Media Factory pretende impulsionar a mídia latino-americana

porMariano Blejman
Jul 18, 2013 em Jornalismo digital

A América Latina carece de capital de risco para investir na mídia. É realmente difícil gerar novos espaços jornalísticos independentes e ainda mais difícil conseguir desde o início uma forte sustentação para o fluxo de trabalho, o desenvolvimento de público e modelos de negócios.

A dissociação entre capital de risco e jornalista empreendedor é o problema que queremos resolver com o Media Factory, que vai oferecer capital, orientação e apoio a cinco empreendimentos jornalísticos na América Latina. Como parte da minha bolsa Knight International Journalism Fellowship do ICFJ, o Media Factory irá criar um ecossistema de inovação na mídia trabalhando com novas empresas. O investimento é de US$75.000 por empresa em troca de uma participação de 17 por cento.

A ideia do Media Factory foi testada num Hacks/Hackers em Buenos Aires e anunciada recentemente no encontro da Global Editors Network em Paris. Será lançada em Buenos Aires em janeiro de 2014 com o apoio do Media Development Investment Fund, Vivid Growth, e Indie Voices, a nova plataforma de crowdsourcing de Sasa Vucinic.

O Media Factory irá selecionar cinco equipes de três pessoas de diferentes países da América Latina. Os times vão passar entre quatro e seis meses em Buenos Aires trabalhando juntos numa ideia de negócio.

Queremos identificar as boas práticas entre nativos da mídia digital (aqueles nascidos após à explosão da Internet) em todo o mundo e replicá-las em mercados locais se possível. Vamos selecionar participantes entre agora e o final do ano. Vamos escolher equipes que querem criar novos meios de comunicação, inicialmente focados em política e comerciais, com a ambição de crescer e se tornar uma voz dominante no mundo jornalístico.

O objetivo não é desenvolver tecnologia ou plataforma, mas construir uma nova geração de empresas de meios de comunicação. Em última análise, o coração do Media Factory será o seu conteúdo.

Vamos acelerar a mídia, como se fosse uma startup da Internet, porque entendemos que investir em nova mídia digital pode ser um grande negócio. Muitos dos meios nascidos depois da explosão da Internet se tornaram operações bem-sucedidas. Há alguns exemplos de empreendimentos de mídia que se enquadram nessa categoria: DailyCandy, Bleacher Report, Huffington Post, BuzzFeed, PopSugar, Vox Media, Refinery29 BusinessInsider e Thrillist, entre outros.

Contudo, a explosão das mídias digitais das Américas permanece principalmente nos Estados Unidos. Mesmo quando começamos de ver alguns casos de sucesso no México e no Brasil, a mídia digital não está se expandindo como deveria.

Enquanto criava o Media Factory, li um artigo de Bryan Goldberg, fundador do Bleacher Report. "Estou começando uma outra empresa de conteúdos e pretendo fazer fortuna," ele escreveu. Segundo Goldberg, investir em mídia é muito menos arriscado do que investir em tecnologia, que os nativos digitais estão crescendo e que, ao contrário do setor de tecnologia, há lugar para muitos vencedores.

O que o Media Factory vai oferecer a potenciais empreendedores? Podemos ajudar no fluxo de trabalho, acesso à designers, gerenciamento, geração de audiência, refinamento de modelos de negócio, assessoria da comunidade empresarial e rede sólida dos mentores internacionais com experiência em iniciar novas mídias, com outra rede de novos investidores que vai ajudar a as empresas crescerem após o período de aceleração.

Portanto, se você tem uma equipe e deseja se inscrever, visite o MediaFactory.vc e envie sua informação de contato.

Mariano Blejman, bolsista do Knight International Journalism Fellowship, é editor e empreendedor de mídia especializado em jornalismo de dados.

O conteúdo de inovação de mídia de global relacionado com os projetos e parceiros do Knight International Journalism Fellowship do ICFJ na IJNet é patrocinado pela John S. and James L. Knight Foundation e editado por Jennifer Dorroh.

Imagem: Logo do Media Factory, cortesia de Mariano Blejman