Datafest na Argentina promove colaboração e transparência

porSandra Crucianelli
Nov 8, 2012 em Jornalismo colaborativo

No passado, os jornalistas acreditavam que dados podiam ser utilizados para descrever ou ilustrar uma informação, mas não para compartilhar de forma acessível e reutilizável.

Isso mudou. O surgimento dos "dados abertos", junto com a necessidade de melhorar a transparência e a qualidade do jornalismo, além do poder das redes sociais, os usuários sendo criadores ativos de conteúdo -- todos esses fatores estão causando um impacto bastante significativo na mídia, maior do que nós poderíamos ter imaginado poucos anos atrás.

Dados são cada vez mais compartilhados, não só com o público, mas em eventos especialmente concebidos para colegas em diferentes meios de comunicação, programadores e especialistas em análise estatística.

Esta mudança ficou clara há poucos dias quando o primeiro Data Festival na Argentina generosamente abriu as suas portas para acolher jornalistas, inovadores, acadêmicos e empreendedores de várias disciplinas, reunidos por uma paixão comum: a curiosidade e o desejo de descobrir informações, utilizando novas ferramentas mas aplicando o processo de investigação jornalística tradicional, que inclui desenvolver uma hipótese e, em seguida, submetê-la a uma revisão crítica.

A equipe de dados do jornal La Nación e a Universidad Austral hospedou esta iniciativa de dois dias que atraiu mais de 250 participantes. Os organizadores mostraram-lhes projetos de dados existentes e os participantes receberam um souvenir digital: algo tão simples como um link, mas muito poderoso.

Pode ser apenas um link, mas contém uma riqueza de informações que seria muito difícil para um repórter ou um cidadão reunir sozinho. O link é como um farol iluminando o caminho: levando a uma mina de dados, algo difícil de encontrar na Argentina.

Como parte da equipe de dados do La Nación, tive muita sorte de fazer parte deste projeto, talvez o primeiro de seu tipo na América Latina. Nós trabalhamos durante meses de maneira formal e informal para criar um conjunto de dados dos Censos 2001 e 2010.

O primeiro Data Festival da Argentina foi um sucesso, com o apoio do ICFJ através do Knight International Journalism Fellowships Program, da Knight Foundation e outros patrocinadores que forneceram conteúdo e valor como o Google, Junar e SPSS, entre outros.

Um painel online sobre a tarefa intensiva de mineração de dados apresentou uma variedade de temas como a implementação do orçamento público para o ambiente, uma comparação entre os últimos censos nacionais, uma análise da distribuição de publicidade oficial, bem como discursos presidenciais, relatórios do escritório do Auditor Geral, as decisões tomadas pelo judiciário e documentos registrando os subsídios dados à indústria do transporte.

Um tema geral desenvolvido ao longo do festival foi a promoção da transparência e a importância de assumir um papel de defensor da sociedade, metas promovidas por cidadãos interessados ​​no bem comum.

_Sandra Crucianelli é bolsista do Knight International Journalism Fellowship, uma jornalista investigativa e instrutora, com especialização em recursos digitais e jornalismo de dados. Ela trabalha como consultora para o jornal La Nación na Argentina._