Cinco dicas para gerenciar orçamentos de coberturas no exterior

porDavid Francis
May 27, 2013 em Diversos

Dinheiro para reportagens internacionais não existe mais na maioria das agências de notícias. Apenas algumas mídias americanas, como o New York Times e a CNN, mantêm uma presença forte no exterior, e até mesmo essas operações notícias drasticamente reduziram sua cobertura.

Para preencher o vazio de notícias internacionais, agências de notícias cada vez mais recorrem a repórteres que estão pagando por suas próprias viagens de reportagem ou que encontram subsídios para cobrir suas despesas.

Além de formular uma ideia de reportagem, o desenvolvimento de um plano sólido para executar a matéria e obter cartas de apoio de organizações de imprensa, jornalistas que buscam apoio financeiro também devem ser capazes de montar um orçamento detalhado. Mesmo que o programa não exija isso (alguns programas oferecem bolsas com valores fixos), estabelecer um plano detalhado sobre como você vai gastar o dinheiro que receberá o prepara a fazer a reportagem que quiser.

Para freelancers, os orçamentos são de importância especial. A capacidade de gerir o dinheiro de uma maneira que produza um jornalismo de qualidade e satisfaça os financiadores é essencial para sua longevidade na carreira.

Aqui estão cinco dicas para planejar seu orçamento de reportagem:

1. Planeje com antecedência

O orçamento deve ser uma grande parte de seu planejamento de viagem como fazer uma pesquisa prévia sobre o tema que está cobrindo. Quando estou viajando, eu penso em mim como uma pequena empresa: Tenho um produto que preciso produzir para satisfazer os meus clientes (a agência de notícias e o financiador), mas também preciso produzir este produto a um custo eficiente . A maneira mais eficaz de fazer isso é criar um orçamento e cumpri-lo.

2 . Identifique os custos diretos

Estes incluem voos, despesas pessoais (hotel ou apartamento, alimentação, transporte local, refeições, etc), e os custos de vacinas e vistos. Na maioria dos casos, esses tipos de despesas consomem a maior parte de seu orçamento. Mas também são fáceis de gerir --você pode determinar exatamente quanto vão custar antes de viajar.

3. Identifique os custos flexíveis

Estes são os custos que você deve ter, mas não conseguir precisar o valor antes do tempo. Pense neles como as diversas despesas que você terá durante a viagem, incluindo fixadores, tradutores, motoristas e fotógrafos locais. Em muitos casos, você pode negociar esses preços antes de viajar, mas muitas vezes eles mudam com base no rumo que a matéria toma.

4. Consulte outros

A melhor maneira de determinar o quão caro será reportar de um país estrangeiro é falar com repórteres que fizeram isso ou estão lá. Repórteres de agências são muitas vezes grandes recursos. Eles podem ajudar a identificar tradutores baratos, fixadores e fotógrafos, bem como apresentá-lo a fontes úteis.

5. Deixe-se algum espaço de manobra

Em cada orçamento, deve haver um pouco de espaço de manobra --um tipo de fundo de contingência-- para custos inesperados. Você nunca sabe onde a matéria pode levá-lo, por isso tenha um pouco de dinheiro extra na mão para uma viagem inesperada ou uma estadia prolongada. Isto é especialmente importante para os repórteres que viajam em zonas de conflito. Ter algum dinheiro extra na mão fornece um pouco de seguro extra, bem como paz de espírito.

David Francis é um repórter americano com base em Washington. Seu trabalho já apareceu na Atlantic, Christian Science Monitor, Foreign Policy, Fiscal Times, World Politics Review, e muitas outras publicações. Francis reportou ao redor do mundo sobre temas que vão desde as relações transatlânticas, terrorismo e finanças. Ele recebeu várias doações para projetos de reportagem independentes de entidades sem fins lucrativos, incluindo o Centro Internacional para Jornalistas, organização-mãe da IJNet.

Siga David Francis no Twitter ou visite seu site.

Imagem usada com licença CC no Flickr via futureshape