Como melhorar a TV pública na América Latina

porvgimenez
Mar 16, 2012 em Diversos

Na maioria dos países da América Latina, os meios de comunicação públicos muitas vezes cometem dois erros.

Um deles é confundir seu papel e fazer uma “comunicação governamental” mediante a transmissão de “causas partidárias”, financiada com dinheiro público.

O segundo é oferecer como programação uma "imitação ruim" da TV comercial, em vez de oferecer todo o tipo de comunicação que não se tem acesso.

Essas foram as principais preocupações do jornalista e acadêmico brasileiro, Eugenio Bucci, diretor da Revista Época, em uma videoentrevista organizada pela Fundación Nuevo Periodismo Iberoamericano e a Red Ética Segura.

“O que acontece na América Latina é que as emissoras públicas são financiadas com fundos públicos, mas muitas vezes fazem uma comunicação para promover o interesse do partido do governo”, Bucci disse. "A comunicação do governo não é uma comunicação pública, porque os recursos que a financiam pertencem a toda a sociedade". Ele explicou que as pessoas que trabalham na TV pública estão convencidas de que trabalham para o governo, criando "uma distorção muito traumática."

Aqui estão algumas dicas de Bucci para fazer uma boa comunicação pública:

  • Oferecer conteúdo que faz falta na TV comercial: “Toda a TV pública que conheço imita a televisão comercial, seu grande sonho é ser como a TV comercial”, observou Bucci. Segundo ele, isso “deprimente” porque a “grande oportunidade” da televisão pública está em fazer o contrário. “Devemos fazer algo totalmente diferente, mas nem tanto diferente que o público não compreenda nada. Devemos oferecer coisas que não cabem na TV comercial”, recomendou.

  • Ter boas medições de audiência: Os meios públicos também têm que se preocupar em ter boa medição de audiência. “Ouvi de canais públicos que o público não os compreende. Eles estão errados. Você deve apresentar uma proposta original e inovadora", Bucci disse.

  • Emancipar em vez de vender: Para Bucci, a mídia comercial quer manter a família na frente da TV assistindo a televisão. "Isso é legítimo em uma disputa comercial. Mas a televisão pública não precisa disso." Ele disse que a mídia pública realizam sua missão "quando emancipam sua audiência."

  • Perder o medo: Bucci disse que viu muitos profissionais que "têm medo do presidente da República". "Isto é a morte. Os líderes da televisão pública devem ter medo de ofender o público, não o governo", disse ele.

  • Dialogar com a sociedade: O jornalista acrescentou que "a comunicação pública tem que dialogar com a sociedade" em vez de fazer um monólogo. Você deve apresentar uma programação onde haja espaços abertos para diversos pontos de vista.

Para ler a entrevista completa (em espanhol), clique aqui.