Jornal americano lança app de verificação de fatos

por Margaret Looney
Feb 5, 2013 em Jornalismo digital

Os políticos são notórios por mentirem para ficarem à frente nas pesquisas, mas o Washington Post pretende desafiá-los em tempo real com um novo aplicativo.

O aplicativo Truth Teller, agora em fase de protótipo, verifica fatos enquanto são declarados, testando uma transcrição de áudio para texto contra um banco de dados de fatos. Se o orador está mentindo, o aplicativo exibe as falsas alegações no discurso ou anúncio instantaneamente.

O editor de política nacional do journal, Steven Ginsberg, teve a ideia depois de ver que as mentiras de Michele Bachmann não eram contestadas durante seu discurso em Iowa.

Ginsberg disse ao TechCrunch que imaginou um cenário diferente se cada pessoa da plateia tivesse uma versão do aplicativo no seu celular.

“Você pode imaginar como mudaria não apenas aquela cena, mas basicamente tudo num discurso político", disse Ginsberg. "Se ela está mentindo e você diz: 'Espere um segundo, você mentiu para mim,' então tem uma situação totalmente diferente do que se ela estivesse só falando."

O desenvolvimento do aplicativo foi apoiado por um Fundo de Protótipo da John S. and James L. Knight Foundation . Para um exemplo do que o app pode fazer, confira esta apresentação de um discurso do político John Boehner sobre reforma de imposto. Quando ele disse que o aumento de imposto acabaria com os empregos, a palavra "false" aparece em vermelho.

Essa não é a primeira tecnologia criada para fazer isso, como observou um artigo no Poynter. O aplicativo do PolitiFact app Settle It! e o Truth Goggles experimentou com esse recurso de verificação de fatos.

Uma máquina pode realizar a tarefa de verificação de fato de maneira eficaz?

Liz Heron, diretora de rede social e engajamento do Wall Street Journal, tuitou sobre seus receios em relação ao TruthTeller.

"Tenho algumas dúvidas sobre a verificação puramente algorítmica, porém (referente ao meu último tuite). Geralmente é melhor se um humano está envolvido". (Leia o tuite original abaixo, em inglês)

"Por enquanto, o protótipo beta inicial tem que ser manualmente alimentado com alguns fatos e, portanto, só funciona em tópicos que foram projetados especificamente para reconhecer", escreveu Gregory Ferenstein para o TechCrunch.

Cory Haik, produtor executivo de notícias digitais no Washington Post está confiante que este tipo de app pode ser a próxima nova onda do journalism.

"Achamos que isso pode ser aplicado para streaming de vídeo no futuro? Sim," Haik escreveu. "Apresentar a verdade é sem dúvida uma das missões mais importantes do jornalismo. Então, sim, nós acreditamos que funcionará."

Imagem usada com licença CC no Flickr via cinnamonroll.photography