Erica Anderson do Twitter oferece dicas para jornalistas e redações

porMargaret Looney
Oct 21, 2013 em Redes sociais

Se alguém sabe o poder do Twitter para o jornalismo é Erica Anderson. Ela ajuda jornalistas e figuras públicas a aproveitar a plataforma ao máximo.

Anderson, gerente de marketing do Twitter, lançou um conjunto de ferramentas digitais para jornalistas, Twitter for Newsrooms, em 2011. Nesse ano, ela também co-produziu uma sessão online de Barack Obama, em que ele se tornou o primeiro presidente americano a tuitar ao vivo.

Antes disso, ela trabalhou como estrategista digital para a âncora do CBS News, Katie Couric, em Nova York. Anderson ganhour fama com a conta no Twitter @EricaAmerica, enquanto jornalista cidadã e repórter de mochila cobrindo a eleição presidencial de 2008 para a MTV News.

"Como alguém que estudou jornalismo, para mim há um tipo de interconectividade entre Twitter e nossa indústria que é realmente inerente e interessante", disse ela durante uma apresentação no Centro Internacional para Jornalistas no dia 3 de outubro. "Eu olho para o Twitter como uma ferramenta fundamental para dar e compartilhar notícias, para conduzir conversas em torno do que lhe interessa e para envolver o seu público."

Aqui estão algumas de suas dicas para tirar proveito máximo da plataforma:

  • Envie tuites via SMS.

Ter sua conta do Twitter ligada ao seu telefone celular pode ser útil quando você está na rua, especialmente em países onde é difícil para visitantes ou recém-chegados obter um plano de comunicação acessível. Apenas digite "START " ou " SIGNUP " a um código específico do país e você pode começar a tuitar mensagens de texto diretamente para sua página.

"O Twitter permite 140 caracteres, porque 160 caracteres é o tamanho máximo no celular, por isso sempre foi um serviço baseado em mensagens de texto", disse Anderson.

  • Não importa o número de caracteres, escreva o melhor tuite que puder.

Algumas pessoas preferem usar menos do que os 140 caracteres permitidos, tornando mais fácil para as pessoas retuitarem a mensagem porque não terão que editar o tuite. Mas Anderson sugere aproveitar o espaço que sobra.

"Otimize para escrever um grande tuite que as pessoas queiram compartilhar; bom conteúdo é bom conteúdo", disse ela.

  • Construa uma relação entre a redação e o que seus jornalistas estão tuitando.

Quando os jornalistas tuitam suas histórias antes da redação, ou oferecem os tuites de notícias urgentes, às vezes pode ser difícil definir a relação de trabalho, mas a BBC encontrou uma boa maneira de aproveitar sua equipe.

Paul Danahar, chefe do escritório da BBC no Oriente Médio, cobriu os acontecimentos na Síria quando muito poucos jornalistas podiam entrar no país. Ele também tuitou ao vivo sobre a queda de Muamar Kadafi da Líbia a partir de sua própria conta no Twitter. A BBC aproveitou sua cobertura de Danahar e usou seus melhores tuites como lides para matérias completas .

  • Use clientes como TweetDeck para encontrar algo inteligente no meio do barulho.

TweetDeck, que foi comprado pelo Twitter em 2011, é uma ferramenta que permite monitorar vários tópicos, pesquisas e contas de uma forma simplificada. Mas o verdadeiro poder desta ferramenta reside na sua capacidade de filtrar as informações por uma série de fatores para encontrar rapidamente a informação que você precisa, permitindo excluir temas por palavra ou usuário que são irrelevantes para a conversa.

Filtre por listas públicas ou privadas, por usuários verificados, por tipo de conteúdo (como tuites com vídeos ou imagens), ou por determinadas palavras. Você também pode filtrar por nível de engajamento para ver apenas os tuites de alta qualidade, incluindo apenas aqueles que receberm um número mínimo de retuites ou interação.

  • Use hashtags à vontade.

Os hashtags estão sendo alvo de um monte de críticas hoje em dia, mas isso não significa que sejam inúteis. Anderson disse que pesquisas do Twitter mostram que hashtags ajudam a aumentar visibilidade. "Nunca tenha um evento sem hashtag", disse Anderson. "É o lugar mais óbvio onde o hashtag é muito útil."

Mostre o tag escolhido com destaque durante todo o evento, seja em materiais impressos ou nos quadros brancos ou em projeção, juntamente com o nome da pessoa no Twitter que se apresenta no evento. Acesso fácil acesso a esta informação ajuda os participantes a levarem a conversa adiante online.

  • Use Twitter para campanhas de crowdsourcing.

Se sua redação quer envolver o público em uma conversa sobre um assunto específico, faça com que a página principal de Twitter do meio junte forças com as contas dos jornalistas. Crie um "texto de tuite " em torno de uma questão particular, e peça para que cada jornalista publique o tuite em momentos diferentes, em seguida, monitore as reações.

"É como se estivesse procurando por ouro. Talvez você veja respostas de alta qualidade imediatamente, talvez não", disse Anderson. Você também pode tentar mencionar pessoas [usando @] que sejam especialistas na área e pedir que compartilhem seu tuite. Mas tente estabelecer relações com especialistas em primeiro lugar. Siga-os, marque seus tuites como favoritos ou se envolva com eles de uma maneira sincera antes de começar a pedir favores.

Margaret Looney, assistente editorial da IJNet, escreve sobre as últimas tendências de mídia, ferramentas de reportagem e recursos de jornalismo.

Foto: (1) Cortesia de Anderson e (2) Anderson (em pé) junto à equipe do ICFJ, cortesia de Irene Moskowitz