Como o jornalismo investigativo traz valor comercial às agências de notícias

porJames Breiner
Sep 18, 2013 em Jornalismo investigativo

Posso ter enganado as pessoas nos últimos anos dizendo que o jornalismo investigativo não é um negócio, mas um serviço público.

Outras pessoas --ou seja, Felix Salmon, Jeff Bezos e quatro jornalistas citados pelo Journalism.co.uk-- estão me lembrando que o jornalismo investigativo, de fato, tem valor comercial.

Primeiro, Felix Salmon, blogueiro da Reuters. Ele argumentou em um post recente que, embora o jornalismo investigativo possa não produzir o tráfego online de temas populares, a organização de mídia colhe benefícios intangíveis, mas valiosos.

Por exemplo, os anunciantes vão ver que o site é uma veículo de notícias sérias" e estar muito mais dispostos a pagar mais para anunciar no site, como resultado. Leitores que gostam de ter notícias rápidas durante o dia, gostam de ter coisas mais substanciais para ler no fim de semana", diz Salmon.

Recrutando jornalistas, atraindo fontes

Eu vi isso mesmo, enquanto editor de um jornal semanal de negócios na década de 1990. Nós publicamos uma investigação sobre alguns dos excessos de gastos e patrocínios relacionado ao atletismo da Ohio State University. Gerou um enorme burburinho, porque ninguém nunca tinha coberto o lado comercial desses esportes.

Nossa organização de notícias ficou identificada com esse tipo de matéria investigativa. Tornou-se nossa marca. Salmon corretamente observa que esse poder de branding se traduz em poder de precificação. Essa marca também ajuda a atrair o melhor talento jornalístico e incentiva fontes a trazerem dicas de notícias.

O valor do Washington Post

O fundador da Amazon Jeff Bezos, pagou US$250 milhões para adquirir o Washington Post, e disse durante uma visita à equipe editorial que o valor que ele viu foi uma marca lendária identificada com reportagens de profundidade da mais alta qualidade.

Bezos não acredita que o valor do jornalismo do Post está em grandes números de tráfego, de acordo com um artigo no site do jornal:

"O que você não pode fazer é descer ao menor denominador comum, porque, então, o que você tem é a mediocridade." Ele disse várias vezes que o sucesso do Post depende da sua capacidade de atrair os leitores para um "hábito ritual diário" de leitura através de uma coleção de temas diferentes --e pagar por isso. "As pessoas vão comprar o pacote", Bezos disse, "eles não vai pagar por uma matéria."

Em outras palavras , ele vê valor comercial no jornalismo e está tentando descobrir maneiras de desbloqueá-lo.

Uma matéria do New York Times sobre a visita do Bezos na redação do Post reforçou esse ponto de vista do valor do jornal :

Sr. Bezos disse a jornalistas que o jornal deve se concentrar em oferecer matérias importantes e interessantes para seus leitores. Se ele faz isso, os anunciantes virão, disse. Vários jornalistas disseram que a mensagem os deixou otimista após a reunião, convencidos de que o Sr. Bezos está comprometido com o jornalismo de alta qualidade.

Jornalistas Empreendedores

O site Journalism.co.uk publicou recentemente um post sobre 10 fontes de receita para fundar uma investigação. Descreve as táticas de quatro empreendedores que encontraram maneiras de serem pagos por seu trabalho.

As ideias de gerar receitas não são novas. O que é único em cada caso é a forma como a organização de notícias descobriu uma maneira de executar uma ou mais das estratégias de receita. O segredo está em uma organização de notícias combinar o seu próprio produto e talentos com as possibilidades de receita.

O site Matter, de acordo com o artigo, fez uma campanha Kickstarter que arrecadou US$140.000. Nem toda campanha será tão bem-sucedida. Você tem que estudar exatamente o que e como fizeram isso para alcançar ou exceder os resultados.

A ThaiPublica na Tailândia arrecada dinheiro através de eventos apoiados por patrocinados. O Muckraker na Irlanda oferece gratuitos trechos de suas investigações e vende as reportagens completas por £3.

Cada organização de notícias tem que considerar essas 10 ideias e encontrar suas próprias soluções. E isso é difícil.

Nos dias dos monopólios de produção e distribuição de mídia, fazer dinheiro era fácil. As fontes de receita eram publicidade e assinaturas. Qualquer tolo podia ganhar dinheiro. Agora você tem que ser criativo. Há mais possibilidades, mas menos certeza de que funcionem. Há trabalho valorizado, mas você só tem que encontrar uma maneira de explorá-lo .

Este post foi publicado originalmente no blog News Entrepreneurs e reproduzido na IJNet com permissão.

James Breiner é consultor em jornalismo online e liderança. Foi co-diretor do Global Business Journalism Program na Universidade Tsinghua e bolsista do programa Knight International Journalism Fellow, tendo lançado e dirigido o Centro de Periodismo Digital na Universidade de Guadalajara. Visite seus sites News Entrepreneurs e Periodismo Emprendedor en Iberoamérica e siga-o no Twitter.

Imagem sob licença CC no Flickr via kiki follettosa.