Tendências em tecnologia que poderão ter impacto no jornalismo em 2015

porIJNet
Dec 11, 2014 em Diversos

Aparelhos de vestir (wearables), realidade virtual e móvel modular são algumas palavras da moda que jornalistas podem acrescentar ao seu vernáculo. 

A cada ano, a estrategista digital Amy Webb e sua empresa de consultoria, o Grupo Webbmedia, publicam uma lista de tendências de tecnologia para o próximo ano. 

Apresentando um total de 55 tendências, o relatório desta ano explora uma variedade de ferramentas e tecnologias emergentes, e a IJNet reuniu as melhores para os jornalistas ficarem de olho.

Publicação de um para poucos

Boletins, podcasts e redes de nicho que cativam uma audiência menor vão voltar com força em 2015.

Ao invés de lançar redes amplas na esperança de capturar o público certo, os anunciantes estão recorrendo a redes de nicho. A criação de um produto como um podcast ou boletim, diretamente voltado para um público menor específico permite que a mídia ou outras marcas mantenham um relacionamento mais pessoal com o público. Alguns boletins de notícias e podcasts para assistir:

Vídeo

Consumidores são criadores, carregando vídeos a serviços sociais como Vimeo, Instagram e Vine.

De acordo com o relatório de tendências, visitas mensais exclusivas para sites de vídeo dobraram em 2014 e a maioria desses usuários visitou sites como Facebook e YouTube em seus dispositivos móveis. Ainda há problemas técnicos na hora de assistir o vídeo, mas uma melhor velocidade e entrega são o que vêm por aí para o meio global, segundo Webb.

WebRTC está trabalhando com uma tecnologia que ajudará computadores a falar diretamente uns com os outros em vez de confiar em uma rede Wi-Fi, o que requer várias etapas antes de um usuário se conectar, tornando o computador mais lento. Se for bem sucedido, WebRTC permitirá acessar vídeos - e a Internet como um todo - mais rapidamente.

Algoritmos

A curadoria de algoritmos é um processo que determina automaticamente que conteúdo deve ser exibido ou escondido e como deve ser apresentado a sua audiência.

Desde a sua criação, o Facebook tem tomado decisões sobre o que deve aparecer no seu NewsFeed usando um algoritmo que decide quais mensagens em sua rede vão "engajá-lo mais." Google e Yahoo News também usam o seu comportamento online para determinar o conteúdo que você pode estar interessado. Em 2015 --e por muito tempo-- algoritmos fazendo curadoria de notícias vão começar a acompanhar o nosso comportamento mais recente.

"Ao invés de entregar uma notícia de última hora completa para os nossos celulares, os algoritmos vão entregar uma versão para hora que você está "na fila do Starbucks, uma matéria mais aprofundada para os nossos tablets e uma versão em vídeo da história, para a hora que a gente está na frente de nossas TVs conectadas", segundo o relatório do Grupo Webbmedia.

Privacidade

Violações persistentes continuarão a diminuir a confiança do público.

Aspectos da privacidade ficaram com sete pontos de tendência na lista do Grupo Webbmedia este ano.

Como os consumidores --incluindo jornalistas-- tornaram-se mais preocupados com a sua proteção online, as empresas estão respondendo ao lançar produtos para nos proteger de violações de dados. Aqui estão alguns recursos para conferir ou experimentar em 2015:

  • Blackphone é um smartphone que previne outros de escutarem sua conversa.
  • Open Whisper Systems fornece criptografia para suas chamadas com Android.
  • Digits do Twitter permite gerenciar todos os aplicativos em um só lugar.
  • MeWe é uma rede social privada e serviço de compartilhamento de arquivos.

Segurança

Não vimos nenhuma outra organização de mídia desenvolvento sistemas para transferir informação de forma segura ou criptografar seus próprios dados.

Devido a um número significativo de ataques cibernéticos em 2014, o relatório recomenda reforçar a segurança digital para ficar seguro.

O jornal Guardian preparou seu sistema SecureDrop em junho de 2014, mas o relatório afirma que poucas organizações seguiram o exemplo. SecureDrop permite a qualquer pessoa enviar documentos confidenciais aos repórteres do Guardian sem ter que se preocuparem sem serem seguidos online.

Drones inteligentes

A nova onda de drones terá a habilidade de pensar e fazer deduções.

Os drones estão ficando mais populares como método de reportagem  —a Universidade de Nebraska-Lincoln já tem um Drone Journalism Lab— e mais inteligentes. Os próximos micro-drones e robô-drones que funcionarão sem direção humana tornarão o jornalismo drone anda mais excitante em 2015.

Software colaborativo

2015 pode ser o começo do fim do email como o conhecemos, porque mais e mais escritórios estão trocando o sistemas internos de email por estes aplicativos.

Precisa de uma maneira mais fácil de se conectar com editores ou colegas repórteres? Tente substituir o email com uma destas ferramentas de produtividade que reúnem email, instant messaging,  mídia social e armazenamento de nuvem. Se você já experimentou Yammer ou HipChat, tente o Wrike ou Slack.

Rompendo com a ideia de que o Facebook é uma perda de tempo no trabalho, a rede social vai muito provavelmente estrear um sistema de comunicação entre escritórios chamado Facebook at Work em 2015.

Para ler o relatório completo (em inglês), confira a apresentação de slides abaixo.

Imagem principal sob licença CC no Flickr via Merrill College of Journalism Press Releases