Campanha luta pelos direitos de blogueiros freelances

porMargaret Looney
May 25, 2012 em Freelance

Receber o pagamento pode ser a parte mais difícil de trabalhar como jornalista freelance.

Estimulada em grande parte pelo fato do site Huffington Post usar jornalistas freelances não remunerados, a National Writer's Union lançou a campanha "Pay the Writer!" (Pague o Escritor) para garantir que blogueiros independentes, jornalistas e escritores sejam pagos por seus trabalhos.

A IJNet conversou com o presidente da NWU, Larry Goldbetter, para saber como vai a campanha.

IJNet: Como está a campanha "Pay the Writer"?

Larry Goldbetter: Até agora, tudo bem, para uma luta muito difícil e de longo prazo. Temos uma comissão organizadora. Estamos telefonando para nossos membros. Estamos nas ruas. Estamos nos encontramos com novos escritores interessados.

O boicote de sete meses contra o HuffPost ajudou a colocar a questão e nosso grupo no mapa. Mas ao contrário de uma campanha tradicional de organização, não há local de trabalho para passar folhetos e não há nenhum bar para a gente sair em falar com os trabalhadores depois do trabalho.

O jornalismo está passando por uma mudança do impresso para o digital neste momento. Os publishers têm a vantagem. Somos um pequeno sindicato tentando entrar em contato com uma força de trabalho sem fim enfrentando o colapso de sua capacidade de ganhar a vida no que fazem.

IJNet: Qual é o seu plano para garantir um salário digno para freelancers online?

LG: Em resumo: organizar. A única maneira de jornalistas e escritores autônomos terem uma alguma influência é através de um sindicato forte, muito maior do que o que temos hoje. E a única maneira que podemos desenvolver um plano mais detalhado é compartilhando as experiências, conhecimentos e sabedoria de milhares e milhares de jornalistas.

Hoje a publicação online tornou muito mais fácil para muita gente escrever e ter algo publicado, mas muito mais difícil para qualquer um fazer a vida com isso. Mas isso não significa que não há dinheiro nessa área. Mais uma vez -- sem querer implicar com a Arianna [Huffington] -- ela está fazendo US$4 milhões por ano na AOL. A AOL acabou de ter um grande aumento em dinheiro de publicidade no primeiro trimestre. E o montante que pagam aos escritores continua a diminuir...

IJNet: E sobre as pessoas que escrevem como hobby ou voluntário e não se preocupam com trabalhar de graça? Será que eles representam um perigo para aqueles que se importam com a criação de um padrão da indústria?

LG: Sim e não. É um problema quando as pessoas começam a pensar que como eles escrevem como um passatempo ou trabalho voluntário, então todo mundo deve escrever também. E, claro, a maioria daqueles que escrevem como um passatempo não fazem reportagens originais para uma publicação com fins lucrativos.

É por isso que estamos focando em jornalistas profissionais e aqueles que querem ser. O jornalismo digital é o foco de nossa campanha, o nosso campo de batalha. Não podemos impedir ninguém de escrever de graça, nem devemos. Mas podemos estabelecer um padrão para o jornalismo profissional, para aqueles produzindo artigos originais para publicações online com fins lucrativos, como o Huffington Post.