Como redações podem usar Geofeedia para organizar redes sociais por localização

porMargaret Looney
Nov 26, 2013 em Redes sociais

Quando uma notícia acontece, muitas plataformas e ferramentas de mídia social podem mostrar o "quem", "o quê" e "porquê ", mas as buscas por palavras-chave ou hashtags muitas vezes tornam difícil encontrar atualizações a partir do ponto onde a evento está se desenrolando.

A ferramenta de mídia social Geofeedia organiza mensagens provenientes de locais específicos do usuário, selecionando conteúdo do Twitter, YouTube, Flickr, Picasa ou Instagram. As redações que subscrevem ao Geofeedia podem usar a plataforma para encontrar toda a atividade nas redes sociais em torno de uma área específica. Os resultados aparecem em tempo real, 30 segundos depois de serem postados originalmente.

Repórteres podem usar esses posts para obter informações do evento mesmo de longe, para entrar em contato com as fontes para um relato em primeira pessoa do evento ou para encontrar conteúdo gerado pelo usuário para apresentar no site de notícias.

Quando os usuários no Twitter ou outras plataformas de rede social identificam seus locais, suas atualizações subsequentes contêm coordenadas geográficas, tornado possível serviços como Geofeedia. Com a penetração de smartphones no mundo todo ), dados de localização são cada vez mais onipresentes.

O Geofeedia permite fazer busca por localização, palavra-chave, período de tempo, a plataforma de mídia social, usuário e outros termos. Porque os resultados não são filtrados, ainda é responsabilidade do jornalista verificar a informação.

Você pode optar por ver os resultados de duas formas: em um mapa ou em uma exibição de colagem que mostra uma linha do tempo dos posts. Também pode criar Geofeeds, prazos permanentes de streaming em todos os lugares em torno de uma determinado local, cidade ou região. Pode até mesmo desenhar o seu próprio perímetro de busca diretamente em um mapa e salvar essa pesquisa específica para referência futura.

A BBC usou o Geofeedia para reunir conteúdo gerado pelo usuário em vários eventos notícias de última hora, incluindo o tiroteio no aeroporto internacional de Los Angeles, o atentado na maratona de Boston e o furacão Sandy.

A plataforma também é útil para a cobertura de eventos de alto nível que não são notícias de última hora. Por exemplo, a BBC usou o Geofeedia para fornecer uma reportagem em primeira mão e interativa do cortejo fúnebre da ex-primeira-ministra britânica, Margaret Thatcher, em Londres em abril.

As desvantagens: Você só pode usar o Geofeedia para pesquisar o conteúdo dos últimos sete dias, e não há versão gratuita disponível. Redações ou indivíduos podem comprar um passe diário por US$49. Pequenas redações (com menos de 50 funcionários) podem comprar o acesso anual por US$3.000. Redações maiores pagam US$6.000 por ano.

Para mais informações sobre como jornalistas podem usar a platforma, confira este webinário da NewsU do Poynter (em inglês).

Margaret Looney, assistente editorial da IJNet, escreve sobre as últimas tendências de mídia, ferramentas de reportagem e recursos de jornalismo.

Imagem da cobertura interativa da BBC sobre o cortejo de Margaret Thatcher