Por que a ética jornalistica importa nos países onde a mídia está sofrendo

por IJNet
Oct 12, 2012 em Jornalismo básico

Em países onde os meios de comunicação estão lutando pela sobrevivência em meio a pressões econômicas ou turbulência política, seria fácil colocar a ética no jornalismo em segundo plano.

Mas, na Guatemala, onde os repórteres são muitas vezes mal pagos, subornados e ameaçados, uma coalizão crescente está trabalhando para priorizar a ética.

Uma viagem à Guatemala para falar de ética com jornalistas e educadores reafirmou a crença na sua importância para o professor de jornalismo Stephen J. A. Ward, segundo seu artigo no blog PBS Mediashift.

Ward compartilhou suas ideias sobre por que a ética importa na Guatemala e outros países com a mídia em apuros:

"Estamos familiarizados com as razões gerais para a ética na mídia. Ela incentiva o uso responsável da liberdade de publicar. Estimula uma mídia mais profissional que é consciente de seu papel social e sua capacidade de ajudar ou prejudicar.

Em países como a Guatemala, onde a reforma na mídia está entre os planos, existem outras razões práticas para inserir a ética na questão.

Primeiro, os jornalistas precisam objetivos e princípios éticos claros para definir e orientar o seu movimento, para justificar suas demandas sobre o governo e criticar as práticas de corrupção na mídia.

Segundo, os reformadores precisam articular o que representam e precisam justificar suas ideias para o público. Jornalistas devem explicar como os seus pedidos de reforma não servem apenas a reclamações partidárias de interesses próprios. Os reformadores devem mostrar como suas ideias irão promover um ambiente público saudável e estão ligadas aos objetivos de outros grupos de reforma, tais como coalizões de direitos humanos.

Caso contrário, o público vai descartar iniciativas jornalísticas, por exemplo, melhores leis de liberdade de informação, como motivadas por um desejo lascivo de infirmar sobre a vida privada dos indivíduos. Essa justificativa vai depender em última instância do raciocínio ético sobre o valor de uma imprensa livre, por que jornalistas devem ser independentes, e da relação entre mídia e democracia.

Terceiro, a ética deve fazer parte da formação e programas de educação em jornalismo, de forma a mudar a consciência da nova geração de jornalistas guatemaltecos, para inspirá-los com uma visão mais ampla do jornalismo."

Leia o artigo inteiro (em inglês) no MediaShift.

Foto de neavilag usada com licença Creative Commons via Flickr

Este artigo foi publicado originalmente no PBS MediaShift, um site que acompanha a forma como as novas mídias - de blogs e podcasts ao jornalismo cidadão - estão mudando a sociedade e a cultura. O artigo foi traduzido e publicado pela IJNet com autorização.