O que aprendi trabalhando com o primeiro projeto de verificação de fatos no Quênia

porLeo Mutuku
May 17, 2017 em Fact-checking e verificação

Foi um ano incrível para mim como bolsista PesaCheck, trabalhando com as melhores mentes em tecnologia cívica, dados abertos e política no Quênia para manter nossa mídia e políticos responsáveis por suas ações. O PesaCheck é a primeira iniciativa de verificação de fatos do Quênia, com uma filial   agora em funcionamento na Tanzânia. Agora mais do que nunca, com o foco concentrado em "notícias falsas" e a disseminação da desinformação, indivíduos e organizações intermediárias precisam cultivar uma cultura de verificação de fatos.

No entanto, este artigo não irá abordar a necessidade crítica da verificação de fato -- meus colegas já fizeram um bom trabalho nesse caso. Em vez disso, vou oferecer reflexões sobre as principais lições que aprendi trabalhando como bolsista PesaCheck, que espero ser útil para qualquer pessoa interessada em realizar uma iniciativa semelhante.

Usar fonte e coleta dados de fontes confiáveis

Esta é a lição mais óbvia para compartilhar, mas acho que isso requer ênfase. É imperativo usar fontes credíveis. O mais embaraçoso para uma publicação que pretende esclarecer algo é tornar-se uma fonte de desinformação.

Isso significa que, quando fazer verificação de fato, você precisa usar a documentação oficial tanto quanto possível ou citar indivíduos que podem comentar sobre a sua análise em uma capacidade oficial. Eu aconselharia evitar o uso de outros artigos de mídia para verificar alegações, pois estas não são fontes primárias.

Quando se trata de verificar matérias de finanças públicas, os documentos orçamentários devem ser a fonte principal (mas não a única). No Quênia, temos a sorte de ter iniciativas eletrônicas do governo onde podemos encontrar informações adicionais sobre orçamentos nos sites dos ministérios locais, o Escritório Nacional de Estatísticas, a Iniciativa de Dados Abertos do Quênia, instituições de pesquisa e organizações internacionais.

Em geral, um dos meus maiores desafios tem sido fazer verificações de fatos em matérias sobre os orçamentos do condado do Quênia, porque nem todos os municípios tornam seus documentos orçamentários publicamente disponíveis. Isso não significa que não haja inconsistências ou contradições nos documentos do orçamento nacional. É por isso que é importante observar quaisquer inconsistências como parte de sua verificação de fato.

Seja objetivo e justo

Este é outro ponto que não pode ser exagerado. É imperativo que uma iniciativa de verificação de fatos permaneça objetiva (entre os outros princípios-padrão exercidos por iniciativas de verificação de fatos em todo o mundo). Não insira nada que possa ser interpretado como uma opinião.

Não existe uma verificação de fato fácil

Especialmente quando se trata de matérias de finanças públicas, às vezes haverá casos em que os números estão obviamente errados, mas dada a complexidade das questões orçamentárias, será crucial fornecer contexto. O desafio será apresentar esse contexto de uma forma que não é muito técnica, mas não perde a complexidade.

Um problema que eu vi com as reportagens da mídia sobre as questões orçamentárias é que os números estarão corretos, mas a análise fornecida pelo repórter irá por uma tangente não relacionada, ao invés de fornecer informações cruciais para a matéria. Por exemplo, eu verifiquei um artigo que analisou como um governo do condado alocou fundos para o setor hoteleiro, enquanto teria sido melhor usar o dinheiro para construir unidades de UTI em hospitais locais. O que o repórter deixou de mencionar é que o município realmente alocou um montante em seu orçamento para construir as mesmas unidades de UTI.

Você precisa estar muito familiarizado com sua editoria para identificar e fornecer o contexto ausente. Quanto mais você conhece o assunto, melhor equipado estará para decidir se precisa examinar mais a fundo. Como bolsista PesaCheck, eu realmente passei a maior parte do meu tempo fazendo pesquisas necessárias para fornecer contexto extra, ao invés de identificar as estatísticas que eram simplesmente erradas.

Simplifique, mas não desinforme

Os orçamentos são bastante complexos de analisar. No entanto, enquanto o PesaCheck visa ter impacto em massa, é importante escrever a sua verificação de fatos em termos leigos ao contrário de fornecer uma análise extremamente técnica. Entretanto, seja cauteloso para não fornecer exemplos inadequados ou comparações falsas em uma tentativa de tornar a matéria mais acessível.

Você pode pensar que o fato de verificar questões de finanças públicas é muito difícil para um repórter que não gosta de matemática. Na verdade, não é muito simples, mas ao longo do tempo, fica mais fácil quando você se torna mais familiarizado com os dados do orçamento e recursos.

Depois da minha bolsa PesaCheck, estou pronto para continuar a examinar as alegações que as autoridades fazem e para permanecer crítico sobre as reportagens da mídia. O Quênia pode estar passando por dificuldades de crescimento, mas acredito que, em parte graças à vontade política em prol de um governo mais aberto, temos uma base sólida para construir uma participação mais ativa dos cidadãos nas decisões orçamentárias. As iniciativas de verificação de fatos, como o PesaCheck, são fundamentais para fomentar essa participação. Tenho orgulho de ter contribuído para a primeira iniciativa de verificação de fatos de orçamentos no Quênia.

Este artigo apareceu originalmente no PesaCheck e foi editado e republicado com permissão. O PesaCheck foi cofundado por Catherine Gicheru, uma veterana jornalista queniana que trabalha no Code for Kenya. Leia mais sobre seu trabalho como bolsista Knight do ICFJ aqui.

Imagem sob licença CC no Flickr via Dave