5 reportagens de destaque na Copa do Mundo 2018

porFrancesca Visser
Jul 11, 2018 em Temas especializados

Mais uma temporada da Copa do Mundo está chegando ao fim e é hora de relembrar algumas das histórias que se destacaram durante os torneios.

Embora os regulamentos da Fifa mais uma vez se esforçassem para manter a política fora do campo de futebol, um olhar mais profundo nos jogos inevitavelmente revelou uma realidade política e social mais ampla -- e muitos repórteres usaram suas habilidades para produzir uma discussão muito mais complexa.

Abaixo está uma seleção de algumas das melhores reportagens da Copa do Mundo de 2018:

A Rússia roubou a Copa do Mundo?

Realizada à sombra do maior escândalo esportivo da história que levou a mais de 20 funcionários da Fifa condenados por extorsão, fraude eletrônica e lavagem de dinheiro, a Copa do Mundo de 2018 provocou ceticismo e desconfiança quando o país anfitrião foi anunciado.

Ken Bensinger, autor do livro "Cartão Vermelho", resumiu de maneira envolvente o conteúdo de seu livro de mais de 300 páginas em um artigo destinado a elucidar o envolvimento da Rússia no escândalo da Fifa em 2015.

O relato de Bensinger é um lembrete contundente da ação nos bastidores do evento de futebol mais popular em todo o mundo e um convite para não ignorar o significado político do escândalo.

O limbo do futebol na sombra da Copa do Mundo

Com os olhos do mundo voltados para a Rússia, o repórter esportivo Jeré Longman aproveitou a ocasião para lançar luz sobre a peculiar realidade dos times de futebol da Crimeia.

Desde 2014, a Rússia reivindica a Crimeia como território russo, mas isso não é reconhecido pela Fifa e pela UEFA. Como resultado, os times de futebol da região viram-se obrigados a iniciar uma nova liga em uma espécie de limbo existencial.

A matéria expõe as interconexões entre esportes e geopolítica lança uma luz original sobre as repercussões humanas da anexação da Crimeia.

Alireza Beiranvand: de dormir mal à Copa do Mundo com o Irã

Este ano, mais uma vez, a Copa do Mundo foi um terreno fértil de heróis do futebol e histórias interessantes, como o sequestro do pai de John Obi Mikel e as controversas comemorações de Xhaka e Shaqiri até a espetacular defesa de Akinfeev.

Uma menção especial vai para a história do herói do futebol iraniano Alireza Beiranvand, que ganhou as manchetes não só por salvar um pênalti de Cristiano Ronaldo, mas também por sua história pessoal.

O jornalista de futebol iraniano Behnam Jafarzadeh contou a origem do goleiro, nascido de uma família nômade na província de Lorestan, no Irã, com uma paixão inata pelo futebol. Sua história é tão inspiradora quanto agradável de ler.

Trabalhadores migrantes são a chave para o sucesso da Copa do Mundo na Rússia

O tema do abuso e exploração de trabalhadores migrantes durante a construção dos estádios antes da Copa do Mundo de 2018 dominou as manchetes no ano passado, mas foi efetivamente empurrado para baixo do tapete verde quando os jogos começaram.

Angela Charlton e James Ellingworth analisaram os efeitos econômicos e sociais do fenômeno, analisando a estratégia da Rússia em empregar trabalhadores migrantes como um sistema eficaz para obter mão-de-obra barata e garantir a conclusão da infraestrutura de transporte e dos estádios em tempo recorde.

Sua reportagem, contendo inúmeras entrevistas com migrantes, oferece uma imagem multifacetada de um fenômeno global e aborda um problema recorrente em torno do evento quadrienal da Fifa.

Qual time da Copa do Mundo é o melhor em perder tempo?

Em meio a avanços tecnológicos e inovações que afetam o futebol mundial, como a introdução da arbitragem assistida por vídeo (VAR, em inglês), repórteres de primeira linha não podiam perder a oportunidade de temperar seu trabalho com a quantidade formidável de dados disponíveis.

O FiveThirtyEight, um dos sites mais aclamados na transformação de dados em matérias interessantes, ofereceu uma vasta seleção de revelações baseadas na análise meticulosa de dados.

Uma das histórias mais brilhantes, em termos de originalidade e análise, foi o artigo de David Bunnell “Which World Cup team is the best at wasting time?” [Qual time da Copa é o melhor em perder tempo?], no qual o autor analisou a estratégia promulgada pelas equipes líderes de atrasar o jogo de forma sistemática. analisando os gatilhos, tendências e práticas por diferentes equipes.

Este artigo faz parte de uma série produzida por meio de uma colaboração entre a HackPack e a IJNet sobre a Copa do Mundo da Fifa.

HackPack é uma ferramenta de gerenciamento de freelancers e mercado on-demand que ajuda editores a encontrar, pagar e gerenciar uma comunidade de mais de 12.000 jornalistas em 160 países, para que possam contar histórias que importam.

IJNet é a principal fonte de inovação em mídia, oportunidades de treinamento e consultoria especializada para uma audiência de mais de 170.000 jornalistas profissionais e cidadãos em todo o mundo.

Imagem sob licença CC no Flickr por PublicDomainPictures