Caixa de ferramentas do jornalista digital: Mapeamento

porPaige Levin
Jul 21, 2016 em Jornalismo digital

O jornalismo engajante e interativo ainda é possível mesmo sem um extenso conhecimento de codificação. Mas como?

Nós pesquisamos na internet para encontrar as ferramentas mais acessíveis para criar conteúdos multimídia. Abaixo, você encontrará uma coleção de aplicativos totalmente gratuitos que irá fazer todo o trabalho para você -- sem necessidade de codificação:

Google My Maps: Esta ferramenta é provavelmente a mais conhecida, simplesmente porque imita mapas vistos no GPS de um telefone. Com o My Maps, você pode criar seu próprio mapa personalizável de Google com pinos, camadas, texto e fotos. Busque o local que está procurando destacar na barra de pesquisa no topo. Depois de encontrá-lo, selecione "adicionar ao mapa". My Maps coloca um pino e oferece múltiplas opções de estilo. Você pode mudar o ícone do pino para que se encaixe melhor na história e também pode adicionar linhas, medições ou direções para maior clareza. Assim que estiver pronto, torne o seu mapa público e pegue o código para compartilhar.

Story Maps: Esta plataforma permite ao usuário incorporar áudio em seus mapas, além de recursos normais, como imagens e vídeo. Não é muito diferente do StoryMap JS, mas fornece um design mais ágil e atraente. Neste caso, o texto e as fotos aparecem no lado esquerdo, e mapas maiores ou imagens adicionais aparecem no lado direito. Este projeto também permite ao usuário navegar verticalmente através de um mapa de história. Aqui está um exemplo.

Story Map Cascade: Ao contrário do StoryMap JS, esta ferramenta cria um mapa de história com deslizamento vertical em vez de horizontal. Em vez de clicar em slides, no entanto, os usuários percorrem um mapa de tela inteira. A estrutura é semelhante a de qualquer site de rolagem com efeito parallax. Os usuários podem incluir textos, imagens, imagens 3D e vídeos juntamente com os mapas que preenchem as telas dos telespectadores. Os espectadores também podem clicar em diferentes seções se não estão interessados ​​em rolagem. Este tipo de mapa de história é mais atraente graficamente, agindo mais como um site de história envolvente do que uma linha do tempo. Aqui está um exemplo.

Open Heat Map: Mapas de calor atribuem cores a números, colorindo diferentes partes de um mapa com base em dados. Isto torna mais fácil para o leitor entender as tendências e conceitos que os dados representam. O aplicativo cria mapas interativos, por isso, quando o leitor para em cima de um ponto, pode ver os dados reais por trás dele.

Google Crisis Map: Esta ferramenta funciona bem na cobertura de uma crise em curso. O Crisis Map é uma ferramenta de mashup construída no API do Google Maps, que diminui boa parte do trabalho para os jornalistas. Outros fazem o upload de dados geográficos de uma crise no mapa organizado por diferentes camadas. Você pode contribuir para os dados incluídos; o melhor uso desta ferramenta é a sua capacidade para explorar os dados rapidamente, sem nenhum software especial. Os mapas podem ser incorporados e compartilhados, e os dados podem ser baixados para análise posterior. Você pode mostrar aos espectadores o trajeto de um furacão ou o impacto de um incêndio ou inundação.

MapHub: Se você não é um fã do Google Maps, o MapHub fornece outra plataforma para criar mapas interativos. O Maphub permite que você adicione todos os mesmos elementos que o Google Maps tem, além de oferecer mais formatos. O que é legal sobre esta ferramenta é que lhe dá muitas opções diferentes para a base do seu mapa, enquanto que com o Google Maps, as bases são limitadas. Os usuários também podem fazer upload de dados para tornar o mapeamento mais fácil.

Bônus: Web Mapping: Embora não necessariamente uma plataforma de mapa tradicional, o VIS permite ao usuário criar teias, que podem ajudar jornalistas e o público a entender melhor as ligações subjacentes de uma história. A ferramenta fornece modelos para mapas complexos. O VIS se destina a jornalismo de investigação, mas pode ser utilizado um número de outras maneiras.

Agora que você já está armado com as ferramentas que precisa, o próximo passo é descobrir como apresentar a sua mídia. Para isso, conheça o Data Visualization Catalogue. Este site divide os diferentes tipos de métodos de visualização de dados disponíveis para jornalistas. Eles ainda fornecem dicas sobre onde criar cada tipo de ilustração.

Se isso não funcionar para você, confira este Pinterest com ferramentas de mapeamento adicionais.

Imagem principal sob licença CC no Flickr via Shawn Harquall