Como repórteres podem aproveitar ao máximo os novos recursos do Twitter

porDena Levitz
Dec 10, 2015 em Redes sociais

Com 1 bilhão de tuites novos gerados a cada dois dias, a plataforma se tornou uma ferramenta fundamental na indústria de notícias -- para jornalistas de olho em tendências e acontecimentos, reportagens em tempo real, além de disseminar informação, artigos e multimídia. Quatro de cinco jornalistas agora utilizam o Twitter para achar fontes de notícias e três em cada quatro líderes mundiais têm contas, de acordo com estimativas do Twitter.

A gerente de parcerias de jornalismo do Twitter, Niketa Patel, respondeu a este elevado nível de tração, oferecendo dicas de como aproveitar ao máximo o Twitter em um webinário do Muck Rack.

Mais do que outras ferramentas de mídia social, o Twitter, segunda ela, destaca-se porque é ao vivo, público e coloquial. Aproveitar todas essas três qualidades é um caminho infalível para o sucesso -- e um número alto de seguidores.

Aqui estão outras três áreas-chave elaboradas por Patel:

Vários novos recursos do Twitter podem completar a cobertura.

Pesquisas são uma adição mais recente e algo que qualquer um pode usar. Pesquisas podem ser criadas através do aplicativo ou desktop do Twitter para trazer um pouco de interatividade a um tópico. O programa CBS This Morning usou o recurso no período que antecedeu aos debates presidenciais americanos, pedindo aos usuários para opinar sobre quem ia se sair melhor. Até a campanha da candidata Hillary Clinton usa enquetes. Ao invés de esperar que uma agência de notícias divulgue os números oficiais de votação, a pesquisa é um modo em tempo real para lançar uma questão, seja boba ou útil, e, em seguida, divulgar para o mundo.

O novo recurso Moments faz curadoria de tuites em tempo útil e multimídia em torno de um determinado tema. Segundo Patel, para acessá-lo, basta clicar no raio no topo da página inicial. O Twitter tem atualmente uma equipe de curadoria em Nova York que pesquisa este conteúdo, empacota e torna detectável com um título e descrição. A equipe de curadoria está trabalhando com um pequeno número de organizações como a NASA, Mashable e Getty, cujas imagens apresentam junto com tuites em torno da crise de refugiados.

Vídeo, que tem recebido grande ênfase recentemente, é uma boa maneira de chamar atenção a posts. Basta conhecer a ferramenta de vídeo certa para o que você planeja fazer.

Há três meios principais para postar vídeo no Twitter.

Periscope é um aplicativo de livestreaming que permite que o público tenha a experiência de uma emissora em tempo real. Organizações de notícias estão usando Periscope para transmitir desde uma cena de um protesto ou a um crime, especialmente quanto mais ação se desenrola ou para fornecer um visão de algo intrigante.

Patel descreve Periscope como uma das formas mais íntimas de mostrar material: assim, uma introdução completa com o seu nome, organização de notícias e qualquer contexto ajudam muito. Decida se quer seguir um formato de primeira pessoa, isto é tudo vai através de seus olhos ou transformar em um formato de entrevista, incluindo uma fonte na gravação. Periscope também funciona melhor quando o Wi-Fi na área geográfica é bom, de modo que o feed não seja cortado ou irregular. Paul Ronzheimer do BILDRos Atkins da BBC e AJ+ oferecem bons exemplos de uso do Periscope na redação.

Vines são vídeos curtos em looping que estão se tornando cada vez mais populares. Atualmente, 1,5 bilhão de loops de Vine são vistos diariamente. Este é um recurso melhor para um assunto mais leve ou para capturar um momento único ou imagem, em vez de seguir uma história em curso no Periscope. Você pode conferir bons usos de Vine na notícia com Jim DalrympleCNN PoliticsNow ThisFusion BBC.

E provavelmente menos conhecido é o Snappy TV, adquirido pelo Twitter. O serviço permite ao usuário pegar vídeo pré-gravado e depois cortar e compartilhá-lo em tempo real. É semelhante ao Final Cut Pro, mas mais imediato e utilizável via app móvel do Twitter. A principal dica de Patel é usar apenas o vídeo que pertence a você ou a sua organização de notícias.

Freelancers, como uma classe separada de profissionais de mídia, podem usar o Twitter para melhorar suas carreiras.

Patel sugere que freelancers sigam todas as pessoas-chave em sua editoria ou especialidade área, que usem a rede para obter informações sobre eventos e dediquem energia para tuitar a cada matéria de freelance, empacotando-a bem. "Quanto melhor você pode promover o seu próprio conteúdo mais público você vai conseguir", diz ela. E as empresas de mídia podem não fazer isso para você.

Patel recomenda tornar a sua uma homepage no Twitter em mais uma carta de chamada ou portfólio para mostrar o seu trabalho e ser facilmente acessível. "Um endereço de e-mail em sua biografia pode ajudá-lo a ser contratado como resultado de um clipe bom", diz ela. E considere abrir o recurso de mensagens diretas por um certo tempo para oferecer mais um caminho de contato.

Imagem sob licença CC no Flickr via Esther Vargas