Jornalista do Mês na IJNet: Didier Hernán Gil

porJessica Weiss
Sep 2, 2014 em Jornalista do mês

A cada mês, a IJNet apresenta um jornalista internacional que exemplifica a profissão e usa o site para promover sua carreira. Se você gostaria de ser apresentado, envie um e-mail com uma curta biografia e um parágrafo sobre como usa os recursos da IJNet, aqui.

Este mês apresentamos o jornalista panamenho Didier Hernán Gil da Corporación La Prensa, onde ele é repórter especializado em transporte para a seção Sociedade. Ele também trabalha como co-apresentador do programa digital Panorama, e colabora com a rádio Panorama Católico.

Anteriormente, Hernán trabalhou como repórter e editor para o jornal DIAaDIA. Fez faculdade de relações entre EUA-Panamá na Universidade do Panamá, em 2003 e pós-graduação pela Universidade Especializada das Américas.

IJNet: Como a IJNet o ajudou?

Eu fiquei sabendo sobre o site a mais de seis anos atrás. No ano passado, eu decidi me inscrever a um curso online do Centro Internacional para Jornalistas (ICFJ, em inglês)-- que descobri através da IJNet-- sobre "cidades inteligentes”. O tema me chamou a atenção, pois o Panamá tinha começado recentemente a implementar o sistema de transporte Metro Bus, bem como construir o Metro de Panamá. O curso [patrocinado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento] focou nesses tipos de questões, dando-me, assim, novas perspectivas para ampliar minhas reportagens e publicações.

Durante o curso, nós compartilhamos conhecimentos e experiências, e concluímos que várias cidades latino-americanas estavam passando por situações semelhantes. Foi uma experiência enriquecedora, e eu aprendi novos fatos, ângulos e abordagens para a minha reportagem diária. Dos 60 participantes do curso, eu fui um dos 10 jornalistas latino-americanos selecionados para viajar a Washington para continuar o curso presencial com especialistas em planejamento urbano e desenvolvimento das cidades emergentes.

Não parei de aprender. Em um grupo no Facebook, compartilhamos nossa [matéria publicada] e analisamos o que está acontecendo em todas as regiões vizinhas. Eu pude continuar a me especializar no tema, dando maior peso ao urbanismo na minha cidade.

Eu continuo a procurar oportunidades na IJNet. E "retuito" todos os artigos que considero útil, porque eu sei que podem ajudar ambos jornalistas novatos e experientes.

Pode compartilhar conosco um trabalho do qual tem um orgulho especial?

Esta matéria (em La Prensa) apresentou irregularidades escondidas pela empresa "My Bus" e encontrou falhas no serviço. Tornou-se claro que a construção da linha de metrô um e o trabalho de sistema de rua gerou caos e tráfego e, portanto, maior espera [para os passageiros]. No entanto, grande parte da responsabilidade ficava sobre o empreiteiro, que era o culpado por partes da frota que faltavam e outros problemas. Após a pressão sobre My Bus, uma revisão do contrato da empresa com o estado descobriu diversas violações: [falta de] extintores de incêndio, operadores de frotas incompletas, [falta de] instalações para pessoas com deficiência, longo tempo de espera nos pontos, entre outros problemas.

Hoje, o Estado deve determinar se a empresa continuará a prestar serviço para os panamenhos. Nossa equipe, na seção Sociedade do jornal La Prensa, monitora constantemente o contrato entre My Bus e o Estado. As alegações foram reportadas mais de quatro vezes e foram uma fonte de incômodo para o governo anterior do presidente Ricardo Martinelli. Mas [problemas] continuam.

IJNet: Que conselho daria a aspirantes a jornalista?

Eu recomendo que você leia muito, ouça rádio e veja noticiários de TV e sempre lembre que há mais [sobre uma história]. É nossa missão divulgar o que "cheira mal", mesmo quando as autoridades não querem divulgar essa informação. O controle das finanças públicas vem com um preço, às vezes sob a forma de ameaças, insultos e intimidação, entre outras coisas, mas é por isso que somos chamados a servir. Quando você sai às ruas para denunciar, tem a responsabilidade de escrever histórias interessantes, mas lembre-se que você não é o protagonista - é o narrador.