CrowdVoice.by conecta jornalistas com vídeos verificados de protestos

porSam Berkhead
Mar 21, 2016 em Diversos

À primeira vista, CrowdVoice.by, da Mideast Youth, uma organização de direitos civis no Bahrein, parece ser outro site que hospeda vídeos e imagens de protestos, movimentos de justiça social e outras histórias em curso capturadas por testemunhas com smartphones.

Mas o site é mais do que apenas um repositório de conteúdo gerado pelo usuário; a plataforma incrementa estes filmes com estatísticas e dados verificados para contextualizar as imagens e vídeos. CrowdVoice.by também permite que seus usuários recolham, classifiquem e façam crowdsource de conteúdo gerado pelo usuário, permitindo que pesquisadores e jornalistas encontrem facilmente vídeos de primeira mão de eventos ao redor do mundo.

Até agora, CrowdVoice foi referenciado ou usado em reportagens dos jornais Guardian, Al Jazeera, Los Angeles Times e outras mídias em todo o mundo.

Esra'a Al Shafei, fundadora e diretora executiva do Mideast Youth, conversou com a IJNet sobre CrowdVoice.by e como o site traz histórias pouco reportadas para a primeira página. 

IJNet: Quem cria o conteúdo que aparece no CrowdVoice? Vocês buscam o conteúdo de jornalistas cidadãos e similares, ou qualquer pessoa pode enviar conteúdo de testemunha ocular?

Al Shafei: Os temas, ou "vozes", no CrowdVoice ou são submetidos pelos visitantes do site ou são criados por nossa equipe de pesquisa. Quando uma "voz" é aprovada e estabelecida, qualquer pessoa pode enviar conteúdo para o feed de mídia. Além disso, o site usa um agregador que puxa conteúdo da mídia social através do uso de hashtags ligadas a um movimento.

Como é que o CrowdVoice decide quais movimentos de protesto apresentar?

Muitas das nossas vozes são enviadas por usuários participantes de protesto ou ativistas interessados em um evento particular. Nossa equipe virtual também envia vozes relacionadas com questões em suas regiões. Por exemplo, temos membros da equipe na Índia e México que acrescentam regularmente o conteúdo local. Em áreas onde CrowdVoice não têm uma equipe presente, buscamos informações no Facebook e Twitter sobre os movimentos que estão ocorrendo em todo o mundo e criamos feeds de mídia para arquivar conteúdo relevante. No geral, o CrowdVoice concentra-se fortemente sobre temas que são pouco reportados ou esquecidos pela grande mídia.

Descreva o sistema de verificação do site. A verificação feita através de crowdsource (com colaboração do público) é normalmente precisa? 

A verificação por crowdsource é supervisionada por nossa equipe, que elimina coisas como mídia controlada pelo Estado, discurso de ódio, propaganda óbvia e informações desatualizadas. Por outro lado, cada movimento tem fontes que são consideradas dignas de confiança, como um meio de comunicação respeitado ou um coletivo de jornalistas cidadãos documentando eventos na rua. Na maioria das vezes, a mídia também pode ser correspondida  com sua fonte original, como o Twitter ou o YouTube, para ver o tipo de engajamento que está recebendo da comunidade lá. Se há qualquer dúvida de que um artigo de mídia pode ser inautêntico ou dissimulado, é omitido. Naturalmente, é impossível com a verificação de crowdsource garantir a veracidade de tudo o que é enviado, mas nós fazemos o nosso melhor para ter certeza de que não estamos apresentando desinformação.

Com os infográficos do CrowdVoice, as estatísticas utilizadas provêm de organizações de monitorização estabelecidas, tanto locais como internacionais, tais como o ACNUR, ou a partir de dados do governo. Essas fontes estão disponíveis através de links ligados a nossos infográficos.

Existem questões éticas potenciais em relação à curadoria de conteúdo de testemunhas oculares? Como você lida com essas questões?

O CrowdVoice não professa propriedade sobre qualquer conteúdo que deriva de outras fontes, e cada artigo de mídia pode ser facilmente rastreado até sua fonte original com o clique de um botão. Se o conteúdo é removido do local onde foi originalmente hospedado, também não desaparece dos arquivos do CrowdVoice.

Em termos de conteúdo gráfico ou perturbador, incluímos este tipo de material em nossos arquivos de mídia como um documento apresentado como prova das realidades do conflito. Na criação de matérias originais, adotamos uma política de omitir este tipo de conteúdo, por respeito aos afetados pela violência, de modo a não usar seu sofrimento pessoal para transmitir uma narrativa mais ampla. Se realmente achamos que a inclusão deste material é necessária ou benéfica, o item é acompanhado por uma tela de aviso que permite o usuário a optar em não vê-lo.

Se eu sou um jornalista visitando o CrowdVoice.by, pela primeira vez, que conselho você me daria para começar? 

CrowdVoice.by ajuda os usuários a reunir informações com os outros, de modo que uma rede pode fazer crowdsource juntamente sobre questões ambientais, movimentos sociais e muito mais. É personalizável e incorporável em qualquer página que um usuário gere. O CrowdVoice.org ainda será mantido como um recurso que dá contexto a conflitos e questões de direitos humanos em todo o mundo. No back-end, eles utilizam a mesma tecnologia de crowdsourcing que desenvolvemos, daí a decisão de manter o nome do novo serviço sob a mesma marca.

Os usuários de primeira viagem têm várias maneiras de explorar o CrowdVoice. Eles podem verificar vozes existentes ou usar a ferramenta de busca do site para encontrar informações sobre um determinado tópico. Há também formas de pesquisar dentro de vozes específicas: os usuários podem solicitar apenas determinados tipos de mídia, como vídeo somente, ou consultar o material por data de inclusão para o arquivo. Há também um mapa que mostra todas as vozes por localização geográfica.

Imagem principal sob licença CC no Flickr via Zoi Koraki