Blogueiros: Como fazer propaganda sem vender a alma

porJames Breiner
Nov 10, 2011 em Jornalismo digital

Fayerwayer é um dos blogs mais populares no mundo da língua espanhola por causa de seus comentários francos e conversa sobre os mais recentes gadgets e softwares.

Seu fundador, Leo Prieto, de Santiago, Chile, conta uma história instrutiva sobre como seu primeiro anunciante no blog criou polêmica entre colaboradores e fiéis seguidores.

Prieto começou o blog Fayerwayer (a ortografia fonética de "firewire" em espanhol) em 2005, porque estava insatisfeito com o que via na mídia: uma repetição preguiçosa e negligente de releases em blogs de tecnologia e publicações impressas.

Ele decidiu que ia realmente experimentar os produtos e serviços e ver se funcionavam como havia sido descrito pelos publicitários.

Testes de produtos

Quando Prieto quis comparar três serviços de banda larga disponíveis no Chile, ele não apenas preparou uma lista das especificações técnicas e dos custos comparativos, mas contratou cada um e comparou a capacidade de resposta e qualidade de serviço de cada.

Ele comprou e testou produtos, e depois recuperou parte do preço da compra com a venda deles no eBay.

Entra a Microsoft

Em pouco tempo, o blog se popularizou não apenas no Chile, mas em todo o mundo de língua espanhola. Parte da razão desse sucesso pode ser porque Prieto e alguns de seus colaboradores muitas vezes compararam desfavoravelmente os produtos da Microsoft para computadores Apple e software Linux.

Em dois anos, o blog, que era um hobby para Prieto e seus amigos, atingiu 1 milhão de visitantes por mês. Hoje alcança 2,6 milhões mensais.

Com sua crescente popularidade, Fayerwayer atraiu a atenção de uma agência de publicidade, que decidiu reservar três dias de exposição de um anúncio no site para o seu cliente, o muito difamado Microsoft.

O pedido do anúncio desencadeou um grande debate interno entre Prieto e seus colaboradores. Deveriam aceitar anúncios do 'império do mal'? Apesar das divergências, Prieto decidiu que sim, por razões práticas e idealistas. Afinal, eles não acreditam na liberdade de expressão? Em seguida, foi a vez do público questionar a decisão de Prieto. Sugeriram que o Fayerwayer teria se vendido ao inimigo. O clamor tornou-se tão grande que Prieto sentiu que tinha que escrever uma explicação em uma carta aos leitores. Nela, ele defendeu o direito da Microsoft de publicar sua própria mensagem, enquanto repetia também algumas das críticas sobre os produtos da empresa.

A Microsoft sai e entra novamente

A carta pode ter ajudado com relação à reação do leitor, mas irritou a Microsoft, que retirou sua campanha. Parecia que o relacionamento estranho e inesperado com o gigante do software havia chegado ao fim.

No entanto, alguns meses mais tarde, a Microsoft decidiu anunciar novamente no Fayerwayer. Para Prieto, a história mostra que uma publicação não tem que vender sua alma e independência editorial para capturar um grande cliente.

Quando um veículo de notícia tem o respeito de seus leitores, os anunciantes sabem que precisam ter uma presença na mesma, ao lado da conversa editorial sobre a sua indústria. Os anunciantes precisam ter sua história contada para o público de leitores influentes, mesmo se o seu próprio ponto de vista nem sempre é refletido no texto editorial.

A experiência de Prieto reflete a minha própria como editor e diretor de jornais de negócios. Às vezes uma notícia provocará um anunciante a retirar sua campanha. No entanto, algumas publicações e suas audiências são tão importantes para os anunciantes que eles percebem que receber críticas ocasionais nas colunas editorial é parte do negócio

Nota: Prieto contou sobre essa experiência durante o Mediafabric, uma conferência sobre jornalismo digital realizada em Praga, Tchecoslováquia.

Este artigo foi publicado originalmente no blog News Entrepreneurs e traduzido ao português para a IJNet com permissão.

James Breiner é um ex-bolsista do programa Knight International Journalism Fellow, tendo lançado e dirigido o Centro de Periodismo Digital na Universidade de Guadalajara. Ele é bilíngue em espanhol e inglês e consultor em jornalismo online e liderança. Visite seus sites News Entrepreneurs e Periodismo Emprendedor en Iberoamérica. Siga-o no Twitter.