Como desenvolver matérias sobre temas sociais

porInternational Center for Journalists
Nov 21, 2011 em Temas especializados

Quando você cobre questões sociais, parte de seu trabalho não é apenas escrever ou produzir as histórias mais óbvias, mas ter ideias ou ângulos interessantes que não foram apurados ainda. Na verdade, se você está fazendo bem seu trabalho, deve ser capaz de pensar em muito mais possibilidades de matérias do que teria tempo de fazer.

Alguns editores sugerem matérias que eles mesmos pensaram. A maioria também gosta quando o repórter propõe suas próprias ideias -- e normalmente é melhor fazer uma matéria que se quer fazer do que uma forçada por alguém. Afinal, é trabalho do repórter ficar em contato com as fontes, especialistas e outros envolvidos com a editoria. E é a partir de tal contato que, na maioria das vezes, as ideias de matérias se originam.

Quanto mais você cobrir uma editoria, mais fácil será ter ideias de pauta. Você vai entender melhor o que deve ser considerado notícia, por que é importante ou significativo, e para quem deve ligar para obter mais informações. Você vai descobrir quem são as fontes de confiança e com quem tratar com maior ceticismo, quem está interessado em disseminar informação e quem só estão interessado ​​em dar seu lado da história ou em silenciar os outros.

Digamos que você tenha sido designado para cobrir o crescente problema do tráfico humano em seu país -- em que mulheres são tiradas de um país para outro e forçadas a trabalhar como escravas sexuais. Você sabe algumas das perguntas óbvias: Como é que a rede de tráfico funciona? O que é que o governo está fazendo para acabar com o tráfico? Como é a vida das mulheres que são traficadas?

Mas um bom repórter quer ir além dessas perguntas para explorar as facetas do problema que não foram apuradas. Aqui estão algumas ideias, cortesia da instrutora de jornalismo Carolyn Robinson, que mostra como o problema impacta mais do que apenas a vida das vítimas. Quase qualquer outro tópico de questões sociais terá uma riqueza de pautas similares inexplorada.

  • Negócio: O que os traficantes fazem com seus lucros?
  • Saúde: Como é o sistema de saúde luta contra o problema?
  • Educação: O que as escolas estão fazendo para educar os jovens sobre este problema e evitar mais vítimas?
  • Religião e Sociedade: O que as instituições religiosas estão fazendo sobre o problema?
  • Ciência e Tecnologia: Que novos métodos científicos ou tecnológicos estão sendo utilizados para combater o tráfico?
  • Política: Alguns grupos ou partidos políticos se uniram na luta contra o tráfico?
  • Relações Internacionais: Quais leis internacionais previnem contra o tráfico e que esforço estão realizando em outros países para impor essas leis?
  • Trabalho: Que indústrias usam pessoas traficadas além da indústria do sexo? O que os sindicatos ou as empresas estão fazendo?
  • Transporte: Como os traficantes transportam suas vítimas?
  • Crime e Justiça: Como as pessoas se tornam traficantes? Quais são suas motivações?

As ideias de pauta podem vir de qualquer lugar. Muitas se desdobram da cobertura da editoria ou de uma matéria em curso, como a que falamos acima. Algumas podem vir de observações aleatórias de sua parte ou notícias já vistas que você acha que pode ter algo mais por trás delas. Muitos repórteres desenvolvem arquivos de memorandos, que possuem datas dos próximos eventos em sua editoria ou ideias de pauta que eles não têm tempo para acompanhar imediatamente. Um proeminente editor americano encoraja seus repórteres a carregar dois blocos de anotações o tempo todo - um para a matéria que estavam cobrindo na época, e o segundo para anotar ideias de pautas ou manter notas sobre questões que possam se transformar em matérias futuras. Repórteres se referem a isso como "coletar fios da meada" que podem ser montados em uma data posterior.

Provavelmente a melhor maneira de obter ideias de pauta é simplesmente falar com as pessoas da sua editoria e os entrevistados de suas matérias. Pergunte a eles o que estão interessados, o que acha que precisa ser coberto, e comece de lá. Se você estiver realmente sem ideias, deixe sua mente vagar por um minuto. Pense para em suas matérias antigas e veja o que perdeu, ou faça exercícios de "brainstorming"" ou "mind-mapping", sozinho ou em grupo. Embora sejam mais frequentemente utilizados para a resolução de problemas, eles podem ser úteis para agitar ideias.

Muitas ideias de pauta vêm de dicas, tanto de uma fonte ou de uma pessoa afetada. Enquanto estes têm de ser verificados, rigorosamente, antes de apresentá-los como notícia, eles têm a vantagem de vir de alguém que já está familiarizado com o problema que você vai relatar. Um exemplo notável foi o trabalho vencedor do Prêmio Pulitzer na categoria de série no Washington Post sobre o péssimo tratamento hospitalar dos veteranos da guerra do Iraque. Essa reportagem não veio de um comunicado de imprensa ou de fontes oficiais, mas de uma dica de um amigo de um amigo de um dos repórteres. (Leia a discussão de como eles fizeram a reportagem aqui.)

Este artigo faz parte de um curso online do ICFJ Anywhere, que apóia os jornalistas em todo o mundo com treinamento gratuito em uma diversidade de tópicos. Os cursos são oferecidos em uma variedade de idiomas, incluindo inglês, árabe, persa, espanhol, português, turco e francês. Para as últimas novidades sobre os cursos do ICFJ Anywhere, clique aqui.