Lançada organização de repórteres de zonas de conflito

porJessica Weiss
Jun 13, 2013 em Temas especializados

Repórteres que cobrem conflitos sem o apoio de agências de notícias têm uma nova fonte de comunidade e apoio financeiro.

A associação para a Frontline Freelance Register, ou FFR, está agora aberta a todos jornalistas freelance de imprensa, foto, digital, rádio e vídeo que trabalham em zonas de conflito ou fora de seus próprios países. O diretório é uma entidade independente apoiada pela Frontline Club Charitable Trust de Londres.

"Um grande número de jornalistas independentes que acabam feridos ou em situações horríveis são acusados de ser irresponsáveis", diz Anna Day, membro do conselho fundador da FFR e jornalista independente na Oriente Médio. "Então, nós estamos olhando como tomar passos construtivos para lutar pela segurança, proteção e a responsabilidade da indústria. E para mostrar que a grande maioria não é imprudentes."

Cada membro registrado tem um perfil no site da FFR que é visível para os outros membros. Os membros também devem assinar um código de conduta, que expressa seu compromisso com os padrões de segurança estabelecidos na profissão.

Os membros comprometem-se a completar cursos de formação reconhecidos em primeiros socorros e ambientes hostis, levar roupas de proteção balística durante as reportagens, planejar adequadamente e se preparar para as missões, realizar uma avaliação de risco, comunicar a informação de contato de um parente próximo à FFR e muito mais. Também concordam em defender os mais elevados padrões éticos de reportagem.

O código permite ao jornalista ver as precauções que seus colegas esperam deles, diz Day, e incentiva um compromisso com padrões altos para evitar de colocar a si mesmo ou outros em perigo.

A equipe da FFR está trabalhando em conjunto com uma série de organizações de segurança de jornalistas. Seu objetivo principal é encontrar doadores para ajudar a reduzir os custos de treinamentos e de seguros.

"Treinamento sobre ambientes hostis e seguros de saúde são duas coisas que a indústria não está disposta a fornecer de forma consistente para seus freelancers", diz Day. "E são coisas que precisamos para estarmos seguros."

Registre-se pelo site frontlinefreelance.org.