Um panorama de startups digitais de jornalismo ao redor do mundo

por James Breiner
Aug 29, 2014 em Jornalismo digital

Enquanto as organizações de mídia tradicionais cortam pessoal e cobertura, milhares de novas mídias digitais estão surgindo em todo o mundo para preencher as lacunas.

Compilei 14 listas de startups abaixo. Algumas startups estão incluídas em mais de uma lista. Você sabe de alguma lista que eu deixei de fora?

Muitas das organizações que compilam listas também compartilham tutoriais, especialmente sobre modelos de geração de receita, para ajudar outros a lançarem e sustentarem seus sites de notícias. A sustentabilidade é o Santo Graal. Parte da razão pela qual mídias digitais estão surgindo é a brecha deixada pelos cortes na cobertura e equipe de grandes mídias (gráfico abaixo, do blog Carpe Diem de Mark J. Perr via o post de Clay Shirky, "Last Call").

Estados Unidos

1) O Centro Pew fez um estudo de 178 sites de jornalismo sem fins lucrativos com uma análise detalhada de seus modelos de negócios: "Nonprofit Journalism: A Growing but Fragile Part of the U.S. News System."

GigaOm seguiu com uma análise do estudo, e a Knight Foundation patrocinou uma mesa redonda sobre o tema, com vídeos da sessões (em inglês).

2) A Knight Community News Network do J-Lab lista mais de 1.300 sites desse tipo em todo os EUA, com alguns do Canadá. O banco de dados mostra também os projetos que não estão mais ativos.

A rede oferece um kit de ferramentas para startups de notícias da comunidade com tutoriais sobre como usar hardware e software.

3) O Guide to Online News Startups da Columbia Journalism Review é um banco de dados de cerca de 260 sites nos EUA com informação sobre modelos de negócios, funcionários, tráfego e conteúdo, entre outras informações. Há também um mapa nacional que mostra as localizações.

4) Michele McLellan compilou uma lista de 228 startups de jornalismo nos EUA (com algumas da Micronésia e Guam), e seu blog regularmente atualiza o status delas, incluindo um artigo sobre como a imprensa alternativa está testando um modelo de franquia que agora tem 30 sites em Nova Jersey e Pensilvânia.

5) A Asociacion de la Prensa de Madrid compilou uma lista de 434 mídias de notícias e outros projetos lançados por jornalistas na Espanha desde a crise da mídia que começou em 2008. Além disso, produziu um estudo sobre suas características (PDF, em espanhol).

6) Dezoito das principais publicações digitais da América Latina são discutidas no artigo "El crescimento de la prensa digital de en latinoamerica do El Pais da Espanha."Esse artigo foi baseado em apresentações e entrevistas com os participantes do Colóquio Ibero-americano de Jornalismo Digital do Centro Knight para o Jornalismo nas Américas, em que focaram nos desafios da alcançar sustentabilidade.

7) O professor José Luis Lopez Aguirre da Universidade Panamericana na Cidade do México publicou uma pesquisa de 48 sites de notícias digitais no México, incluindo alguns dos principais jornais, com foco em como estão usando ferramentas de multimídia (em espanhol). O relatório inclui um mapa interativo dos órgãos de comunicação social.

8) A consultora Maria Jose Vazquez Schaich, em colaboração com a Universidade Casa Grande no Equador, compilou um banco de dados de 23 organizações empreendedoras de notícias no Equador. Os pesquisadores também produziram um perfil de um desses empresários, GKillCity (em espanhol).

Schaich também é co-autora do estudo "Entrepreneurial Journalism Education: Where Are We Now".

9) A matéria "Veículos digitais de jornalismo independente da América Latina juntam-se em nova associação" no Centro Knight para o Jornalismo nas Américas descreve um grupo de 10 organizações com foco em jornalismo investigativo.

Europa, Ásia, África

10) No Chasing Sustentabilidade na Net, uma equipe internacional de pesquisadores analisaram os modelos de negócio utilizados por 69 startups de jornalismo digital em 10 países, incluindo os EUA, Japão, Reino Unido, Finlândia, Itália, França e Espanha. Poucos deles cobram pelo conteúdo, segundo o estudo.

Eles resumiram suas descobertas em uma artigo no Nieman Lab, e o Knight Digital Media Center fez sua própria análise.

11) A plataforma Journalism.co.uk publicou uma pesquisa de 183 editores de notícias hiperlocais no Reino Unido (de cerca de 500), que descobriu que a maioria está lutando para fazer cobrir suas despesas, mas estão tendo um impacto em suas comunidades.

12) Nicola Bruno e Rasmus Nielsen Kleis fizeram um estudo aprofundado dos modelos de negócios de nove startups digitais na Alemanha, Itália e França, mencionando muitos outros meios de comunicação digitais: Survival is Success: Journalistic Online Start-Ups in Western Europe, publicado pelo Reuters Institute for the Study of Journalism (disponível gratuitamente em PDF se você se registrar).

13) A Journalism.co.uk baseada no Reino Unido deu uma olhada no estado do jornalismo independente em uma área onde ele está sob ataque: "How entrepreneurial journalism is building a local voice in Egypt."

14) As notas de rodapé do "Digital Media in the Arab World One Year after the Revolutions" (em PDF) contêm links para blogs e outras mídias digitais que informaram sobre a Primavera Árabe. Jeffrey Ghannam escreveu o relatório para o Center for International Media Assistance.

Este artigo foi originalmente publicado no blog News Entrepreneurs e é traduzido na IJNet com permissão do autor.

James Breiner é consultor de jornalismo e liderança online. Ele foi co-diretor do Programa de Jornalismo de Negócios Global na Universidade de Tsinghua e bolsista do Knight International Journalism Fellowship do ICFJ que lançou e dirigiu o Centro de Jornalismo Digital na Universidade de Guadalajara. Ele fala espanhol e inglês. Você pode segui-lo no Twitter aqui.

_Imagem principal: captura de tela da caps do "New Media Makers: A Toolkit for Innovators in Community Media and Grant Making" do J-Lab._