El Faro.net abre caminho para os jornais online na América Central

por Monica Bentivegna
Dec 13, 2009 em Jornalismo básico

O site El Faro.net, um dos poucos jornais online na América Central, apresentou uma versão renovada de seu site de notícias com o objetivo de conseguir um suporte melhor para seu conteúdo noticioso e investigações. Com este relançamento também pretende realçar a cobertura interativa do site, gerar novas fontes de renda e desenvolver um modelo sólido de negócio.

O novo site abre o caminho para outras mídias online, que podem reproduzir modelos sustentáveis de notícias de qualidade similares na região.

Tree Elven (foto), jornalista, especialista em novas mídias e bolsista da Knight, liderou este projeto com o principal jornal online de El Salvador para desenvolver um novo design que resolveu muitos problemas como: notas ou artigos apresentados em uma página só, seções obsoletas, falta de CMS (sistema de gestão de conteúdo), página principal ‘feita à mão’, pouco espaço para a comunidade, design visualmente antiestético e falta de espaço para publicidade e sistema de seguimento (tracking system).  

El Faro.net — criado em 1998 — era reconhecido pelas notícias independentes e investigações, mas estes não estavam apresentados devidamente, o que atrapalhava o progresso comercial, disse Elven em uma recente entrevista à IJNet.  

IJNet: Qual foi a filosofia por trás do novo design do El Faro.net?
TE: O objetivo foi acrescentar a seção de comunidade e comércio ao conteúdo existente para torná-lo mais atrativo aos leitores e anunciantes; e dessa forma, como primeiro passo, assegurar a distribuição contínua das notícias e a sustentabilidade e, como segundo, o espaço para um crescimento apropriado.

Entre os benefícios a curto prazo esperamos o reestabelecimento do El Faro como um serviço de notícias inovador e vanguardista na distribuição digital e de conteúdo, o aperfeiçoamento da seção comunidade, e a capitalização da lealdade dos leitores.

El Faro também irá encarar novas possibilidades de geração de rendas através de sindicação (distribuição de conteúdo), capacitação, conferências e mais: um novo papel como condutor de ações sociais, como, por exemplo, microdoações dos leitores. O site pode se converter em um modelo exemplar de meios independentes sustentáveis e, portanto, de serviço a pequenos meios digitais na região.

IJNet: O modelo online deste site foi pensado desde o começo?

TE: Sim, no sentido de que focamos em identificar as necessidades do El Faro.net e o perfil antes de examinar o que estava acontecendo em outros lugares e sem nos distrair com a ideia de que só há uma solução em algum lugar.

Investimos bastante tempo no aspecto de decidir o que o El Faro significa realmente para a audiência, que direção tomar e quais experimentos seriam caros! Criamos uma espécie de fundo comum para gerar uma ideia geral, interna e externa, do cenário midiático, e assim criar a trajetória mais promissora para o El Faro.net.

IJNet:  Isso é algo que a mídia da América Latina poderia seguir?
TE: Esperamos que possa servir de inspiração para que outros meios optimizem o rendimento de sua distribuição e apresentação. Lamentavelmente existe a percepção de que o design novo seja algo que acontece ‘em outro lado’, que é técnico. De fato, é necessária bastante colaboração de todos os departamentos — especialmente da redação — para que funcione bem.  

IJNet: Que novos elementos da narração multimídia são permitidos neste site?

TE: El Faro.net já contava com um canal de vídeo transmitido pelo YouTube. O novo site permite mais rapidez na apresentação e distribuição de vídeos, fotos e rádio. Estes — além de fazerem parte do conteúdo geral — contam com sua própria seção para atender a demanda dos leitores por formatos específicos. Por outro lado, El Faro conseguiu uma nova forma de narração, uma mistura multimídia que funciona bem no novo site.

IJNet: Que redes sociais foram incorporadas ao novo design?
TE: Sobretudo Facebook e Twitter até o momento, porque ambos surgiram como sólidos líderes entre os meios sociais, são conhecidos mundialmente e satisfazem as necessidades do El Faro. O Twitter serve como instrumento importante para notícias de última hora e o Facebook oferece um fórum para incentivar a lealdade do leitor.

IJNet: Qual foi a visão em relação à publicidade? Este site oferece nova tecnologia para atrair anunciantes?
TE: A ideia sempre foi fazer do El Faro.net um site mais atrativo para os anunciantes, oferecendo aos leitores uma boa simetria entre a redação e a administração. Passamos muito tempo com o designer e os chefes de redação e administração para chegar a uma combinação bem integrada. O novo site oferece mais espaço para publicidade nos padrões do IAB (Interactive Advertising Bureau). E em  2010, El Faro.net oferecerá um sistema de seguimento OpenX (aprovado pelo IAB) para as campanhas publicitárias de seus anunciantes.

IJNet: A tecnologia atualmente disponível na região é suficiente para criar jornais online que dão conta de material multimídia de última geração?
TE: Sim, se a pessoa tem um servidor resistente e muita criatividade pode utilizar um CMS de código aberto [open source] para conseguir um bom impacto com funcionalidade. As ideias e a tecnologia estão à mão, não têm que custar uma fortuna, mas devemos ser seletivos.

Para El Faro.net usamos Campsite que não limitou o design. É uma questão de estabelecer as necessidades da redação e assim ajustar a tecnologia a estas necessidades. Todos têm que trabalhar em equipe para que funcione. A redação talvez não se dê conta das possibilidades tecnológicas disponíveis e os designers tecnológicos talvez não entendem as necessidades da redação. Se todos se entendem, os designers, por exemplo, podem alertar a redação sobre as últimas novidades tecnológicas.

IJNet: Como vê o futuro dos jornais online na região? Serão viáveis?

TE: Tão viáveis como em qualquer parte do mundo. Se oferecem informação confiável e são flexíveis em meio a novas circunstâncias, a resposta é sim. Os leitores online são exigentes e podem encontrar outras fontes de informação, mas tendem a preferir uma voz de confiança.

Trata-se da capacidade de adaptar-se. Isto inclui a redação e a administração, que devem encontrar novas formas de mútuo acordo, o qual pode ser difícil em certas circunstâncias. Porém, acredito que é fundamental que todos participem da mudança sem por em risco o propósito principal do jornal.

O caminho que não se deveria tomar é pensar que existe uma ‘só solução’. O mais importante é entender seu produto e leitores e aí ser criativos. Hoje não existe uma fórmula única ou solução simples.

Clique aqui (em espanhol) para visitar o El Faro.net. Para conhecer mais sobre o projeto e o Knight International Journalism Fellowships, clique aqui (em inglês).