Por que leitores estão mais dispostos do que nunca a pagar por suas notícias

porJames Breiner
May 26, 2017 em Empreendedorismo de mídia

Ao contrário de todas as previsões sobre a relutância do público em pagar por notícias quando estão disponíveis gratuitamente online, mais editores do jornalismo de alta qualidade e em profundidade estão conseguindo fazer dinheiro.

O último exemplo vem da Eslováquia, como conta Rob Sharp no Nieman Lab. Os editores de um jornal nacional popular descobriram que uma organização de notícias manchada por acusações de corrupção estava prestes a comprar uma participação significativa em seu jornal.

Antecipando restrições em seu trabalho, o editor, Matus Kostolny, e sua equipe decidiram iniciar uma publicação de notícias online independente, Dennik N.

Como Sharp descreve:

A publicação atraiu 1 milhão de euros de investimento privado e assinaturas adiantadas de cerca de 300.000 euros. Eles lançaram seu site diário em janeiro de 2015 e um jornal impresso pouco depois. Agora, pouco mais de dois anos depois, eles estão entre os cinco melhores sites jornalísticos de qualidade na Eslováquia. Em um país de 5,4 milhões de pessoas, o jornal tem 23 mil assinantes digitais pagantes, o maior nacionalmente, e 110 mil leitores cadastrados.

Este exemplo é parte de uma tendência crescente de publicações que dependem de leitores e não dos anunciantes, para apoiar o jornalismo que é independente de influência política e empresarial. O artigo no Nieman também menciona uma startup independente similar na República Checa.

Em todo o mundo, notícias onine independentes

Eu descrevi oito exemplos desses tipos de organizações de mídia em um artigo recente ("Capital social para o resgate do Quarto Estado" e em um artigo sobre o Mediapart da França, De Correspondente da Holanda e eldiario.es da Espanha).

Notícias independentes estão surgindo no mundo digital de Cuba, onde apenas cerca de um quarto da população tem acesso à internet. O consultor de mídia espanhol Prodigioso Volcán publicou recentemente um plano de negócios estratégico (em espanhol), desenvolvido pelo site cubano de notícias El Diario de Cuba

A organização cubana de notícias está desenvolvendo um modelo de negócios que serve tanto à população da ilha como aos cubanos que vivem no exterior, com a esperança de que no futuro a informação fluirá mais livremente. O modelo recomendado pela equipe de Volcán inclui uma combinação de canais de distribuição para o consumo na ilha que evite a censura -- newsletters por e-mail, notícias em formato PDF, podcasts, distribuição no mercado negro por USB -- com foco na distribuição de mídia social para o público nos EUA.

Há uma sede de notícias independentes online, e, sim, as pessoas vão pagar por elas.

Este post apareceu originalmente no blog News Entrepreneurs de James Breiner e é republicado na IJNet com permissão.

James Breiner é ex-bolsista Knight do ICFJ que lançou e dirigiu o Centro para Jornalismo Digital na Universidade de Guadalajara. Visite seus sites News Entrepreneurs e Periodismo Emprendedor en Iberoamérica.

Imagem principal sob licença CC no Flickr via frankieleon