Como jornalistas podem usar a plataforma Silk de publicação de dados

porMargaret Looney
Jan 12, 2015 em Jornalismo de dados

Jornalistas que precisam de uma ferramenta enxuta para criar visualizações em um piscar de olhos devem experimentar Silk.

Silk é uma plataforma de publicação de dados que transforma planilhas estáticas em dinâmicas visualizações incorporáveis e páginas online. A empresa de três anos lançou recentemente uma seção dedicada  a jornalistas.

As redações da Atlantic, Wired Itália, Huffington Post e mais já começaram a experimentar com a “ferramenta multiuso para jornalismo de dados". Mashable usou Silk correndo para criar uma tabela de empresas cujas senhas foram hackeadas. O Daily Dot usou para visualizar a disparidade racial entre detenções policiais em Ferguson. 

Jornalistas podem usar a ferramenta para fazer seus próprios "Silks" ou visualizações de dados, em torno de qualquer planilha de dados que escolherem. Depois de enviar uma planilha de dados, os jornalistas podem ativar instantaneamente 11 visualizações para esses dados--em formato de grade, mapa, gráfico de dispersão, gráfico de rosca-- e, em seguida, podem incorporar essa visualização diretamente em uma matéria com um iFrame.

Você também pode publicar sua visualização como uma página da Web no Silk, onde pode adicionar extras como streams de Twitter, vídeos do YouTube, áudio do SoundCloud, blocos de texto e muito mais, dando uma maior flexibilidade para contar histórias de dados.

"É um tipo de Storify vitaminado”, disse Alex Salkever, chefe de crescimento do Silk. Segundo Salkever, a plataforma conta com 50.000 a 60.000 usuários e um milhão e meio de páginas já foram criadas.

E o melhor? É grátis. "Não há nenhum custo para os jornalistas, nem nunca haverá", disse Salkever.

A rota do Silk (que significa "seda") começa transformando cada linha em uma planilha --de Excel ou Google-- em uma página da Web, essencialmente, de uma representação horizontal para uma representação vertical dos dados. Isso permite que qualquer leitor realmente visite o conjunto de dados online e mergulhe nele.

A visualização embutida é ágil e também interativa, permitindo ao leitor clicar em pontos de dados e filtrar determinados dados. Você pode importar até 3.000 linhas de dados, mas se necessário você pode importar até 10.000 a 15.000 linhas se avisar ao Silk que vai precisar de mais capacidade.

Se você não tem um grande conjunto de dados, mas sim apenas algumas estatísticas que gostaria de visualizar, pode adicionar as informações manualmente, sem importar uma planilha. Também pode adicionar novas páginas diretamente para o Silk em vez de recarregar de uma planilha atualizada.

Jornalistas também podem usar Silk colaborativamente. Utilizando o modo de "explorar", podem convidar outros usuários do Silk para criar suas próprias visualizações do conjunto de dados fornecido e, em seguida, incorporá-los em seus próprios sites. Atualmente, não há moderação incluída neste recurso, mas Salkever disse que isso está em seus planos.

Se você quer fazer um mapa, não tem que fornecer um endereço exato. Basta colocar a cidade, estado ou país de localização e ele será marcado automaticamente no mapa. Também pode importar imagens na forma de URLs e criar galerias de imagens. Há muitas maneiras diferentes de marcar ou personalizar seus dados, mas você pode conferir os tutoriais detalhados aqui (em inglês). 

Salkever sugere limpar sua planilha antes de carregar os dados para que a página criada esteja limpa do início, mas o Silk rastreia por dados duplicados se há páginas múltiplas que parecem idênticas, e irá pedir para esclarecer os dados

Embora a IJNet geralmente não publique artigos de dados, encontramos uma variedade de usos para o Silk. Usamos a ferramenta para engajar com nossos leitores no artigo Que organizações de notícias se destacaram em 2014 para os leitores da IJNet? adicionando cada dado recebido ao mapa do Silk. Usamos o recurso de grade para o artigo Advice from 6 journalists to guide you into the new year. E no tutorial abaixo, você pode ver passo-a-passo como criamos um Silk para marcar nossos jornalistas do mês no mapa, junto com seus conselhos.

Dê uma olhada e crie seu próprio Silk:

Imagem principal de captura de tela da visualização da IJNet com Silk