Especialistas em vacinação oferecem dicas de reportagem e ideias de pauta

porJessica Weiss
May 6, 2013 em Temas especializados

Reportagens sobre a prevenção de doenças infecciosas e imunização compõem uma parte fundamental da cobertura de saúde internacional.

Para ajudar o jornalista a cobrir essa questão crítica de forma mais eficaz, a ex-bolsista do Knight International Journalism Fellowship, Brenda Wilson, conversou com a Dra. Heidi Larson, professora da School of Hygiene and Tropical Medicine de Londres. Durante o webinário de uma hora, elas exploraram questões-chave para considerar ao informar sobre vacinas e deram dicas para encontrar novas perspectivas em reportagens.

O Centro Internacional para Jornalistas (ICFJ, em inglês) patrocinou o programa, como parte de seu concurso de reportagens sobre vacinas, que aceita inscrições até 20 de maio. Os vencedores do concurso receberão um prêmio em dinheiro e uma viagem de duas semanas de estudo para os Estados Unidos. (O ICFJ é a organização que publica a IJNet).

Aqui estão algumas dicas para melhorar a sua cobertura sobre vacinação:

Investigue os problemas enfrentados na entrega de vacinas

A comunidade de saúde pública está interessado na qualidade e segurança da vacina, disse Larson, mas muitas vezes falta contexto em torno da vacina.

"Os jornalistas podem ser realmente úteis na compreensão do que realmente está acontecendo em áreas onde as vacinas não estão chegando, onde poderiam ou deveriam estar chegando", disse Larson. "É importante examinar quando e onde a vacina é administrada, por quem, e qualquer política ou conflito em torno da imunização."

Por exemplo, a vacina contra o papilomavírus humano (VPH ou HPV, do inglês) é dada a adolescentes para prevenir uma doença sexualmente transmissível. Nesse caso, os jornalistas cobrindo essa vacina devem analisar as questões morais e políticas relacionadas.

Olhe além manchetes

Durante anos, houve rumores em algumas comunidades muçulmanas que a vacina contra a poliomielite causava a esterilização feminina. Mas quando Larson e sua equipe realmente conversou com pacientes, encontraram uma história diferente.

"Realmente, o que não gostavam é que a vacina era dada por um homem, não uma mulher, e por alguém que não era da [mesma] aldeia, mas de algum outro lugar", disse ela. "Esterilização não era a maior preocupação."

"Quando você senta e conversa, tem uma nova perspectiva, uma outra dimensão, que desafia o que está nas manchetes", disse Larson.

Entrevista uma variedade de fontes

É importante falar com outras pessoas para além daquelas que trabalham em programas de vacinação. O que está acontecendo com o público em geral? Onde você pode falar com os pais? Quais são as percepções dos professores sobre como as coisas estão indo com a imunização?

Os jornalistas devem fazer a mesma pergunta em vários lugares, disse Larson, como para a Organização Mundial de Saúde, o ministério local, os Médicos Sem Fronteiras, um grupo local de mulheres e pais de escola.

Encontre novos ângulos para suas ideias de reportagem. Aqui estão alguns exemplos:

  • Examine algumas maneiras inovadoras como as pessoas estão levando vacinas para as comunidades, envolvendo parceiros não tradicionais para ajudar na entrega e como superam desafios.

  • Explorer duas vacinas em diferentes configurações e compare os resultados. Pode comparar diferentes países; mas mesmo comparando dois estados no mesmo país pode revelar diferenças interessantes sobre as pessoas, o serviço local de saúde, sistemas de crenças e muito mais.

  • Acompanhe a vida de uma vacina: Onde é que tudo começou? Como é que chega às pessoas? Isso pode revelar muito sobre a dificuldade em dar vacinas àqueles que necessitam.

  • Converse com um centro de saúde local para descobrir o que acontece quando alguém tem uma reação adversa à vacina. Qual é o sistema no país para investigar incidentes adversos após a vacinação? Como descobrem se uma determinada reação estava realmente relacionada com a vacina?

  • Entreviste alguém dando vacinas na cidade e, em seguida, numa área remota. Quais são as diferenças entre os desafios que enfrentam?

Ouça o webinário na íntegra (em inglês) aqui. Para saber mais sobre o concurso do ICFJ, clique aqui.

Imagem cortesia da Gates Foundation