Primeiro DataBootCamp da América Latina quer inovar a mídia na região

porMariano Blejman
Jun 3, 2013 em Diversos

Além de ser o primeiro na América Latina, o DataBootCamp na Bolívia será o evento de jornalismo de dados de maior altitude na história.

A cidade de La Paz, sede do encontro que reunirá jornalistas, programadores e designers para compreender o fluxo de trabalho no jornalismo de dados, tem uma altura aproximada de 3.600 metros acima do nível do mar.

O evento representará o primeiro degrau para uma subida dura, mas que não pode parar, para o uso do jornalismo de dados na região. Isso significa mais que a abertura dos governos, mas também a criação de estruturas de demanda sustentável que podem adicionar valor para o conteúdo jornalístico.

Quando o governo libera dados em qualquer formato, esses dados precisam ser interpretados por pessoas especializadas. Para este evento, convidamos profissionais do jornalismo em dados de alto nível a ensinar os processos básicos envolvidos no jornalismo de dados para jornalistas bolivianos. Depois do bootcamp, os participantes retornarão para suas respectivas mídias e compartilharão o que aprenderam.

O evento que estamos organizando em La Paz --como parte de minha bolsa do Knight Fellowship-- com o Centro Internacional para Jornalistas, o World Bank Institute (WBI) e a Open Aid Partnership, é algo mais que um espaço produtivo para reunir jornalistas e programadores: irá acelerar a cultura da inovação na mídia e contribuir aos processos de abertura de dados em toda a região, gerando uma rede latino-americana para repensar os processos de produção do jornalismo. Também será a primeiro grande prova da OpenData Latinoamérica, uma plataforma que reúne conjuntos de dados da região.

Os bootcamps são treinamentos intensivos que usam equipes de trabalho para criar projetos e ensinar técnicas. Os DataBootCamps foram criados pelo bolsista Knight Justin Arenstein juntamente com a African Media Initiative e o World Bank Institute (WBI). O primeiro foi realizado no Quênia em janeiro de 2012. Desde então, o programa foi usado em vários países, tendo como resultados sites e aplicativos cívicos como Where Did My Tax Dollars Go, Lord's Resistance Army Crisis Tracker e County Sin Rankings.

Este bootcamp, que acontece de 12 a 14 de junho, contará com rockstars do jornalismo de dados como Chase Davis do New York Times; Michael Bauer da Open Knowledge Foundation; o bolsista Knight Miguel Paz do Centro Internacional para Jornalistas; e representantes de empreendimentos regionais como a ex-bolsista Knight Sandra Crucianelli da Sololocal; Andy Tow, do Atlas Electoral Argentino; Mariana Berruezo do Hacks/Hackers Buenos Aires e Victoria Esteves da D.A.T.A., a organização uruguaia que está organizando a não-conferência AbreLatam em Montevidéo, que antecede a Conferência de Datos Abiertos.

Um DataBootCamp é m sonho para um jornalista nerd e hacker com visão cívica: a criação de uma comunidade disposta a trabalhar de uma maneira nova.

Trabalhar colaborativamente é divertido. Os participantes aprendem a trabalhar em conjunto para resolver problemas de informação. Para jornalistas, que normalmente competem uns com os outros, participar do treinamento e começar a colaborar de forma brilhante inova sua maneira de pensar. Muitas vezes, um evento acaba sendo apenas o começo de algo maior.

A resposta ao nosso convite foi fabulosa: recebemos 170 candidaturas para 90 vagas de treinamento. Agora, 90 jornalistas e programadores dos meios de comunicação mais importantes da Bolívia estão dispostos a deixar seus empregos por três dias para embarcar na aventura de contar histórias com dados.

Foto cortesia de Guillermo A. Durán no Flickr sob licença Creative Commons

Mariano Blejman, bolsista do Knight International Journalism Fellowship 2013, é editor e emprendedor de mídia especializado em jornalismo de dados.