Como o humor pode desempenhar um papel no fotojornalismo

porMandla Chinula
Apr 16, 2017 em Jornalismo multimídia

Muitas vezes, a mera menção de "humor no fotojornalismo" gera reações negativas ou a suposição de que se refere ao estilo paparazzi de fotografias de celebridades em posições embaraçosas. Neste contexto, o humor no fotojornalismo se refere a fotos menos sérias que ainda são objetivas sem desrespeitar os fotografados.

Por exemplo, quando o Concurso World Press de Fotografia incluiu uma categoria de "notícias alegres e de humor", fotos humorísticas são aquelas que "mostram pessoas comuns em situações extraordinárias ou momentos estranhos e involuntariamente engraçados".

Com publicações de notícias tentando ter vozes distintas de olho em reportar para públicos específicos, é interessante ver o humor sendo usado no fotojornalismo. A IJNet conversou com Peter Dench, um fotojornalista com sede em Londres, e a Dra. Ayelet Kohn, professora sênior do David Yellin Academic College em Jerusalém, para aprender mais sobre humor no fotojornalismo.

IJNet: Existe mesmo um espaço para o humor no fotojornalismo?

Dench: Eu vejo meu próprio trabalho de reportagem muitas vezes tendo elementos humorísticos, mas não em geral como sendo humorístico. Você não pode simplesmente fazer fotos engraçadas, tem que haver algo mais a dizer além, aumentando um legado antropológico.

Kohn: Eu acredito que ser capaz de ver situações com empatia e cuidado é obrigatório para qualquer fotojornalista. Isso pode ser demonstrado ao ser capaz de ver o humor nas rotinas diárias, na ironia que se forma quando as imagens e os significados se chocam e, em geral, quando os fotógrafos estão atentos às nuances do comportamento humano, eles são mais propensos a colocar um sorriso nos rostos das pessoas.

Qual é a importância do humor no fotojornalismo?

Dench: Acho que o humor pode ser uma ferramenta muito importante e útil no fotojornalismo. Pode desarmar um espectador. Se eu mostrar uma sequência de fotos divertidas, em seguida, apresentar uma imagem mais séria nessa sequência, na minha opinião, o impacto é aumentado. Para mim, um design bem sucedido de uma revista, exposição ou livro vai levar o espectador a uma viagem, fazê-los rir, pensar e, finalmente, gerar mudança -- e o humor pode ajudar a conseguir isso.

Kohn: Ser capaz de mostrar situações absurdas pode às vezes ser uma ferramenta crítica importante.

É necessário formação para fotojornalistas e publicações que possam estar interessados em explorar este campo?

Dench: Eu não tenho certeza de como efetivamente você pode treinar alguém para ver o humor; é em grande parte instintivo. O que eu acho que fotojornalistas e publicações precisam reconhecer é que uma mensagem social séria pode ser comunicada através do humor e aprender a entender quando ela pode ser adequadamente aplicada. É uma linha muito fina para acertar.

Treinar fotojornalistas para "ver o humor" e capturá-lo seria de alguma forma ensinar fotojornalistas a não serem objetivos?

Dench: Não necessariamente, se o humor é equilibrado e aplicado uniformemente ao longo da reportagem.

Seria mais aceitável para os fotógrafos documentais buscarem o humor em sua fotografia do que para fotojornalistas, que se concentram em reportagem?

Dench: Talvez, mas o potencial para o humor não deve ser ignorado pelo fotojornalista e tem por muito tempo sido uma ferramenta poderosa na comunicação de uma mensagem. Humor não tem que ser menosprezador, tendencioso ou negativo.

Kohn: Acho que o uso do humor pode ser explorado por fotojornalistas e fotógrafos documentais.

Imagem principal sob licença CC no Flickr via Pabak Sarkar