Lições do Haiti para nova mídia e ajuda humanitária

porJingyuan Huang
Jan 16, 2011 em Temas especializados

Um novo relatório da Communicating with Disaster Affected Communities (CDAC), com apoio da Internews e patrocínio da Knight Foundation, examina de maneira crítica o papel da mídia após o terremoto no Haiti e recomenda estratégias para melhorar a eficiência do jornalismo em futuras iniciativas de ajuda a desastres.

Nas semanas depois da crise, o Haiti tornou-se rapidamente um laboratório do mundo real para diversas ferramentas novas de comunicação. As inovações mais notáveis a emergir do Haiti foram: a tradução dos dados públicos ('crowdsourced') à informação acionável, o uso da transmissão de mensagens instantâneas (SMS) em uma crise, e 'crowdsourcing' de mapas abertos para aplicação humanitária.

No entanto, o relatório adverte contra chamar a experiência haitiana de "história de sucesso da nova mídia", pois algumas das abordagens --tentadas pela primeira vez-- falharam. Além disso, os esforços da nova mídia não diminuíram a importância da mídia tradicional. Tal como em crises passadas no mundo em desenvolvimento, o rádio continua a ser a ferramenta mais eficaz para atender as necessidades de informação da população local.

O relatório termina com uma série de recomendações para grupos de tecnologia, desenvolvimento da mídia e organizações humanitárias, governos nacionais e doadores sobre como melhorar o uso da mídia nos futuros esforços de recuperação.

Acesse o relatório (em inglês) aqui.