África do Sul faz primeira hackatona da região

por IJNet
Sep 16, 2013 em Diversos

Quando as organizações de notícias lutam para se reinventar, "as redações precisam estar em uma espécie de modo BETA permanente", diz Antoine Laurent, vice-diretor da Global Editors Network (GEN).

"As redações devem sistematizar um novo tipo de processo de inovação a fim de produzir novos aplicativos, conteúdo interativo, visualização de dados e projetos de newsgaming", afirma Laurent. Ele dirige o Editors’ Lab, que reúne jornalistas e tecnólogos em dias inteiros para fazer exatamente isso .

No fim de semana passado, 14 equipes de toda a África do Sul se reuniram na Cidade do Cabo para a primeira hackatona na África Sub-Sahariana. Equipes formadas por três pessoas --um jornalista, um designer e um desenvolvedor-- das principais organizações de notícias na África do Sul competiram. No evento de dois dias, organizado pelo site de notícias digitais 24.com, as equipes usaram dados públicos e outros conteúdos para construir aplicativos móveis ou ferramentas digitais que ajudem o público a entender melhor ou se envolver com o mundo ao seu redor.

Ideias incluíram aplicativos e ferramentas para ajudar cidadãos a denunciar corrupção, subornos ou falhas, dar seguimento a promessas eleitorais e monitorar o desempenho das escolas.

Editor's Labs anteriores foram hospedados em redações de jornais de renome mundial, incluindo o New York Times, o Guardian e El País. "O programa do Hackdays é uma espécie de copa do mundo da inovação no jornalismo", explica Laurent em um comunicado. O evento tem como objetivo "conhecer a comunidade inovadora de redação e dar-lhes a atenção e o crédito que merecem --e compartilhar experiências entre seus colegas pelo mundo."

A GEN, o Google e a African Media Initiative (AMI), a maior associação de proprietários e operadores de mídia do continente, organizou o evento.   Os melhores projetos criados na hackatona vão ganhar ZAR$20.000 (cerca de US$2.000), além de inscrições para a Cúpula da GEN 2014, em Barcelona, na Espanha. Lá, os vencedores da África do Sul vão competir com seus colegas de todo o mundo na reunião anual, Editors Lab Hackathon.

Após a hackatona, os laboratórios Code for Africa da AMI na África do Sul e Quênia ajudarão as equipes a transformar suas ideias e protótipos em produtos reais nas salas de redação.

"Estamos na esperança de encontrar algumas grandes ideias aqui que podemos ajudar em escala global através de coisas como o nosso African News Innovation Challenge" e programas de apoio semelhantes , diz Justin Arenstein, estrategista-chefe da AMI e bolsista do Knight International Journalism Fellowship. Arenstein também é um juiz da premiação Global Data Journalism Awards da GEN.

A lista de juízes para a África do Sul inclui Laurent, Arenstein e Michelle Atagana, editora do Memeburn.

Para saber mais, visite a GEN no Facebook e Hacks/Hackers África no Facebook. Siga a GEN no Twitter aqui e a AMI no Twitter aqui. Os hashtags do evento são: #EditorsLab e #HackDay.

Imagem cortesia de hackNY no Flickr sob licença Creative Commons


Leia mais artigos de