Dicas de um projeto multimídia de sucesso no Paquistão

porSara Olstad
Sep 19, 2016 em Jornalismo digital

Em 2015, Shaheryar Popalzai, bolsista Knight do ICFJ, foi incorporado no Express Tribune, um dos maiores jornais diários do Paquistão, para ajudar a projetar e construir projetos de mídia online baseados em dados. “For Peshawar”, o principal projeto de Popalzai com a equipe do Tribune Labs, memorializa o primeiro aniversário de um ataque terrorista que matou 147 pessoas, muitas delas crianças, em uma escola do exército no norte do Paquistão.

A matéria multimídia foi indicada ao prêmio de jornalismo online 2016. Os prêmios foram apresentados na Conferência da Online News Association, em Denver.

Popalzai falou à IJNet sobre como ele e a equipe Express Tribune Labs trabalharam com repórteres em editorias diferentes para desenvolver o projeto e como outras redações podem replicar seu sucesso.

IJNet: De onde veio a ideia para este projeto? Quanto tempo demorou para ser produzido?

Popalzai: O aniversário do ataque em Peshawar seria em alguns meses de distância, mas decidimos que era importante para nós fazer um projeto muito grande que fosse como um tributo para aqueles que perdemos e uma auditoria sobre o que o governo fez até agora. Achamos que seria uma montagem no estilo de anuário com imagens de todas as pessoas que perdemos, mas, [essa ideia] evoluiu à medida que começamos a falar sobre isso e se transformou em algo muito maior, com mais componentes de reportagem.

A equipe inicial era de apenas três pessoas. Era eu, o editor-chefe digital Hassaan Khan e o editor do Tribune Labs de Shayan Naveed. A fase de planejamento foi umas duas semanas... Depois disso, fomos direto para o editor do jornal e dissemos 'isso é o que precisamos e precisamos de sua ajuda para conversar com as edições impressas'. Ele enviou uma nota a todos os chefes de editoria relevantes dizendo 'nossa equipe está trabalhando neste projeto, vocês devem ajudá-los', e depois [os chefes de editoria] começaram a atribuir repórteres para fazer as matérias que precisávamos. O conteúdo real da matéria começou a chegar cerca de duas semanas antes da data real de publicação, e o desenvolvimento técnico começou cerca de uma semana mais tarde... No total, mais de 15 pessoas de quatro equipes diferentes trabalharam no projeto.

Qual foi o seu papel no projeto?

Eu participei do planejamento do projeto quando decidimos o tipo de histórias que queríamos. ...Uma vez que o conteúdo começou a entrar, coordenei o lado técnico das coisas com o desenvolvedor que contratamos especificamente para este projeto.

Depois que a equipe Labs editou todas as histórias, o designer entregu o layout e nos deram o conteúdo e começaram a reunir tudo; a infraestrutura do projeto se transformou em um CMS porque achamos que uma solução simples de HTML não iria funcionar para nós. Eles não têm um desenvolvedor que trabalha na redação, por isso teria sido difícil para eles modificarem um monte de HTML. Nós acabamos construindo uma solução que se quisessem eles poderiam voltar e corrigir alguma coisa.

Que conselho daria para redações que estão começando projetos digitais em grande escala?

Muitas pessoas acham que é muito difícil fazer tais projetos e que não vai ser fácil gerenciá-los ou mesmo entregá-los ou desenvolvê-los, mas não é realmente [difícil]. Você só precisa de uma boa equipe de desenvolvimento e uma equipe de conteúdo que vai cumprir com os prazos. Em muitos casos, as pessoas acham que os repórteres de imprensa podem não se sentir bem trabalhando no digital, mas no momento que veem o potencial que têm para o digital, isso foi uma grande mudança para nós. Por exemplo, repórteres de TV [quando] fazem reportagem na televisão, a matéria desaparece. Mas com o digital, fica lá e é imortalizado. Isso deu a repórteres da imprensa escrita a chance de colocarem por escrito, de que podem ser lembrados. Ser indicado para o Prêmio de Jornalismo Online é uma grande motivação para eles.

Para mim, o projeto enfatizou o fato de que poderia entregar o lado técnico das coisas em tão pouco tempo. ... As pessoas tendem a pensar que o lado técnico das coisas vai atrasar o projeto ou pode não ser fácil de fazer, mas uma vez que você tem tudo definido, a tecnologia pode ser fácil de entregar. Uma boa parte da tecnologia é de código aberto agora. Essa é a beleza da comunidade dos jornalistas e tecnólogos, ...as pessoas estão dispostas a se ajudarem. Mesmo que a sua organização de notícias não tenha este tipo de recursos para grandes projetos digitais, há muito código aberto ou soluções prontas que podem ser implantadas.

Imagem cortesia do projeto "For Peshawar" do Express Tribune