pelo projeto de jornalismo Gather, para organizar e disponibilizar recursos e informações para jornalistas que cobrem a pandemia. Inclui ferramentas, guias e estruturas para reportar sobre a crise da saúde.

  • Nas plataformas de mídia social, #COVID19Africa é uma fonte contínua de discussão e informações sobre como o vírus está afetando o continente.

Fact-checking

  • Africa Check criou um guia ao vivo com todas as verificações de fatos relacionadas a COVID-19 na África em um só lugar, bem como recursos sobre como verificar informações e combater notícias falsas durante uma pandemia.

  • Na África Oriental, o PesaCheck lançou uma linha dedicada do WhatsApp para relatar suspeitas de desinformação e notícias falsas em torno da COVID-19 na região. Jornalistas podem ingressar no grupo através deste formulário

  • Fact Check Explorer do Google também é uma ferramenta útil para rastrear verificações globais de fatos em declarações relacionadas com a COVID-19.

  • Expert Reality Check do Global Health Now é outro recurso online onde especialistas em saúde global desconstroem mitos e falsas alegações sobre COVID-19.


Imagem sob licença CC no Unsplash via Brian McGowan