Abrindo uma rádio comunitária com tecnologia de baixo custo

porJessica Weiss
Mar 17, 2014 em Jornalismo multimídia

Em grande parte da América Latina, assim como no mundo, o rádio continua a ser um meio primário para consumo de notícias. A International Telecommunications Union estabeleceu 2015 como o prazo para a transição à transmissão totalmente digital. No entanto, a Rádio digital está levando um tempo para pegar na região.

As novas tecnologias podem ser usadas para tornar as rádios comunitárias mais abertas, acessíveis e participativas. Mas na maioria dos casos, "a rádio local e comunitária não têm recursos nem tecnologia para melhorar seu trabalho e melhor se conectar com seus ouvintes," diz Miguel Paz, bolsista no Chile do programa Knight International Journalism Fellowship do ICFJ.

O grupo Hacks/Hackers no Chile, dirigido por Paz, está tentando mudar isso, provando que as novas tecnologias de rádio não precisam ser confusas ou caras. No ano passado, o grupo organizou a primeira “Radiothon” aberta do mundo em Santiago para exibir e hackear tecnologias úteis para rádio comunitárias, locais e mídias que podem se beneficiar de tecnologia de baixo custo.

A ideia foi utilizar e reutilizar a tecnologia existente e desenvolver novos projetos. As tecnologias de baixo custo apresentadas na Radiothon já foram utilizadas na África, "onde a rádio é protagonista", Paz disse à IJNet.

No final do dia, os 50 participantes coletivamente construíram um protótipo de rádio online chamado Radio Retoma (“Retake Radio”).

Para fazer isso acontecer, os participantes foram divididos em grupos de trabalho, com cada equipe responsável por um aspecto do rádio, incluindo:

  • Conteúdo: definir o programa e conteúdo

  • Discurso e pós-produção: apresentar discurso e pós-produção de áudio

  • Website e mídia social: configurar um design de site em WordPress e redes sociais

  • Desenvolvimento de aplicativo SMS: trabalhar com o API Twilio para criar um número de telefone para enviar SMS e publicar SMS no site

  • Ferramentas de reportagem móvel: configurar uma lista de ferramentas e aplicativos para gravar, editar e enviar áudio, vídeos, fotos e texto usando telefone

A ideia era que cada equipe tivesse pelo menos um desenvolvedor, designer e um membro de rádio comunitária. O trabalho de cada grupo foi documentado na Radiothon Hackdash.

Após o sucesso do evento, uma segunda Radiothon foi realizada no Chile no final do ano, para "continuar a hackear a rádio com tecnologia lo-fi."

O participante Rodrigo González Torres, jornalista e membro da rádio comunitária chilena Konciencia, diz que a iniciativa "contribuiu para repensar estratégias de comunicação", incluindo "um novo software para melhorar a qualidade da transmissão online a um custo menor, uma criatividade maior e uma busca por novos aplicativos que valorizam o rádio". Depois da Radiothon, a rádio Konciencia está planejando mudar seu sinal online.

Os participantes também trabalharam em uma caixa de ferramentas de tecnologia lo-fi para construir uma rádio. O OpenRadio toolkit (ainda em desenvolvimento) irá delinear como criar uma rádio online e offline utilizando software de código aberto e tecnologias de baixo custo. O trabalho documenta as ferramentas e os processos necessários para a implementação das diferentes áreas de uso da rádio, incluindo: edição e automação, hospedagem na Web e streaming de áudio, conteúdo e elaboração de reportagens e protocolos de transmissão (como transmitir qualquer fonte de áudio via Internet), e métricas e medição de redes sociais.

Jessica Weiss, ex-editora-chefe da IJNet, é uma jornalista com base na Colômbia.

Foto cortesia do usuário do Flickr Rodrigo Sepúlveda Schulz sob licença Creative Commons