Organização impulsiona dados abertos e transparência fiscal na Nigéria

porPatrick Egwu
Oct 20, 2019 em Jornalismo de dados
Pessoa com dados

Uma organização cívica na Nigéria está promovendo o engajamento dos cidadãos por meio de dados abertos e treinando jornalistas em habilidades de dados, para aumentar a transparência, responsabilidade e boa governança.

Os amigos Oluseun Onigbinde e Joseph Agunbiad começaram o BudgIT em 2011, depois de uma hackatona do Co-Creation Hub no estado de Lagos, no sudoeste da Nigéria, onde os participantes trabalharam para apresentar suas propostas tecnológicas. Eles tiveram a ideia do BudgIT como uma maneira de revolucionar a transparência e a responsabilidade fiscal na Nigéria.

"O BudgIT está maximizando as ferramentas digitais para promover a transparência e a responsabilidade do governo", diz Shakir Akorede, associado de comunicação do BudgIT.

Essas ferramentas incluem software de análise e visualização de dados, infográficos, aplicativos móveis, comunidades baseadas na web e mais para ajudar cidadãos a entender os orçamentos do governo para promover um maior envolvimento entre governo e cidadão.

"O BudgIT acredita que é direito de todo cidadão ter acesso e também entender orçamentos públicos", diz Akorede. “Acreditamos também que os orçamentos devem ser implementados com eficiência para o bem das pessoas. É por isso que capacitamos os cidadãos com dados de finanças públicas para que possam exigir responsabilidade.”

Em 2015, o governo do estado de Kaduna assinou um contrato com o BudgIT para criar o Open Budget Mobile, uma plataforma que permite a cidadãos monitorar políticas, orçamentos, registros de compras e status de liberação de fundos por meio de seus telefones celulares, promovendo maior transparência. Isso é semelhante ao Buharimeter, uma plataforma criada pelo BudgIT para o Centro de Democracia e Desenvolvimento para responsabilizar o presidente Muhammadu Buhari por suas promessas de campanha.

O BudgIT acredita que, para que a democracia funcione, as organizações cívicas e a mídia devem trabalhar juntas. "Nós valorizamos o avanço de nosso relacionamento com entidades de mídia na Nigéria e no exterior", diz Akorede.

"Estamos capacitando jornalistas e organizações de mídia nigerianos que precisam constantemente de conhecimento em análise de dados com as habilidades necessárias para melhor usar o jornalismo em defesa de dados abertos e transparência fiscal no país", acrescenta ele.

De acordo com o relatório de impacto de 2018, o BudgIT organizou 18 oficinas de jornalismo de dados, fez parceria com oito organizações de mídia e treinou 80 organizações da sociedade civil.

O BudgIT recebeu apoio de vários financiadores diferentes, incluindo as Fundações MacArthur e Ford. Em janeiro de 2017, o BudgIT recebeu uma doação adicional de US$3 milhões da Omidyar Network e Fundação Gates para promover um governo aberto e engajamento dos cidadãos na Nigéria.

Em 2017, o BudgIT iniciou uma bolsa de mídia para jornalistas nigerianos interessados ​​em focar em histórias de interesse humano sobre como as pessoas são afetadas pelas políticas do governo. A bolsa de seis meses inclui treinamento em jornalismo de dados, reportagem investigativa e pesquisa. Nos últimos dois anos, os seis bolsistas selecionados produziram matérias de investigação que se concentram nas políticas do governo, promovendo transparência e responsabilidade.

“Foi uma grande oportunidade que me expôs a novas habilidades, especialmente na área de rastreamento de projetos constituintes usando dados abertos”, diz Hannah Ajakaiye, ex-bolsista do BudgIT. “Eu produzi projetos de reportagem que elevaram o padrão de transparência no governo enquanto impulsionavam o envolvimento em questões cívicas. Meu trabalho com o BudgIT também expandiu o engajamento em nível de base, verificando as reivindicações dos políticos em projetos de desenvolvimento em comunidades rurais difíceis de alcançar.”

A edição de 2019 da bolsa começará em novembro. A organização diz que espera expandir o foco e o número de participantes.

“A bolsa continua sendo um esforço exclusivo para gerar nerds de dados entre jornalistas nigerianos e, ao mesmo tempo, aumentar o jornalismo de dados, a mídia cívica e a reportagem investigativa no país”, diz Akorede..


Imagem sob licença CC no Unsplash via Tirza van Dijk