Um panorama dos sites de financiamento coletivo em todo o mundo

por Global Investigative Journalism Network
Mar 10, 2015 em Empreendedorismo de mídia

A seguir veja um resumo do guia "Crowdfunding for Journalists da Global Investigative Journalist Network. Confira o guia completo (em inglês), aqui.

Crowdfunding (financiamento coletivo) é o processo de convencer um grande grupo de pessoas a contribuir pequenas somas de dinheiro para um projeto específico, geralmente através da Internet. Esta forma de arrecadação de dinheiro  está ajudando a redefinir a paisagem de geração de fundos.

Se você está interessado em levantar dinheiro para uma reportagem, publicação ou transmissão, ou quer fundar uma nova organização, crowdfunding tornou-se uma abordagem alternativa para financiar o lançamento de novos projetos de jornalismo. Hoje, existem centenas de sites de crowdfunding em todo o mundo.

A lista abaixo é limitada, então conte para a gente que plataformas devemos incluir. Ou, para encontrar crowdfunding sites específicos para o seu país ou região, consulte CrowdsUniteCrowdMapped ou Soho Loft. Entenda os diferentes tipos de crowdfunding antes de começar sua busca. 

Ásia

Flying V, com sede em Taiwan, é a maior plataforma crowdfunding baseada em recompensa na Ásia. A empresa alega ter um sucesso de 45% para suas campanhas. Como funciona: Com FlyingV, é tudo ou nada – semelhante à abordagem do Kickstarter. A empresa cobra uma taxa de campanhas bem-sucedidas. 

Crowdonomic, na Cingapura, é um site destinado a startups asiáticas, empreendedores, projetos de hardware, tecnologia e criativos. Você também pode usá-lo para construir a sua própria plataforma de crowdfunding. Como funciona: Crowdonomic cobra uma taxa administrativa com base no valor bruto de contribuição.

Europa

Sparker.de é disponível em húngaro e alemão. Seu projeto mais conhecido (uma das maiores campanhas de crowdfunding na Alemanha) é o  Krautreporter.de, agora uma revista online. Como funciona: O financiamento é aceito em euros. 

CORRECT!V, um centro de jornalismo investigativo alemão, lançou uma plataforma de crowdfunding. A organização sem fins lucrativos, CORRECT!V, oferece incentivos fiscais para aqueles que doam. A empresa tem planos para expandir do alemão para uma plataforma multilingue em 2015. Como funciona: repórteres do CORRECT!V verificam cada projeto antes de ser publicado online e trabalham com os membros do projeto na pesquisa. Se não são arrecadados fundos suficientes, CORRECT!V promete concluir a investigação.

Goteo é uma plataforma baseada na Espanha para crowdfunding e contribuições em espécie (como serviços) para projetos que promovam uma sociedade "open-source, baseada no conhecimento". A empresa tem uma categoria de comunicações e está disponível em espanhol, catalão, basco, inglês e francês. Como funciona: Goteo usa uma abordagem "tudo ou nada" - as contribuições são transferidos apenas se a quantidade mínima do orçamento for atingido. Se você não tiver uma conta bancária espanhola, pode ter que pagar taxas bancárias adicionais. Mais informação aqui.

Yournalism é um site holandês. A plataforma usa sugestões do público para gerar e financiar jornalismo investigativo. Como funciona: O público sugere ideias de investigação ao Yournalism. Os editores do Yournalism buscam buracos sociais locais que receberam pouca ou nenhuma cobertura de notícias. Com essa informação, o conselho editorial do Yournalism transforma as ideias em propostas de pesquisa e, em seguida, em campanhas por doações.

África

JumpStart Africa é uma plataforma de financiamento que vai ser lançada em breve para projetos criativos, incluindo de moda, jogos, música e mídia. Como funciona: Se um projeto é financiado com sucesso, o JumpStart África cobra uma taxa dos fundos recolhidos.

América Latina

Idea.me é uma plataforma de crowdfunding latino-americana que conecta criadores de projetos de impacto social com patrocinadores. A plataforma opera na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México, Uruguai e Estados Unidos. Como funciona: O site permite financiamento tudo-ou-nada, ou financiamento flexível. A lista completa de taxas está aqui.

Este post apareceu originalmente na Global Investigative Journalism Network (GIJN). A GIJN é uma associação de 90 organizações sem fins lucrativos em 40 países dedicados ao jornalismo investigativo. Você pode seguir o GIJN através do Global Listserv, o boletim da Global Network News, no Twitter e Facebook.

Imagem principal sob licença CC no Flickr via Rocío Lara