Site usa 'crowdsourcing' para rastrear corrupção na Índia: Parte 1

porDana Liebelson
Nov 14, 2010 em Jornalismo investigativo

Uma organização sem fins lucrativos na Índia pretende lutar contra a corrupção no país através do site “I Paid a Bribe” (em tradução livre, 'Paguei Suborno'). O site permite que os usuários indiquem anonimamente se pagaram, aceitaram ou recusaram suborno em vários setores da sociedade. Também podem enviar a hora, local, tipo, frequência e valor do suborno.

O objetivo deste projeto de "crowdsourcing", patrocinado pela organização Janaagraha de Bangalore, é fornecer um panorama sobre a corrupção no país. A longo prazo, isso pode dar ao governo um instrumento para melhor direcionar seus esforços de combate à corrupção. T.R. Raghunandan, o criador do "Paguei Suborno" (IPAB), em inglês, falou sobre a iniciativa recentemente à IJNet. Raghunandan tem 26 anos de experiência no governo da Índia e no Estado de Karnataka. A entrevista será publicada em duas partes.

IJNet: Poderia nos contar um pouco sobre a história do lançamendo do IPAB? Como o projeto se alinha com o objetivo da Janaagraha de melhorar a qualidade da vida nas cidades e vilarejos indianos?
Raghu: A idéia do IPAB surgiu e evoluiu ao longo do tempo. Começou com uma discussão entre um membro do conselho e co-fundadores da Janaagraha há uns dois anos como um meio simples de monitoramento do preço de mercado da corrupção. Isso foi mais em tom de brincadeira do que qualquer outra coisa. Na verdade, dois anos atrás, um pequeno site experimental foi montado para testar a ideia. Então, durante esse tempo, mas especialmente nos últimos seis meses, trabalhamos com a ideia intensivamente e acrescentamos muito mais recursos. Decidimos que o site tinha que ser multifacetado, oferecendo uma variedade de serviços para as pessoas. Lançamos o novo site no dia 15 de agosto.

O IPAB se alinha com o objetivo da Janaagraha de fazer uma diferença mensurável na qualidade da cidadania. Ele faz isso, adotando a estratégia de responsabilizar os cidadãos através de uma abordagem que combina Internet com comunidade, isto é, uma plataforma online baseada nas experiências dos cidadãos. Através desta abordagem, o IPAB se alinha completamente com o objetivo principal da Janaagraha de aumentar o número de agentes de mudança na cidade. Acreditamos que todo cidadão que relata uma história no nosso site sobre pagamento de suborno está com raiva o suficiente para começar a resistir. Claro, não precisa nem dizer que alguém que recusou a pagar propina e relatou a história já está muito no caminho de ser um cidadão agente de mudança..

Quantos usuários enviam relatos de suborno todos os dias? Como que o IPAB processa essa informação toda?
O número pode variar, mas chegamos a um total de cerca de 25 a 50 relatos nas nossas seções 'Paguei suborno', 'Não paguei suborno "e "Não tive que pagar um suborno" todos os dias. Há dias em que os relatos vêm de enxurrada, o que normalmente acontece depois de o site ter sido destaque na imprensa! É interessante notar que a percentagem de relatos de subornos pagos, subornos recusados e não ter que pagar suborno tem ficado consistentemente em 8, 10, e 5 por cento desde quando o site foi lançado!

Além destes relatos, temos cerca de 20 perguntas na seção "Pergunte ao Raghu" todos os dias. Além disso, existem cerca de 20 a 50 relatos e comentários sem vários fóruns e blogs de administrador.

O IPAB exibe relatos relacionados com suborno de duas maneiras. Em primeiro lugar, o relato cru, tal como previsto pelo indivíduo no login, que pode ser visto sob os títulos "Paguei suborno ',' não paguei suborno" e "Não tive que pagar suborno'. O site também inclue análises dos números. Se você clicar em no botão 'padrões de suborno ", estas análises podem ser vistas. Fornecemos os dados categorizados sobre o número de subornos pagos, valores pagos e médias.

Além destes, começamos a trabalhar no departamento de análise de maneira mais detalhada, em nível de transação e corrupção. A idéia é fornecer relatos rapidamente compilados, mas ao mesmo tempo perspicazes, para o público em geral, bem como para o governo, mostrando as práticas de corrupção e dando sugestões sobre quais alterações devem ser introduzidas para reduzir as oportunidades de corrupção. Esses relatórios, denominados "Janamahithi (Jana = povo, Mahithi = informação), conterão também informações sobre como os cidadãos podem evitar o pagamento de subornos, tomando algumas precauções simples, fazendo sua lição de casa e papelada com antecedência e adotar certos estilos de comportamento. Nossos relatórios 'Janamahithi' sobre o departamento de veículos e corrupção relacionadas ao registro de carros serão lançado em breve. Também vamos apresentar esses relatórios formalmente ao governo com a finalidade de tomar medidas para fazer as alterações necessárias e manter os cidadãos informados sobre os progressos realizados pelo governo.

Visite o site (em inglês) http://ipaidabribe.com/.

A parte 2 desta entrevista irá examinar como os cidadãos podem usar o IPAB para combater a corrupção em suas comunidades.