Fotógrafo conta lições de aventura na China

porAndy Shuai Liu
May 2, 2012 em Jornalismo multimídia

Baseado na China, o premiado fotógrafo Ryan Pyle compartilhou sua experiência em reportar e viajar no país.

O canadense Pyle mora na China desde 2002, documentando a rápida mudança no país com sua câmera para organizações de notícias como a BBC e o New York Times.

Em 2010, Ryan e seu irmão Colin produziram uma série de TV chamada "The Middle Kingdom Ride" (em tradução livre, "O Passeio no Reino Médio") sobre uma viagem de 65 dias, cobrindo 18.651 quilômetros pela China.

"Se você quiser ser um fotógrafo documentarista, precisa ir a uma parte do mundo onde a vida das pessoas está mudando, como a China", disse Ryan em entrevista à IJNet. Aqui estão mais lições de sua jornada épica.

Transporte e hospedagem

Ryan Pyle (RP): É fácil agora viajar na China. Dez anos atrás, podia ser impossível encontrar um agente de viagens. Mas hoje a rede rodoviária é de primeira classe, inglês é falado em aeroportos e os hotéis são bem melhores e muito organizados. Você pode reservar bilhetes de avião e quartos de hotel em qualquer um dos dois principais sites de viagens chineses, Elong e Ctrip. Apesar da infraestrutura de viagens facilitar, jornalistas estrangeiros ainda precisa falar mandarim ou contratar tradutores para se comunicarem bem com os habitantes locais.

Apurando e entrevistando

RP: Os chineses são naturalmente hospitaleiros com viajantes estrangeiros e agora estão muito mais abertos a falar o que pensam. Os jornalistas devem ser respeitosos e pacientes quando realizam entrevistas; um bom senso de humor e compreensão da cultura chinesa seria uma vantagem extra... Quando você faz a entrevista na casa do entrevistado, um encontro de cinco minutos e uma foto rápida não valem. É importante ficar por algumas horas durante uma refeição ou chá e trocar informações, falar sobre si mesmo como eles fazem.

China urbana vs. China rural

RP: Viajar nas cidades chinesas não é diferente de viajar nos Estados Unidos; em áreas rurais, a viagem deve ser mais por terra e as estradas e os hotéis podem não ser tão bons. No entanto, cobrir as áreas rurais da China pode ser uma experiência linda: a comida é fantástica e as pessoas são mais amigáveis, hospitaleiras e descontraídas do que nas cidades.

Diversidade étnica na China

RP: É muito legal explorar áreas étnicas na China, que oferece diversas culturas, religiões, culinárias e estilos de vida.

Na região ocidental autônoma de Xinjiang, você [está] livre para viajar e interagir com a população local, muitos dos quais são uigures, cazaques, quirguises ou tajiques. Um dos pontos altos da minha viagem a Xinjiang foi cobrir o mercado de animais em Kashgar. Outro destaque foi o lago Karakul na estrada de Karakoram que [faz a rota da seda e] conecta China com o Paquistão.

Você pode ver o "Turquestão chinês", no slideshow de fotografias feitas por Pyle em Xinjiang, China abaixo:

Foto: Ryan Pyle na China