Dicas de fotografia para jornalistas: Erros amadores e prós e contras da fotografia

porJarod Phillips
Mar 14, 2012 em Jornalismo multimídia

A IJNet conclui sua série de dicas para jornalistas de vídeo e fotos com um resumo sobre o que capturar em uma imagem, erros em fotos amadoras e os prós e contras da fotografia.

O que fotografar

Ação

Podemos considerar imagens de cinema e movimento como sinônimos, mas boas fotos pode mostrar movimento também. Isto não tem precisa ser fotos de esportes e carros -- movimento pode ser uma pessoa se inclinando para uma conversa. Também pode ser as mãos fazendo um gesto para enfatizar um ponto da fala. Uma ação diz ao público que algo está mudando e o sujeito faz parte da ação.

Emoção

Isso é muitas vezes o mais difícil de encontrar, mas é o que mais comunica uma mensagem. Rir, chorar e franzir a testa em um sujeito pode criar uma ligação com o público através da simpatia. As pessoas naturalmente tem vontade de rir quando outros riem e chorar quando outros choraram. Esta empatia que nos liga pode acontecer nas fotos. Aprender a incorporar emoção em fotos vai fazer com que o público sinta a mensagem em vez de apenas vê-la.

Erros amadores

  • Fotos de grupos: É difícil fazer uma pessoa sair bem na foto, quanto mais 20. Fotos não são uma boa maneira de mostrar a magnitude de um programa. Palavras funcionam melhor.
  • Pose com troféu: Esta é a foto clássica de uma pessoa segurando um prêmio, cheque, certificado, etc. Estas imagens parecem forçadas tanto para o sujeito como para o público. Busque imagens de emoção: as lágrimas de orgulho de uma mãe, o sujeito abraçando amigos, etc
  • Pessoas no computador: Não é uma ação verdadeira. Quase nunca parece que a pessoa está fazendo alguma coisa. Computadores são usados ​​em quase toda parte por quase todas as profissões. É o visual equivalente a mostrar alguém com uma caneta ou lápis. Tudo bem de ter um computador na foto, mas não o torne o principal elemento visual.
  • Ficar em uma imagem: Se você quiser fotos ativas em movimento, tem que ser um fotógrafo ativo em movimento. Além disso, a distância entre você e o objeto pode mudar a aparência das distâncias e o ângulo ao fotografar pode afetar a maneira como a luz caracteriza a imagem. Usando ângulos e distâncias diferentes, você aumenta suas chances de conseguir uma foto melhor.

Escolha com cuidado

Há muitas maneiras de contar uma história e fotografia é apenas uma. Fotografia não é o melhor meio para cada tarefa. Uma história pode ser melhor contada com um recurso de áudio, uma reportagem escrita ou em vídeo. Se optar por contar a história com fotos, certifique-se de usar o meio pelo seus pontos fortes.

Pontos fortes

  • Fotografia é o mais acessível meio de comunicação visual. É mais barato e gasta menos tempo que animação ou filme. Também requer menos equipamento e espaço de armazenamento digital.
  • Fotografia é muitas vezes o mais rápido meio de comunicação visual. Não é incomum filmar no local e ter fotos prontas no mesmo dia. Isso raramente é possível com vídeo.
  • Uma foto realmente pode valer mais que mil palavras, se for feita corretamente. Fotos têm a capacidade de mostrar histórias muito complexas, que às vezes não podem ser bem contadas com palavras.
  • As pessoas se comunicam sem f alar em todas as situações. Descrever comunicação não-verbal na escrita pode parecer tendencioso e injusto, mas uma foto pode captar sinais não-verbais, sem comprometer a credibilidade do repórter.

Pontos fracos

  • Às vezes, é difícil ligar a foto de um sujeito às suas palavras. Vídeo é tipicamente melhor e estabelece uma conexão entre as ideias do sujeito e o público.
  • Fotografias significam mais em contexto. Fotos normalmente dependem de outros meios de comunicação para dar este contexto. Vídeo e artigos escritos são melhores sozinhos.
  • Fotos precisam de movimento, ação e emoção visível. Não são boas para conferências ou reuniões.

Foto usada com licença do tipo CC no Flickr via Max Mayorov