5 estratégias para identificar imagens manipuladas

porSerena O'Sullivan
Jul 2, 2019 em Jornalismo multimídia
Imagem de dinossauros

Em um mar de desinformação, é preciso um olhar aguçado para reconhecer sinais sutis de falsificação. Felizmente, existem maneiras para reconhecer uma imagem que foi editada para enganar.

Não sabe por onde começar? Estes recursos podem ajudar a determinar se uma imagem ou um vídeo é autêntico ou falso.

Olhe para a imagem

Antes de usar qualquer ferramenta, fique de olho nos sinais de alerta. Às vezes, é fácil identificar os sinais óbvios de manipulação de fotos.

Busque por texto mal redigido, bordas ásperas na imagem ou recortes estranhos ou ângulos de câmera — tudo isso pode indicar que a imagem foi editada.

Se a imagem que você está examinando for grande o suficiente, você pode aumentar o zoom para verificar se há erros sutis que poderiam ter escapado.

Aqui está uma imagem distorcida de Kim Kardashian, uma celebridade americana, postada no Instagram.

Você consegue identificar as diferenças em relação ao original? Olhe de perto e poderá ver sinais de adulteração, como a curva na calçada e um carro muito estreito em segundo plano.

Embora as fotos manipuladas nem sempre sejam tão fáceis de identificar como essa, isso demonstra algumas maneiras de identificar fotos falsas.

 

Kim Kardashian
Uma foto manipulada da celebridade Kim Kardashian publicada em sua página no Instagram.

Identifique a fonte da imagem

Ao olhar para uma imagem que você suspeita ser falsa, pergunte-se de onde vem essa imagem e veja se outras agências de notícias também compartilharam a imagem.

Confira esta imagem infame de um tubarão nadando em uma estrada depois de um furacão.

O site Snopes diz que a imagem foi "originalmente divulgada mostrando uma rua em Porto Rico logo após o furacão Irene atingir a ilha em agosto de 2011". Pode parecer assustador à primeira vista, mas ao fazer o upload ou copiar o URL da imagem no Google Reverse Image Search ou TinEye, percebe-se que a imagem tem sido amplamente divulgada há anos, aparecendo quase toda vez que há um desastre natural relacionado a água nos Estados Unidos.

Uma busca do Tineye mostram 932 resultados de 13 de setembro de 2011 a 13 de março de 2019. O Snopes diz que a imagem é uma “farsa digital” que foi editada com uma imagem de uma rua inundada e uma foto de 2005 de um grande tubarão branco seguindo um caiaque.

 

Fake image of a shark swimming next to a car
Imagem alterada de um tubarão ao lado de um carro. Fonte da imagem: Flickr

A imagem deixa você com raiva ou com medo?

Que história esta imagem cria? Como faz você se sentir? Pense na história que está tentando contar. Parece credível? É crível ou improvável?

Invocar a emoção é uma característica marcante do fotojornalismo de qualidade. Fotógrafos famosos, como o falecido Eddie Adams, falaram sobre como ótimas fotos poderiam “despedaçar seu coração”. Assim, a emoção por si só não é um sinal de alerta. Mas uma foto com má qualidade de imagem de uma fonte questionável que também deixa você com raiva… pode ser uma candidata a notícia falsa.

Eric K. Clemons, da Faculdade Wharton da Universidade da Pensilvânia, escreve que a desinformação, particularmente as notícias falsas, “é trabalhada individualmente para cada grupo de leitores, para ressoar com esses leitores e produzir a resposta emocional mais forte possível.”

Examine qual resposta emocional esta imagem está gerando em você. Se não vem de uma fonte de notícias legítima, quem pode enviá-la e por quê? Por que alguém gostaria que você se sentisse assim?

Confira esta apresentação de slides sobre o histórico de falsificação de fotos; está cheio de exemplos de por que e como as imagens nos últimos dois séculos foram editadas. (Aviso: Links na parte inferior do site estão quebrados porque o site Izitru de teste e hospedagem de imagens foi fechado).

Examinando por adulterações com ferramentas avançadas

Quer verificar sinais de edição que não estão imediatamente visíveis a olho nu? Copie e cole o URL da imagem no FotoForensics, que pode identificar pixels ocultos, análise de nível de erro e detalhes de metadados. Embora não indique claramente se uma imagem é real ou falsa, o recurso permite que você veja a imagem de uma maneira completamente nova, o que tornará mais fácil para identificar os erros. 

A foto ou o vídeo foi feito ao ar livre? Você sabe quando e onde a imagem foi feita? Então pode tentar usar o SunCalc, que mostra o movimento do sol ao longo do dia em um mapa. Onde o SunCalc diz que o sol estaria de manhã? Examine a foto que você vê da manhã — as sombras e a iluminação são consistentes com o que o SunCalc diz? Se não, você pode ter uma imagem manipulada em sua mão.

Ainda um pouco confuso sobre como analisar fontes de luz? Este guia, “Expondo a Manipulação de Fotos com Sombras Inconsistentes”, ensinará como as sombras fora do lugar podem indicar que uma imagem é falsa.

Tome medidas de longo prazo para reconhecer falsicações futuras

Existem inúmeros plug-ins de navegador que podem ajudá-lo a reconhecer imagens falsas. Considere adicionar o InVID Verification Plugi ao seu navegador para economizar tempo e ser mais eficiente na verificação de fatos. Este plug-in desmascara notícias falsas e verifica vídeos e imagens para que você não precise gastar tanto tempo examinando a mídia que vê.

Este artigo da BBC fornece uma série de táticas que podem treinar seus olhos para reconhecer os sinais ocultos e detalhados que revelam se uma foto é real ou falsa.


Este artigo foi originalmente publicado pelo News Co/Lab na Arizona State University e reproduzido na IJNet com permissão.

Serena O'Sullivan é estagiária no News Co/Lab.

Imagem principal sob licença CC no Unsplash via Anton Nikolov