Reinventando a reportagem para o celular

por Gabrielle Kratsas
Jun 28, 2013 em Redes sociais

Que melhor maneira de começar de novo do que com uma startup?

Para um jornalista que sabe de tecnologia num mundo de smartphones, tablets e outros dispositivos portáteis, uma reportagem feita estritamente para a mídia móvel pode ser o melhor passo.

"Reinventar o artigo é o que me faz sair da cama pensando", disse Anthony De Rosa em entrevista por e-mail sobre o seu mais recente passo na carreira. De Rosa, que até recentemente foi editor de mídia social da Reuters, assumiu no dia 17 de junho a nova posição de editor-chefe do serviço (apenas) móvel de notícias Circa.

Circa, a autoproclamada "melhor maneira de ler as notícias em seu telefone", é um aplicativo iOS lançado no ano passado. A startup sediada em São Francisco reconhece as mudanças da mídia de hoje, criando matérias mais concisas de um conjunto de artigos, documentos, tuites, reportagens, blogs e muito mais, enquanto verificam fatos e citam todos os pontos ao longo do caminho.

Entre outras conveniências feitas para móveis, uma das principais características do Circa é a capacidade do leitor de seguir uma notícia "ao vivo" ou em andamento. Por exemplo, quando o usuário do Circa quer saber as últimas sobre grandes notícias, como o vazamento de informações da Agência de Segurança Nacional dos EUA, ele simplesmente toca na bandeira cinza marcada com um sinal de mais no canto superior direito da tela, enquanto a matéria atual está aberta. O Circa envia ao usuário uma notificação cada vez que novas informações estiverem disponíveis, tal como um curto perfil de Edward Snowden. "Costumo dizer que o Circa é metade uma empresa de tecnologia e metade uma empresa de mídia", diz o diretor do Circa News, David Cohn.

Mas o que ele e o resto da equipe não vão dizer é que o Circa produz resumos de notícias. Summly, um aplicativo de notícias comprado pela Yahoo! no início deste ano, usa um algoritmo para criar resumos de artigos, enquanto o Circa utiliza uma equipe de 11 pessoas para encontrar e adicionar detalhes que um resumo pode perder.

Cohn descreve sua cobertura dos atentados na maratona de Boston: "Seguimos a história e tivemos detalhes, capturamos momentos, demos contexto, verificamos narrativas populares espalhadas online, etc, etc. São todas essas nuances que exigem julgamento editorial real além de um algoritmo resumindo um único artigo."

Diferente do tradicional formato de artigos, as matérias do Circa pode "se ramificam e se transformam", fornecendo ao leitor pedaços digeríveis de detalhes importantes e menos significativos, mas interessantes de seguir quando a história progride e se desenvolve. Especificamente, o usuário do Circa pode navegar através de vários "pontos" de uma história, saltando de uma breve descrição do que está acontecendo a uma citação relacionada ou a algumas informações de fundo ou estatísticas. A maioria desses pontos também vem equipada com links de matérias relacionadas. Alguns pontos podem ter fatos históricos relacionados com o tema, imagens ou um fato extra que muitos outros artigos completos não incluem.

Devido à experiência de De Rosa na Reuters, coordenando e organizando vários blogs ao vivo para notícias importantes, incluindo o furacão Sandy, a queda de Gaddafi na Líbia e os combates na Síria, ele está confiante em assumir o cargo de editor-chefe. De Rosa diz que os blogs tomam "uma grande quantidade de tempo e habilidades de comunicação, que eu acho que se prestam bem para o papel que eu vou estar assumindo no Circa. Quando eu tiver uma noção de como a linguiça é feita, vou ser capaz de começar a oferecer ideias e sugestões."

De Rosa diz que espera que, com a Circa evoluindo, irá adicionar reportagem original ao seu arsenal, mas isso não é o foco atual. "Essa é uma meta a atingir no futuro, mas, enquanto isso, é importante verificar as reportagens por nossa própria conta", diz ele. "Quero garantir que podemos nos sentir confiantes sobre o que estamos informando."

Este post foi extraído de um artigo da American Journalism Review. É publicado na IJNet com permissão.

Kratsas é assistente editorial da American Journalism Review.

Foto: De Rosa (direita) conduz uma entrevista no iPad. Cortesia de Scott Beale sob a licença Creative Commons