Como a reportagem transmídia pode fazer investigações jornalísticas mais transparentes

porMargaret Looney
Mar 24, 2014 em Redes sociais

Jornalistas trabalhando em uma investigação sobre uma grande empresa ou um grupo poderoso podem se beneficiar ao envolver o público desde o início através de uma narrativa transmídia.

Transmídia é uma forma de contar histórias que estende partes de uma narrativa em diferentes plataformas. Em última análise, estas partes separadas, mas relacionadas, compõem uma história coesa. A indústria de entretenimento usa frequentemente de narrativa transmídia para adicionar elementos participativos a filmes ou programas de TV. Documentaristas e jornalistas estão criando projetos como The Land of Opportunity e Half the Sky para misturar filme linear com interativo, elementos online, livros ou convites para ação.

Jornalistas podem aproveitar a transmídia para tornar suas investigações mais transparentes, disse Lance Kramer, um documentarista e jornalista, durante um painel sobre ferramentas narrativas interativas no Interactive Documentary Summit em Washington.

"Uma das coisas legais sobre o jornalismo investigativo é que é uma jornada e você não sabe exatamente onde vai acabar", disse Kramer, co-fundador da Meridian Hill Pictures. "Eu acho que há um potencial, seja com um blog ou qualquer outra coisa, em colocar essas pequenas pistas quando você encontrá-los, o que eu acho que pode realmente envolver com sucesso as pessoas."

Então, em vez de ler o resultado final de uma investigação de meses de duração como uma matéria de formato longo, o público poderia seguir uma investigação que se desenrola no Tumblr ou outra plataforma, "trazendo as pessoas ao longo do caminho e deixando-os animados sobre o que pode estar no final da investigação."

Não só isso pode construir uma audiência ao longo do caminho, fazendo com que potenciais leitores se sintam investidos na história, mas também atribui responsabilidade à pessoa, grupo ou empresa que você está investigando se começa a recuar.

"Se as pessoas que você está cobrindo em tempo real [começar a mexer com você], isso é uma história", disse Patrick White, palestrante e diretor criativo do Arcade Sunshine. "Se você está revelando algo que cause o [o sujeito] reagir, isso é uma história digna de ser contada, especialmente no enquanto se desenrola."

Claro, você corre o risco de ter sua matéria roubada e pode ter algumas coisas que você simplesmente não pode revelar até que a investigação avance, mas traçar o arco da história enquanto ela emerge pode dar a ela a faísca que precisa.

"Pode ser que a jornada de certa forma seja mais esclarecedores do que o que está no fim do túnel", disse Kramer.

Margaret Looney, assistente editorial da IJNet, escreve sobre as últimas tendências de mídia, ferramentas de reportagem e recursos de jornalismo.

Imagem sob licença CC no Flickr via laogooli