Equipe da NBC News testa técnicas alternativas de vídeo

porRicardo Bilton
Feb 5, 2018 em Jornalismo multimídia

O futuro do vídeo na NBC News não está em sua sede na 30 Rockefeller Plaza: está em um espaço de colaboração perto da Union Square.

O "Left Field" da NBC, uma unidade de vídeo experimental de 12 pessoas, foi lançado em julho passado com uma missão simples mas estrategicamente vital: experimentar novas formas de geração de reportagem, produção e entrega de notícias de vídeo, com foco especial nos hábitos e preferências entre consumidores jovens de notícias. Trata-se de parte equipe de vídeo digital e parte unidade incubadora de tecnologia emergente.

Os primeiros projetos da equipe oferecem uma ideia do que esse futuro pode parecer. Em um recente vídeo sobre a realidade das resoluções de Ano Novo, o "Left Field" usou o Tilt Brush, a tecnologia de pintura 3D de realidade virtual do Google, para ilustrar pontos em tempo real. O vídeo veio após um vídeo semelhante de "realidade mista" que explica as raízes neurológicas do sentimento de indignação, transmitido no Facebook Live. Outros vídeos recriaram o pouso na lua, tentaram recriar o som de zumbidos e estimaram gastar a fortuna de Jeff Bezos.

Matt Danzico, diretor do "Left Field", disse que o vídeo "Tilt Brush" foi um dos projetos mais legais da equipe até agora porque oferece uma visão de como os produtores de vídeo podem usar a realidade virtual para explorar novas formas de contar histórias familiares. Como os elementos na tela são apresentados em tempo real, não requerem nenhum trabalho de pós-processamento, permitindo que os criadores experimentem de forma rápida e fácil. O vídeo de resoluções do Ano Novo, por exemplo, levou apenas cinco horas para editar. O "Left Field" já está pensando em outras aplicações da tecnologia de pintura em 3D, como o uso em segmentos de transmissões de notícias ao vivo.

"Nós vimos o que as pessoas já estavam fazendo com a animação e achamos ótimo, mas queríamos pensar sobre como será a animação daqui a quatro anos e ir lá", disse Danzico. "Não sei se será o futuro --nenhum de nós sabe-- mas faz parte da nossa missão experimentar."

Mas Nick Ascheim, chefe de digital da NBC News, enfatizou que o "Left Field" não foi desenvolvido para fazer experiências só por fazer. Em vez disso, a equipe tem uma missão muito real de ajudar a NBC News a aprender o quanto puder sobre quais tipos de produção e entrega de vídeos atraem os mais jovens consumidores de notícias, algo que tem implicações reais para a empresa. Apenas 8 por cento dos americanos entre 18 e 29 anos dizem que recebem suas notícias pela TV aberta frequentemente e apenas 10 por cento recebem suas notícias pela TV a cabo.

Ascheim disse que está ciente do desafio. "Conhecemos muito sobre como fazer televisão linear e estamos fazendo isso há muito tempo, mas há uma geração de pessoas que atualmente não possui assinaturas de TV a cabo e que não terão assinaturas de TV a cabo, e estão começando a formar hábitos diferentes em torno de como consomem as notícias", disse ele.

Ele acrescentou que é por isso que também está pensando na ideia de experimentação "a longo prazo", o que implica que as aplicações diretas dos experimentos ainda estão muito distantes. "Nós temos que começar a responder estas perguntas agora. É importante para nós colocarmos algum investimento real nisso, não apenas em dólares, mas também em energia criativa, para chegarmos a uma resposta."

Além de experimentar com novas tecnologias, o "Left Field" também passou muito tempo aprimorando sua produção de documentários, construídos para "ajudar os espectadores a entender os humanos que os cercam", disse Ascheim. O vídeo mais popular do "Left Field" no YouTube, onde reúne 24.000 assinantes, é sobre os "Proud Boys", um grupo de ativistas de direitos dos homens no Texas. Outros vídeos bem-sucedidos abordaram abusos dos direitos humanos nas Filipinas, o que os adolescentes sul-coreanos pensam dos norte-coreanos e um museu sueco de invenções fracassadas. Os documentários são curtos, bem produzidos e projetados para consumo no YouTube e outras plataformas de vídeo.

Muito do que o "Left Field" fez até agora teria sido mais difícil de conseguir se a unidade fosse alinhada ao resto da equipe da NBC, argumentou Danzico. O funcionamento de um espaço de colaboração foi uma dádiva para a operação, que se beneficia da proximidade de outras pequenas startups e de estar longe da agitação do dia a dia da sede da NBC News. "Posso deixar as pessoas se fecharem num quarto por dois meses consecutivos e criar este hardware novo e diferente e oferta de vídeo. Eles não teriam tido essa chance se alguém estivesse de pé sobre eles e olhando para cada movimento", disse ele.

Ao mesmo tempo, o "Left Field" busca garantir que suas ideias cheguem até a maior operação da NBC News. Para esse fim, vários departamentos da NBC fazem visitas quase diárias aos escritórios do "Left Field" para discutir projetos, compartilhar as melhores práticas e descobrir como podem trabalhar com a equipe.

"É uma via de mão dupla", disse Ascheim. "Queremos as ideias que eles estão desbravando para o digital e a TV, mas também queremos que coisas que estamos fazendo aqui influenciem o que eles estão fazendo lá."

Este artigo foi publicado originalmente no Nieman Lab. Foi resumido e reproduzido na IJNet com permissão. 

Imagina principal sob licença CC no Flickr via Guido van Nispen