Como avaliar estágios de jornalismo com ferramentas digitais

por Peg Achterman
Sep 5, 2014 em Jornalismo digital

A cada semestre, muitos de nós mandamos nossos alunos para fora, para estágios. Esperamos que eles vão para lugares onde serão tratados com respeito, onde os coordenadores irão ensiná-los num ambiente em que poderão aprender o trabalho de jornalismo e ter uma noção do que querem fazer e o que eles não querem. Enviei muitos alunos a redações de televisão local que sonhavam em trabalhar na TV, mas voltaram dizendo: "Afe, tem tanta gritaria, muito barulho, todo mundo está sempre louco". É uma lição dura, mas pelo menos eles descobrem que não foram feitos para redações.

Há muito sobre como tirar o máximo proveito de um estágio, desde o básico "evite faltar ao trabalho” a "não use chinelos” a "escreva notas de agradecimento" a "conheça a cultura”. Como professores e consultores, sem dúvida, dizemos muitas das mesmas coisas. Mas o que realmente precisamos é uma forma de avaliar os estágios e certificar-se de que eles funcionam para estudantes, organizações de notícias e faculdades. Graças a ferramentas digitais, podemos fazer um trabalho muito melhor em avaliá-los.

Controvérsias abundam

Com estágios, há também uma grande discussão em termos de estágio pago vs. não remunerado, com crédito acadêmico vs. sem crédito, valoroso ou não no ensino superior e, certamente, em escritórios de empresas de recursos humanos. Na maioria dos departamentos de jornalismo e comunicação, entende-se que os alunos devem buscar experiência prática direcionada antes de se formarem. No meu antigo campus, os alunos eram obrigados a ter pelo menos três créditos de "estágio" para se formarem em qualquer uma de nossas concentrações.

O que não recebe muita atenção em torno de estágios é o compromisso do departamento na questão de avaliação, tanto da experiência de estágio como do aluno. Em alguns casos, uma simples assinatura por um professor e um supervisor é o suficiente para obter crédito para o trabalho, enquanto em outros, um instrutor pode exigir um trabalho final longo. A boa notícia de hoje é que em nosso clima digital podemos oferecer muito mais para estudantes e supervisores. Ofereço aqui apenas alguns aplicativos que eu uso para fortalecer a experiência de estágio.

Torne os planos claros para estudantes

  • Antes de iniciar um estágio, o estudante deve ler e enviar as informações contidas nesses documentos. Requisitos práticos e Antes de Começar) (note que estes são [em inglês] específicos para a área de Seattle e os requisitos da Universidade do Noroeste - mas são um bom modelo). Eles descrevem as expectativas e dão links e etapas para a conclusão.

  • As empresas costumam enviar pedidos de estagiários para departamentos de comunicação e de negócios, assim que eu mantenho um site no WordPress especificamente para estas oportunidades e adiciono-as quando aparecem novas oportunidades. Mais uma vez - este é específico para Seattle e comunicação, mas dá uma boa noção do conteúdo.

  • Os alunos devem começar um blog com uma interface fácil de usar. WordPress, Blogger ou Weebly são boas escolhas. Alguns alunos podem pedir para usar o Tumblr - que é bom, mas um pouco mais complicado para rastreamento. Apenas certifique-se de que você possa ver os sites em um feed RSS. Assim que eu tenho todos os URLs dos meus alunos para o semestre, eu assino cada site de estudante no meu leitor de RSS e marco com um título que vai agrupá-los como "estagiários" para que eu possa vê-los rapidamente. NetNewsWire ou Feedly são boas opções.

  • Os estagiários devem postar pelo menos uma vez por semana.

  • Eles devem escrever sobre sua experiência com referência ao seu curso de estudo. Que práticas de comunicação estão acontecendo (ou não) onde eles estão trabalhando? Qual é o fluxo de trabalho para obter uma matéria no ar? O que podem fazer para melhorar o ambiente de comunicação se pudessem? Como estão aplicando o que aprenderam na sala de aula?

  • Lembre-os de que este deve ser mais do que um diário de viagem: "Hoje eu preenchi envelopes para o candidato."

  • No final do estágio, os alunos devem estar pensando em suas entrevistas informativas. Eu mostro a eles este artigo no NYTimes, mas também aconselho a buscar online outras dicas sobre como conduzir este tipo de entrevista. O aplicativo fundamental para fazer isso é o Soundcloud uma vez que os alunos podem facilmente gravar as entrevistas e incluir em seus blogs. Eles também podem simplesmente me enviar um link, se eles ou seus sujeitos não querem toda a entrevista publicada para o mundo ouvir.

  • Obter um feedback sobre o desempenho do estagiário pode ser um negócio complicado, portanto, usar SurveyMonkey ou qualquer outro serviço de pesquisa funciona bem para aumentar o índice de resposta. Os alunos enviam o link, um supervisor preenche a pesquisa online, e eu vejo os resultados. Costumo usar uma combinação de texto e de múltipla escolha em cerca de seis ou sete perguntas. Aqui está uma pesquisa que eu usei recentemente.

Ferramentas digitais não só podem facilitar nossas vidas profissionais na sala de aula, mas também podem ser uma dádiva quando os nossos alunos dão seus primeiros passos profissionais longe das salas de aula.

Este artigo apareceu originalmente no PBS MediaShift e é publicado na IJNet com permissão.

Peg Achterman é professora de comunicação e jornalismo na Seattle Pacific University nos Estados Unidos. Antes de sua carreira acadêmica, Achterman passou 20 anos no jornalismo de TV. Siga-a no Twitter: achterman.

O MediaShift foca em como o cenário da mídia está mudando a maneira como obtemos nossas notícias e informações. Os correspondentes do MediaShift explicam como a mídia tradicional como jornais, revistas, rádio, TV, música e filmes estão lidando com rompimento digital e adaptando seus modelos de negócios para um mundo em rede mais móvel. Saiba mais em MediaShift na Web, siga o MediaShift no Twitter ou Facebook.

Imagem principal sob licença CC no Flickr via Niels Linneberg - segunda imagem por Peg Achterman