Aliança Rebelde: Um novo modelo de negócios para sites de notícias independentes na Venezuela

porNilsa Varela Vargas
Apr 8, 2017 em Empreendedorismo de mídia

Os resultados de uma inovadora estratégia publicitária, administrada por três sites na Venezuela, sugerem que, apesar de enfrentar um ambiente hostil, os anunciantes da região ainda veem o jornalismo independente como um investimento digno.

A estratégia de anúncios, apelidada de "Aliança Rebelde", é um acordo firmado entre o Tal Cual, Runrunes e El Pitazo em dezembro de 2016. Os sites oferecem aos anunciantes a oportunidade de comprar espaço para banners nos três sites durante o mesmo período de tempo. Isso significa que só é preciso apresentar uma conta e supervisionar um design ao invés de vários.

Embora esta eficiência seja destinada a atrair anunciantes, o objetivo final da "aliança" é sustentar as reportagens independentes e os editoriais publicados por este trio de sites. O Tal Cual tem se dedicado à análise política desde seu lançamento há 17 anos; o Runrun.es (fundado em 2010) é conhecido pelo seu jornalismo investigativo; e El Pitazo, lançado em 2016, é famosos por sua cobertura diária. Segundo El Pitazo, os três sites juntos atraem 600 mil visitantes mensais únicos que gastam uma média de seis minutos navegando nos sites.

Até agora, este ano, a "aliança" assinou acordos com cinco clientes de anúncios, apesar dos difíceis desafios políticos e econômicos na Venezuela.

Enquanto o Banco Central Venezuelano não divulgou dados atualizados sobre a inflação, o comitê de finanças do Congresso da Venezuela disse que o país terminou 2016 com uma taxa de inflação de 550 por cento. Dado este cenário sombrio, os três sites independentes decidiram se unir e destacar os benefícios de investir em anúncios digitais.

Uma surpresa foi que muitos clientes consultados pela "aliança" disseram que já estavam familiarizados com o público-alvo dos sites, assim houve um alto nível de interesse inicial na compra de espaço publicitário em todos os três sites.

"No início foi difícil", disse Yelitza Linares, chefe de negócios do El Pitazo. "Janeiro e fevereiro foram meses instáveis. Mas enquanto alguns sites de mídia terminaram seu período de pré-venda, nós o estendemos. "

Linares disse que as organizações de mídia como El Pitazo tiveram de se tornar mais flexíveis para continuar extraindo receitas de anúncios online, dado o ambiente atual na Venezuela.

"Nós [aumentamos] as taxas a cada três meses, a menos que o cliente pague por um ano inteiro [com antecedência], é assim que nós nos mantêmos a bordo", disse ela. "Isso é o que o país nos trouxe."

Como parte do acordo, os diretores de negócios do Tal Cual, El Pitazo e RunRun.es também oferecem aos clientes diferentes formas de espaço publicitário, além de banners, incluindo pré-roll de vídeo, infográficos e conteúdo patrocinado. Os anúncios podem ser exibidos em todas as três home pages ou durante os programas de rádio realizados pelo RunRun.es e El Pitazo, ou na edição impressa do Tal Cual.

O subdiretor do Tal Cual, Juan Pablo Arocha, disse que essa estratégia de publicidade flexível não foi o resultado da mudança de hábitos de leitura devido às novas tecnologias: foi uma questão de sobrevivência financeira.

"Nós éramos um diário desde 2000 e em 2015 tivemos que mudar por razões econômicas," disse. "Decidimos ser um semanário para evitar a situação vivida por outros jornais que ficaram sem papel". Assim, Tal Cual passou de jornal que usa um site para publicar notícias de última hora a um site que publica seu próprio semanário.

A estratégia de negócios exigirá sem dúvida muita criatividade e forte trabalho em equipe, mas a equipe da "Aliança Rebelde" está pronta para os desafios futuros.

"A Venezuela continuará com o jornalismo", disse Linares. "Vai ser um ano com muita informação, haverá eleições e as informações continuarão sendo uma necessidade."

Para obter mais ideias sobre como financiar o jornalismo online independente, não deixe de explorar os recursos da SembraMedia, uma ONG dedicada a ajudar empreendedores da mídia online a estabelecer negócios sustentáveis.

Nilsa Varela Vargas é embaixadora da Venezuela na SembraMedia, que foi fundada pela bolsista Knight, Janine Warner. Warner é uma especialista em ajudar empreendedores da mídia digital a implementar práticas de negócios sustentáveis e a gerar novas fontes de receita online. Saiba mais sobre o trabalho de Warner como membro do ICFJ Knight aqui.

Imagem principal sob licença CC Flickr via David Hernández