Fontes locais para jornalistas começarem a cobrir os Jogos Olímpicos de 2016 já

por Kiratiana Freelon
Aug 7, 2015 em Temas especializados

Jornalistas de todo o mundo não têm que esperar até o próximo ano para começar a cobrir os Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro, que vão abrir no dia 5 de agosto de 2016, com os Jogos Paraolímpicos pela primeira vez um mês depois.

A cidade vem se preparando para esses jogos nos últimos seis anos desde que venceu a licitação em 2009, tendo concluído 86 por cento do Parque Olímpico.

Mas os problemas ainda assolam a cidade e os preparativos do evento. Para citar alguns: Um estudo recente da Associated Press indica que a qualidade da água da Baía de Guanabara -- onde serão realizados os eventos de vela -- equivale praticamente à água de esgoto. O governo da cidade está usando seu domínio eminente para expulsar os moradores da Vila Autódromo, uma favela que fica na borda do Parque Olímpico. E a cidade continua a sofrer problemas de segurança pública; a Anistia Internacional constatou recentemente que a Polícia Militar do Rio de Janeiro matou 1.519 moradores nos últimos cinco anos.

Organizações de notícias internacionais não têm que ser as primeiras a reportarem sobre essas questões. A notícia pode ser acessada diretamente a partir de fontes locais, especialmente através da mídia social.

A IJNet compilou uma lista de fontes que são muitas vezes as primeiras a informar sobre essas questões que afetam os preparativos para os Jogos de Olímpicos e Paraolímpicos de 2016 no Rio.

Sites gerais 

Há cinco anos o Rioonwatch.org cobre o impacto dos preparativos dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos nas favelas do Rio de Janeiro.

A qualquer momento, o site, gerido pela Catalytic Communities, tem mais de uma dezena de jornalistas participando de eventos das comunidades e escrevendo reportagens. O arquivo é um tesouro de informações sobre desapropriações nas favelas, questões ambientais e gentrificação.

Julia Michaels produz o blog Riorealblog.com, que ela descreve como "uma visão crítica e construtiva da transformação do Rio de Janeiro". Julia, uma jornalista e escritora americana que vive no Brasil há mais de 30 anos, criou o blog em 2010.

Enquanto que o blog inclui reportagem origital, a página no Facebook reúne os mais importantes artigos do dia sobre o Rio de Janeiro.

Remoções nas favelas e outras notícias gerais 

A Vila Autódromo fica à direita do Parque Olímpico no bairro de Jacarepaguá, localizada junto ao extinto autódromo de Fórmula 1. A comunidade brotou há mais de 30 anos atrás.

Logo após o Rio de Janeiro ser escolhido como a sede dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos em 2009, o prefeito Eduardo Paes anunciou que a favela seria removida. Os moradores de favelas travam uma luta de seis anos para permanecer em suas casas e parece que a cidade está lentamente ganhando. Apenas 10 por cento da população original da comunidade permanece no local.

Mas a campanha para evitar mais expulsões está se fortalecendo. A página Viva Vila Autódromo no Facebook registra cada artigo de notícia da comunidade, seja sobre uma remoção ou visita de um funcionário do governo.

Mais de um quinto da população do Rio de Janeiro vive em favelas, por isso os jornalistas devem também acompanhar as notícias dessas comunidades em geral. O site Brazil247.com sempre tem um ótimo resumo de notícias na sua favela vertical.

E desde que foi entrevistado no New York Times, Raul Santiago do Coletivo Papo Reto, surgiu como a principal voz das favelas do Rio. Seu coletivo acompanha as notícias na maior favela do Rio de Janeiro, o Complexo do Alemão. Ele publica frequentemente as últimas notícias e informações da comunidade diretamente na página da organização no Facebook. Outro site que reporta diretamente do Complexo do Alemão é Voz das Comunidades, que também tem uma  página ativa no Facebook.

Qualidade da água e Baia da Guanabara 

Quando o Rio de Janeiro se candidatou para sediar os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, disse ao Comitê Olímpico Internacional que seu legado ambiental seria limpar a poluída Baía de Guanabara. Como demonstrado por um estudo recente da Associated Press, essa promessa não foi cumprida.

Mario Moscatelli é um ativista ambiental que luta pela limpeza da baía há 20 anos. Sua página pessoal do Facebook apresenta seu trabalho para limpar a baía e as últimas notícias e atualizações.

O Inea (Instituto Estadual do Ambiente) testa regularmente a qualidade das praias do Rio de Janeiro. Este link mostra os últimos testes de água das praias.

Campo de golfe 

Golfe será um novo esporte de competição nos Jogos Olímpicos de 2016. A criação do campo de golfe das Olimpíadas no Rio é um tema polêmico porque parte de um parque natural será usado para sua construção.

Ativistas ambientais do Rio de Janeiro têm várias comunidades no Facebook que destacam as últimas notícias e ativismo.  Golfe Para Quem e Ocupa Golfe são duas páginas no Facebook que os jornalistas podem seguir para as últimas novidades.

Segurança pública 

O crime de rua é signifificante no centro da cidade, portanto a segurança pública está constantemente na mente das pessoas que moram no Rio de Janeiro. O Instituto de Segurança Pública registra em detalhe os crimes na cidade. 

Imagem principal sob licença CC no Flickr via Hudsӧn