Dicas de pauta de quem trabalha lendo propostas de reportagem

porJessica Weiss
Dec 3, 2014 em Freelance

Storyhunter, uma plataforma que conecta jornalistas freelance de vídeo com as editorias desde 2012, está agora aberta a jornalistas de imprensa, fotógrafos e mais.

A expansão além de vídeo é baseada principalmente na demanda das editoras que precisam de um conjunto de habilidades mais amplo, como fixadores, tradutores, narradores, redatores, fotógrafos e gravadores de som, explicou o cofundador e presidente-executivo Jaron Gilinsky. Gilinsky trabalhou como jornalista freelance de vídeo por oito anos antes de lançar a plataforma.

Storyhunter está focada em ajudar o jornalista freelance, ou "Storyhunters," a ganhar a vida. Para isso, os jornalistas verificados podem usar o sistema de quatro maneiras, para: 1) encontrar trabalho, 2) comunicar facilmente sobre as expectativas em um projeto, 3) acesso a seguro e 4) facilitar os pagamentos.

No outro lado, os editores podem usar o banco de dados para encontrar um Storyhunter em um lugar específico ou com um conjunto de habilidades necessárias e, em seguida, encomendar um trabalho.

Gilinksy enfatizou que Storyhunter não é uma plataforma de jornalismo cidadão. "Nós ainda vamos ser rigorosos sobre quem entra", disse ele. "Nós só trabalhamos com profissionais qualificados verificados."

A IJNet conversou recentemente com Gilinksy sobre dicas para escrever uma ideia de pauta. Embora essas dicas são voltadas para usuários do Storyhunter, podem ser úteis para qualquer freelancer, em qualquer lugar.

1. Conheça o editor e seu público

É extremamente importante se familiarizar com a publicação para a qual você está propondo uma pauta, disse Gilinksy. A plataforma Storyhunter permite ao usuário ler o perfil pessoal de um editor, bem como o perfil da publicação. Além disso, é uma boa ideia "assistir, ler e analisar um grande número de matérias de um editor antes de escrever para a publicação pela primeira vez", disse ele. "Isso vai ajudar você a saber se já fizeram alguma coisa sobre o tema, bem como compreender melhor suas normas editoriais, estilo e tom."

2. Escreva uma ótima frase na linha de assunto

Para chamar a atenção de um editor ocupado, uma linha de assunto cativante é crucial. "O objetivo aqui é a intrigar um editor e fazê-lo querer aprender mais, em menos de 10 palavras", disse Gilinksy. "Ao mesmo tempo, deve realmente retratar o tema que você vai explorar na matéria."

3. Comunique importância, oportunidade e acesso

Em duas ou três frases, sua proposta deve explicar "por que a matérias é importante, por que tem valor noticioso e por que é surpreendente", disse Gilinksy. Tente incluir respostas a todas as perguntas que um editor poderia fazer, como: "Por que essa história precisa ser contada? Por que agora? Por que você é o melhor jornalista para fazê-lo? Como a informação em sua matéria é útil para o seu público? Você está gerando uma sensibilização sobre um problema ignorado? O ângulo da história é uma nova maneira de olhar para uma questão relevante? Você tem um acesso que nenhum outro jornalista tem?"

4. Inclua visuais e links

Imagens realmente falam mais que mil palavras. "Se você tem acesso a imagens ou vídeo do seu sujeito principal, inclua na proposta", disse Gilinks. "Mesmo que seja uma matéria impressa, visuais podem ajudar a apoiar a sua proposta, ajudando o editor entender o sujeito um pouco mais."

5. Faça a proposta da pauta para os seus amigos

Gilinsky sugeriu o uso de "validação social" para saber quando você tem uma grande história. "Vá a um bar ou café e casualmente fale sobre a ideia de pauta para seus amigos. Eles ficam intrigados e interessados em saber mais sobre a história? Se não, tente descobrir o porquê. "O feedback de pessoas comuns que consomem notícias diárias é muitas vezes a melhor maneira de aperfeiçoar a sua proposta antes de enviá-la a um editor.

Foto cortesia de Fabrizio Rinaldi no Flickr sob licença CC